Homens ameaçaram um funcionário com uma arma e pularam balcão do estabelecimento para pegar dinheiro do caixa. Suspeitos armados ameaçam funcionário e pulam para dentro do caixa de mercado durante roubo em Ponta Grossa Dois homens armados assaltaram um mercado no bairro Cará Cará, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, na noite de sábado (19). Câmeras de segurança do estabelecimento registraram a ação dos suspeitos. Assista ao vídeo acima. Os homens usavam capacetes. Eles entraram no local e ameaçaram um funcionário com uma arma. Um dos suspeitos retira dinheiro do caixa e pula para o lado de dentro do balcão, para pegar mais dinheiro. Os suspeitos fugiram em seguida levando, além do dinheiro, um telefone celular. Segundo a Polícia Militar (PM), ninguém foi preso. Suspeitos armados assaltaram mercado em Ponta Grossa Câmeras de segurança Veja mais notícias da região em G1 Campos Gerais e Sul.
Suspeitos armados assaltam mercado em Ponta Grossa; vídeo

Homens ameaçaram um funcionário com uma arma e pularam balcão do estabelecimento para pegar dinheiro do caixa. Suspeitos armados ameaçam funcionário e pulam para dentro do caixa de mercado durante roubo em Ponta Grossa Dois homens armados assaltaram um mercado no bairro Cará Cará, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, na noite de sábado (19). Câmeras de segurança do estabelecimento registraram a ação dos suspeitos. Assista ao vídeo acima. Os homens usavam capacetes. Eles entraram no local e ameaçaram um funcionário com uma arma. Um dos suspeitos retira dinheiro do caixa e pula para o lado de dentro do balcão, para pegar mais dinheiro. Os suspeitos fugiram em seguida levando, além do dinheiro, um telefone celular. Segundo a Polícia Militar (PM), ninguém foi preso. Suspeitos armados assaltaram mercado em Ponta Grossa Câmeras de segurança Veja mais notícias da região em G1 Campos Gerais e Sul.



Veículos bateram de frente, em Cruzeiro do Oeste, segundo a PRE. Um motorista, de 48 anos, morreu após uma batida entre o carro que ele dirigia e um caminhão, na noite deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O acidente acidente aconteceu na PR-323, em Cruzeiro do Oeste, noroeste do Paraná. De acordo com a PRE, a vítima dirigia um carro no sentido Umuarama, também no noroeste, quando bateu contra um caminhão, que seguia no sentido contrário da pista. O homem morreu na hora. O motorista do caminhão não se feriu. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Motorista morre em acidente entre carro e caminhão, na PR-323
Veículos bateram de frente, em Cruzeiro do Oeste, segundo a PRE. Um motorista, de 48 anos, morreu após uma batida entre o carro que ele dirigia e um caminhão, na noite deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O acidente acidente aconteceu na PR-323, em Cruzeiro do Oeste, noroeste do Paraná. De acordo com a PRE, a vítima dirigia um carro no sentido Umuarama, também no noroeste, quando bateu contra um caminhão, que seguia no sentido contrário da pista. O homem morreu na hora. O motorista do caminhão não se feriu. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




De janeiro até maio, segundo o Deral, produtores plantaram 35% do total esperado; entretanto, expectativa é de aumento de área plantada e de produção. Agricultores plantaram 35% da safra total de trigo prevista no Paraná Nos cinco primeiros meses de 2018, os produtores de trigo no Paraná plantaram 35% do esperado para a safra, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral). Mesmo com a diminuição da área plantada para o período, a expectativa do departamento é de haja aumento de área plantada e de produção no volume total da safra. O plantio de trigo no oeste do estado foi liberado em 20 de abril. Entretanto, muitos agricultores preferiram não plantar na época devido à previsão de poucas chuvas. Os que optaram por plantar, aguardam mais incidência de chuva para que a lavoura se recupere. Assista à reportagem do Caminhos do Campo. Falta de chuvas atrasou plantio em lavouras de trigo, no Paraná Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.
Falta de chuvas atrasa plantio em lavouras de trigo, no Paraná

De janeiro até maio, segundo o Deral, produtores plantaram 35% do total esperado; entretanto, expectativa é de aumento de área plantada e de produção. Agricultores plantaram 35% da safra total de trigo prevista no Paraná Nos cinco primeiros meses de 2018, os produtores de trigo no Paraná plantaram 35% do esperado para a safra, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral). Mesmo com a diminuição da área plantada para o período, a expectativa do departamento é de haja aumento de área plantada e de produção no volume total da safra. O plantio de trigo no oeste do estado foi liberado em 20 de abril. Entretanto, muitos agricultores preferiram não plantar na época devido à previsão de poucas chuvas. Os que optaram por plantar, aguardam mais incidência de chuva para que a lavoura se recupere. Assista à reportagem do Caminhos do Campo. Falta de chuvas atrasou plantio em lavouras de trigo, no Paraná Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.



Primeiro episódio mostra uma feira que, há mais de 20 anos, atrai o consumidor em Londrina, na esquina da rua Alagoas com a Avenida São Paulo, no Centro. Estreia da série 'É hora da feira' A série "É hora da feira", que estreia neste domingo (20), mostra os costumes do paranaenses por meio de passeios a feiras do estado. O primeiro episódio mostra uma feira que, há mais de 20 anos, atrai o consumidor em Londrina, na esquina da rua Alagoas com a Avenida São Paulo, no Centro. Veja a reportagem completa no vídeo acima.
Série 'É hora da feira', do Caminhos do Campo, mostra costumes do Paraná
Primeiro episódio mostra uma feira que, há mais de 20 anos, atrai o consumidor em Londrina, na esquina da rua Alagoas com a Avenida São Paulo, no Centro. Estreia da série 'É hora da feira' A série "É hora da feira", que estreia neste domingo (20), mostra os costumes do paranaenses por meio de passeios a feiras do estado. O primeiro episódio mostra uma feira que, há mais de 20 anos, atrai o consumidor em Londrina, na esquina da rua Alagoas com a Avenida São Paulo, no Centro. Veja a reportagem completa no vídeo acima.




Culinarista de Paranavaí ensina a trufar o bolo e incrementar a receita tradicional. Assista ao vídeo com a receite de como trufar com coco um bolo de abóbora O culinarista Fernando Ruiz, de Paranavaí, no noroeste do Paraná, ensina como incrementar a receita tradicional de bolo de abóbora, usando um método para trufá-lo com coco. Confira a receita e assista ao vídeo acima. Ingredientes Massa: 3 xícaras (chá) de farinha de trigo 2 xícaras (chá) de açúcar 3 ovos 1/2 xícara de óleo de soja 1/2 quilo de abóbora 1 colher de fermento em pó Recheio: 1 lata de leite condensado 1 colher de manteiga 1/2 xícara de coco ralado Calda: 1 lata de leite condensado 200 ml de leite de coco 200 ml de leite de vaca 1/2 xícara de coco ralado Modo de preparo: Em uma panela, misture leite condensado com manteiga e coco. Mexa, em fogo médio, até começar a desgrudar do fundo da panela. Reserve na geladeira. Em um liquidificador, bata óleo com ovos e abóbora. Na sequência, misture com os ingredientes secos da receita. Em uma forma untada coloque a massa. Faça bolinhas com o recheio que foi reservado na geladeira e passe as bolinhas na farinha. Coloque as bolinhas de recheio na massa, já dentro da assadeira. Em fogo médio, o bolo assa entre 30 e 40 minutos. Para a calda, misture leite de coco, leite condensado e leite. Depois de assado, desenforme o bolo, salpique coco ralado e despeje a calda. Culinarista ensina a preparar bolo de abóbora trufado com coco Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.
Aprenda a preparar bolo de abóbora trufado com coco

Culinarista de Paranavaí ensina a trufar o bolo e incrementar a receita tradicional. Assista ao vídeo com a receite de como trufar com coco um bolo de abóbora O culinarista Fernando Ruiz, de Paranavaí, no noroeste do Paraná, ensina como incrementar a receita tradicional de bolo de abóbora, usando um método para trufá-lo com coco. Confira a receita e assista ao vídeo acima. Ingredientes Massa: 3 xícaras (chá) de farinha de trigo 2 xícaras (chá) de açúcar 3 ovos 1/2 xícara de óleo de soja 1/2 quilo de abóbora 1 colher de fermento em pó Recheio: 1 lata de leite condensado 1 colher de manteiga 1/2 xícara de coco ralado Calda: 1 lata de leite condensado 200 ml de leite de coco 200 ml de leite de vaca 1/2 xícara de coco ralado Modo de preparo: Em uma panela, misture leite condensado com manteiga e coco. Mexa, em fogo médio, até começar a desgrudar do fundo da panela. Reserve na geladeira. Em um liquidificador, bata óleo com ovos e abóbora. Na sequência, misture com os ingredientes secos da receita. Em uma forma untada coloque a massa. Faça bolinhas com o recheio que foi reservado na geladeira e passe as bolinhas na farinha. Coloque as bolinhas de recheio na massa, já dentro da assadeira. Em fogo médio, o bolo assa entre 30 e 40 minutos. Para a calda, misture leite de coco, leite condensado e leite. Depois de assado, desenforme o bolo, salpique coco ralado e despeje a calda. Culinarista ensina a preparar bolo de abóbora trufado com coco Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.




Na visita, grupo aprende sobre os processos utilizados pelos agricultores brasileiros. Estudantes americanos percorrem propriedades rurais do Paraná para conhecer processos da agricultura familiar Um grupo de estudantes e professores americanos está percorrendo cidades do interior do Paraná para conhecer a realidade de produtores que desenvolvem a agricultura familiar. Na visita, o grupo aprende sobre os processos utilizados pelos agricultores e estudam como a troca de experiências pode ser útil para gerar resultados. Em Floresta, no norte do estado, eles acompanharam a rotina de uma família que produz mel, mantém plantação de frutas e criação de animais. Assista à reportagem do Caminhos do Campo. Estudantes americanos percorrem propriedades rurais do Paraná para conhecer processos da agricultura familiar Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.
Estudantes americanos percorrem propriedades rurais do Paraná para conhecer processos da agricultura familiar

Na visita, grupo aprende sobre os processos utilizados pelos agricultores brasileiros. Estudantes americanos percorrem propriedades rurais do Paraná para conhecer processos da agricultura familiar Um grupo de estudantes e professores americanos está percorrendo cidades do interior do Paraná para conhecer a realidade de produtores que desenvolvem a agricultura familiar. Na visita, o grupo aprende sobre os processos utilizados pelos agricultores e estudam como a troca de experiências pode ser útil para gerar resultados. Em Floresta, no norte do estado, eles acompanharam a rotina de uma família que produz mel, mantém plantação de frutas e criação de animais. Assista à reportagem do Caminhos do Campo. Estudantes americanos percorrem propriedades rurais do Paraná para conhecer processos da agricultura familiar Reprodução/RPC Veja mais notícias na página Caminhos do Campo.




VÍDEOS: Paraná TV 2ª edição de sábado, 19 de maio




Crianças têm três e 13 anos; avó diz que mãe é usuária de drogas e tem histórico de maltratar as filhas. Suspeita não tem advogado constituído. Mãe é presa por suspeita de envenenar as filhas A Justiça decretou neste sábado (19) a prisão preventiva da mãe suspeita de dar veneno para as duas filhas – de três e 13 anos – em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. A mulher tem 33 anos e foi presa nesta manhã. Segundo a Polícia Civil, até a última atualização desta reportagem, ela não tinha advogado. Conforme as investigações, a suspeita é a de que a mãe tenha dado inseticida para as filhas. A avó das crianças e mãe da mulher presa prefere não ser identificada. Ela disse que a filha é usuária de drogas e tem histórico de maltratar as netas. “Quando eu cheguei perto da minha neta, ela relatou para mim que a mãe dela tinha “digerido” veneno num copo com água e ”ponhado” a faca no pescoço dela e fez ela tomar”. A avó continuou e disse que a neta de 13 anos conseguiu correr, e a mãe foi atrás com a faca na mão. Quanto à criança de três anos, a avó disse que quando entrou em casa os policiais estavam no sofá e avisaram que havia algo de errado. “Comecei a mexer com o neném, e o neném não se movia. Daí, nisso, veio a minha vizinha e pegou o neném e fez até o neném voltar. Daí os policiais chamaram o Samu.” De acordo com a Polícia Civil, a mulher vai passar a noite em uma carceragem provisória e deve ser levada para a Cadeia Pública Hildebrando de Souza no domingo (20). De acordo com o Conselho Tutelar, a avó possui a guarda da adolescente. A criança de três anos também foi deixada com a avó, como medida protetiva. A Vara da Infância e Juventude será notificada sobre a medida. Veja mais notícias da região em G1 Campos Gerais e Sul.
Justiça decreta prisão preventiva de mãe suspeita de dar veneno para as filhas em Ponta Grossa
Crianças têm três e 13 anos; avó diz que mãe é usuária de drogas e tem histórico de maltratar as filhas. Suspeita não tem advogado constituído. Mãe é presa por suspeita de envenenar as filhas A Justiça decretou neste sábado (19) a prisão preventiva da mãe suspeita de dar veneno para as duas filhas – de três e 13 anos – em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. A mulher tem 33 anos e foi presa nesta manhã. Segundo a Polícia Civil, até a última atualização desta reportagem, ela não tinha advogado. Conforme as investigações, a suspeita é a de que a mãe tenha dado inseticida para as filhas. A avó das crianças e mãe da mulher presa prefere não ser identificada. Ela disse que a filha é usuária de drogas e tem histórico de maltratar as netas. “Quando eu cheguei perto da minha neta, ela relatou para mim que a mãe dela tinha “digerido” veneno num copo com água e ”ponhado” a faca no pescoço dela e fez ela tomar”. A avó continuou e disse que a neta de 13 anos conseguiu correr, e a mãe foi atrás com a faca na mão. Quanto à criança de três anos, a avó disse que quando entrou em casa os policiais estavam no sofá e avisaram que havia algo de errado. “Comecei a mexer com o neném, e o neném não se movia. Daí, nisso, veio a minha vizinha e pegou o neném e fez até o neném voltar. Daí os policiais chamaram o Samu.” De acordo com a Polícia Civil, a mulher vai passar a noite em uma carceragem provisória e deve ser levada para a Cadeia Pública Hildebrando de Souza no domingo (20). De acordo com o Conselho Tutelar, a avó possui a guarda da adolescente. A criança de três anos também foi deixada com a avó, como medida protetiva. A Vara da Infância e Juventude será notificada sobre a medida. Veja mais notícias da região em G1 Campos Gerais e Sul.




Segundo a polícia, criança estava no colo da mãe no momento da batida entre um Astra e uma caminhonete Amarok - a lei determina que ela seja transportada em uma cadeirinha. Criança de 1 ano e 11 meses morre em acidente Um bebê de um ano morreu na tarde deste sábado (19) em uma batida entre um Astra e uma caminhonete Amarok na BR-277, em trecho próximo do município de Santa Tereza do Oeste. Outras cinco pessoas ficaram feridas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o bebê estava no colo da mãe - a legislação nacional determina que crianças de 1 a 4 anos sejam transportadas em cadeirinhas. Batida na BR-277 deixou uma criança morta e cinco pessoas feridas PRF/Divulgação O motorista da caminhonete e dois ocupantes do carro ficaram gravemente feridos. O motorista e um outro ocupante do Astra tiveram apenas ferimentos leves. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Bebê morre e cinco adultos ficam feridos em acidente na BR-277, no oeste do Paraná

Segundo a polícia, criança estava no colo da mãe no momento da batida entre um Astra e uma caminhonete Amarok - a lei determina que ela seja transportada em uma cadeirinha. Criança de 1 ano e 11 meses morre em acidente Um bebê de um ano morreu na tarde deste sábado (19) em uma batida entre um Astra e uma caminhonete Amarok na BR-277, em trecho próximo do município de Santa Tereza do Oeste. Outras cinco pessoas ficaram feridas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o bebê estava no colo da mãe - a legislação nacional determina que crianças de 1 a 4 anos sejam transportadas em cadeirinhas. Batida na BR-277 deixou uma criança morta e cinco pessoas feridas PRF/Divulgação O motorista da caminhonete e dois ocupantes do carro ficaram gravemente feridos. O motorista e um outro ocupante do Astra tiveram apenas ferimentos leves. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Mulher de 21 anos, que saiu de Umuarama, foi presa com 9,7 quilos de maconha. À polícia, ela disse que entregaria a droga para outra mulher, que também foi identificada e detida. Droga foi encontrada com mulher que desembarcou na rodoviária PM/Divulgação Duas mulheres foram presas suspeitas de tráfico de drogas na tarde deste sábado (19) em Telêmaco Borba, nos Campos Gerais do Paraná. Segundo a Polícia Militar (PM), houve a denúncia de que uma passageira desembarcaria na rodoviária transportando drogas. Ao fiscalizar o entorno, a equipe conseguiu identificar a suspeita - uma mulher de 21 anos, que saiu de Umuarama, com 9,7 quilos de maconha. À polícia, ela disse que entregaria a droga para outra mulher, que também foi identificada e presa. As duas foram levadas para a Delegacia de Telêmaco Borba. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Mulheres são presas suspeitas de tráfico de drogas na Rodoviária de Telêmaco Borba

Mulher de 21 anos, que saiu de Umuarama, foi presa com 9,7 quilos de maconha. À polícia, ela disse que entregaria a droga para outra mulher, que também foi identificada e detida. Droga foi encontrada com mulher que desembarcou na rodoviária PM/Divulgação Duas mulheres foram presas suspeitas de tráfico de drogas na tarde deste sábado (19) em Telêmaco Borba, nos Campos Gerais do Paraná. Segundo a Polícia Militar (PM), houve a denúncia de que uma passageira desembarcaria na rodoviária transportando drogas. Ao fiscalizar o entorno, a equipe conseguiu identificar a suspeita - uma mulher de 21 anos, que saiu de Umuarama, com 9,7 quilos de maconha. À polícia, ela disse que entregaria a droga para outra mulher, que também foi identificada e presa. As duas foram levadas para a Delegacia de Telêmaco Borba. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Acidente ocorreu na manhã deste sábado (19). Mulher de 35 anos foi levada para hospital com ferimentos moderados. Mulher é atingida por árvore no Centro de Curitiba Elaine Mendez Uma árvore caiu em cima de uma mulher no Centro de Curitiba neste sábado (19). De acordo com o Corpo de Bombeiros, ela tem 35 anos e foi levada para o Hospita Evangélico com ferimentos moderados. O acidente aconteceu na Rua Marechal Deodoro esquina com a Rua Barão do Rio Branco, por volta das 11h. O hospital não divulgou detalhes sobre o estado de saúde da vítima. Contudo, informou que a mulher teve uma fratura e que passará por cirurgia. Não há previsão de quando ela deve deixar o hospital. Mulher teve ferimentos moderados, de acordo com o Corpo dos Bombeiros Elaine Mendez Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.
Árvore cai e atinge pedestre no Centro de Curitiba

Acidente ocorreu na manhã deste sábado (19). Mulher de 35 anos foi levada para hospital com ferimentos moderados. Mulher é atingida por árvore no Centro de Curitiba Elaine Mendez Uma árvore caiu em cima de uma mulher no Centro de Curitiba neste sábado (19). De acordo com o Corpo de Bombeiros, ela tem 35 anos e foi levada para o Hospita Evangélico com ferimentos moderados. O acidente aconteceu na Rua Marechal Deodoro esquina com a Rua Barão do Rio Branco, por volta das 11h. O hospital não divulgou detalhes sobre o estado de saúde da vítima. Contudo, informou que a mulher teve uma fratura e que passará por cirurgia. Não há previsão de quando ela deve deixar o hospital. Mulher teve ferimentos moderados, de acordo com o Corpo dos Bombeiros Elaine Mendez Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.



Suspeitos atiraram contra o veículo e fugiram levando celulares e dinheiro dos passageiros, segundo a PRE; crime foi registrado neste sábado (19), na PR-444. Um homem ficou ferido após ser baleado durante um assalto a um ônibus de turismo na madrugada deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O assalto ocorreu na PR-444, em Apucarana, no norte do Paraná. O passageiro ferido foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital João de Freitas, em Arapongas. Não foi divulgado o estado de saúde da vítima. Os suspeitos fugiram levando celulares e dinheiro dos passageiros. Ninguém foi preso. Conforme a polícia, o ônibus saiu da cidade de Assis, em São Paulo, com destino a Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Em Arapongas o veículo foi abordado por um carro, com quatro homens. Os suspeitos atiraram contra o ônibus e anunciaram o assalto, segundo a PRE. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Passageiro fica ferido durante assalto a ônibus de turismo, em Apucarana
Suspeitos atiraram contra o veículo e fugiram levando celulares e dinheiro dos passageiros, segundo a PRE; crime foi registrado neste sábado (19), na PR-444. Um homem ficou ferido após ser baleado durante um assalto a um ônibus de turismo na madrugada deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O assalto ocorreu na PR-444, em Apucarana, no norte do Paraná. O passageiro ferido foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital João de Freitas, em Arapongas. Não foi divulgado o estado de saúde da vítima. Os suspeitos fugiram levando celulares e dinheiro dos passageiros. Ninguém foi preso. Conforme a polícia, o ônibus saiu da cidade de Assis, em São Paulo, com destino a Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Em Arapongas o veículo foi abordado por um carro, com quatro homens. Os suspeitos atiraram contra o ônibus e anunciaram o assalto, segundo a PRE. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Esta é a 24ª edição do evento, considerado um dos maiores do estado. Por causa da programação, ruas da região têm bloqueio até as 17h deste sábado (19). Fiéis se reúnem para a 24ª Marcha para Jesus de Curitiba Rodrigo Brito/ RPC Milhares de fiéis se reúnem no Centro Cívico de Curitiba para a 24ª Marcha para Jesus da cidade neste sábado (19). Até as 17h, integrantes de 150 denominações, entre igrejas e comunidades evangélicas da capital e região metropolitana, participam de uma diversificada programação. As ruas da região do Centro Cívico estão bloqueadas para o evento, considerado um dos maiores religiosos do estado. O tema deste ano é "Eu não me envergonho do Evangelho”. De acordo com a Polícia Militar (PM), o número de participantes chegou a 30 mil. Por volta das 14h, eram 20 mil fiéis. A estimativa da organização do evento é a de que a Marcha para Jesus receba 200 mil fiéis ao longo do dia. Bloqueio no trânsito Guardas municipais estão orientando pedestres e motoristas que passam pela região do Centro Cívico, uma vez que há ruas bloqueadas. Para os motoristas que passarem pela Nilo Peçanha, a orientação da Superintendência de Trânsito (Setran) é evitar as ruas Dr. Roberto Barrozo e Barão de Antonina. A melhor opção para quem precisar acessar a região central é seguir pela Trajano Reis e Doutor Muricy. Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.
Marcha para Jesus reúne fiéis no Centro Cívico de Curitiba

Esta é a 24ª edição do evento, considerado um dos maiores do estado. Por causa da programação, ruas da região têm bloqueio até as 17h deste sábado (19). Fiéis se reúnem para a 24ª Marcha para Jesus de Curitiba Rodrigo Brito/ RPC Milhares de fiéis se reúnem no Centro Cívico de Curitiba para a 24ª Marcha para Jesus da cidade neste sábado (19). Até as 17h, integrantes de 150 denominações, entre igrejas e comunidades evangélicas da capital e região metropolitana, participam de uma diversificada programação. As ruas da região do Centro Cívico estão bloqueadas para o evento, considerado um dos maiores religiosos do estado. O tema deste ano é "Eu não me envergonho do Evangelho”. De acordo com a Polícia Militar (PM), o número de participantes chegou a 30 mil. Por volta das 14h, eram 20 mil fiéis. A estimativa da organização do evento é a de que a Marcha para Jesus receba 200 mil fiéis ao longo do dia. Bloqueio no trânsito Guardas municipais estão orientando pedestres e motoristas que passam pela região do Centro Cívico, uma vez que há ruas bloqueadas. Para os motoristas que passarem pela Nilo Peçanha, a orientação da Superintendência de Trânsito (Setran) é evitar as ruas Dr. Roberto Barrozo e Barão de Antonina. A melhor opção para quem precisar acessar a região central é seguir pela Trajano Reis e Doutor Muricy. Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.



Denúncia foi feita, preliminarmente, por um outro preso, da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP1), a um defensor público. Corregedoria investiga denúncia de tortura e maus tratos a um preso em Pinhais A Corregedoria do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) investiga uma denúncia de tortura e maus-tratos a um preso do Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O presídio abriga presos da Operação Lava Jato. A denúncia foi feita, preliminarmente, por um outro preso, da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP1), a um defensor público. O denunciante, segundo a Defensoria Pública, relatou que o detento foi levado da PEP1 para tratamento no CMP, quando teve uma crise de asma, e foi agredido por agentes carcerários. O próprio preso relatou várias agressões aos defensores, dizendo que, dentro do presídio, existe um lugar apelidado de "Surda", um cômodo isolado, na parte de baixo da unidade, utilizado recorrentemente para violentar presos. O preso relatou que, em uma das vezes, foi agredido por reclamar da demora no atendimento no posto de enfermagem. Por isso, agentes teriam batido sua cabeça na parede e dado dois socos. Ao reagir, outros quatro agentes desferiram chutes e joelhadas enquanto ele estava no chão. Segundo ele, também deram-lhe remédios que não faziam parte do tratamento. O detento afirmou ainda ter recebido injeções sem prescrição médica, antes mesmo de ser atendido por profissional da saúde. A agressão, conforme o documento, foi em 15 de fevereiro deste ano. A partir deste dia, a denúncia diz que o preso passou a apresentar alucinações e problemas de ordem psicológica/psiquiátrica, passando então a receber medicações para controle. Um companheiro de cela do preso agredido também confirmou, segundo a Defensoria, que ele voltou para penitenciária com alucinações. Em depoimento ao conselho disciplinar, um dos agentes envolvidos disse que, ao reclamar da demora, o preso desrespeitou os funcionários e que, ao ser repreendido, se alterou e teve que ser contido à força. Segundo a Defensoria, há outras denúncias veladas de torturas dentro do CMP. Os relatos foram feitos a outros defensores, mas, até então, não havia uma denúncia formal. A Defensoria do Paraná já pediu à Corregedoria do Depen a apuração das denúncias de tortura dentro do Complexo Médico Penal. Uma cópia do documento, que relata as agressões, foi encaminhada ao Ministério Público que tome as medidas cabíveis neste caso. O caso está sendo apurado sob sigilo e, de acordo com o Depen, o procedimento administrativo encontra-se em fase inicial de instrução. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Corregedoria investiga denúncia de tortura e maus-tratos a preso na Região de Curitiba
Denúncia foi feita, preliminarmente, por um outro preso, da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP1), a um defensor público. Corregedoria investiga denúncia de tortura e maus tratos a um preso em Pinhais A Corregedoria do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) investiga uma denúncia de tortura e maus-tratos a um preso do Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O presídio abriga presos da Operação Lava Jato. A denúncia foi feita, preliminarmente, por um outro preso, da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP1), a um defensor público. O denunciante, segundo a Defensoria Pública, relatou que o detento foi levado da PEP1 para tratamento no CMP, quando teve uma crise de asma, e foi agredido por agentes carcerários. O próprio preso relatou várias agressões aos defensores, dizendo que, dentro do presídio, existe um lugar apelidado de "Surda", um cômodo isolado, na parte de baixo da unidade, utilizado recorrentemente para violentar presos. O preso relatou que, em uma das vezes, foi agredido por reclamar da demora no atendimento no posto de enfermagem. Por isso, agentes teriam batido sua cabeça na parede e dado dois socos. Ao reagir, outros quatro agentes desferiram chutes e joelhadas enquanto ele estava no chão. Segundo ele, também deram-lhe remédios que não faziam parte do tratamento. O detento afirmou ainda ter recebido injeções sem prescrição médica, antes mesmo de ser atendido por profissional da saúde. A agressão, conforme o documento, foi em 15 de fevereiro deste ano. A partir deste dia, a denúncia diz que o preso passou a apresentar alucinações e problemas de ordem psicológica/psiquiátrica, passando então a receber medicações para controle. Um companheiro de cela do preso agredido também confirmou, segundo a Defensoria, que ele voltou para penitenciária com alucinações. Em depoimento ao conselho disciplinar, um dos agentes envolvidos disse que, ao reclamar da demora, o preso desrespeitou os funcionários e que, ao ser repreendido, se alterou e teve que ser contido à força. Segundo a Defensoria, há outras denúncias veladas de torturas dentro do CMP. Os relatos foram feitos a outros defensores, mas, até então, não havia uma denúncia formal. A Defensoria do Paraná já pediu à Corregedoria do Depen a apuração das denúncias de tortura dentro do Complexo Médico Penal. Uma cópia do documento, que relata as agressões, foi encaminhada ao Ministério Público que tome as medidas cabíveis neste caso. O caso está sendo apurado sob sigilo e, de acordo com o Depen, o procedimento administrativo encontra-se em fase inicial de instrução. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.



Segundo a polícia, 26 presos estavam na cela na hora da fuga - oito fugiram e os outros permaneceram. Até agora, nenhum deles foi recapturado. Nenhum preso que fugiu da carceragem da delegacia de Cascavel foi recapturado Oito presos serraram vigas no teto de uma cela da carceragem da Delegacia de Cascavel, no oeste do Paraná, e escaparam na madrugada deste sábado (19). Segundo a polícia, 26 presos estavam na cela na hora da fuga - além dos oito fugitivos, os outros permaneceram na cela. Até agora, nenhum detento foi recapturado, diz a Polícia Civil. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Detentos serram vigas e fogem da carceragem da Delegacia de Cascavel
Segundo a polícia, 26 presos estavam na cela na hora da fuga - oito fugiram e os outros permaneceram. Até agora, nenhum deles foi recapturado. Nenhum preso que fugiu da carceragem da delegacia de Cascavel foi recapturado Oito presos serraram vigas no teto de uma cela da carceragem da Delegacia de Cascavel, no oeste do Paraná, e escaparam na madrugada deste sábado (19). Segundo a polícia, 26 presos estavam na cela na hora da fuga - além dos oito fugitivos, os outros permaneceram na cela. Até agora, nenhum detento foi recapturado, diz a Polícia Civil. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Andriele Gonçalves da Silva tem 22 anos e está desaparecida desde o dia 9 deste mês. Andriele desapareceu no dia 9 de maio, em Colombo Reprodução Um policial militar foi preso temporariamente na manhã deste sábado (19), suspeito pelo desaparecimento da estudante de direito Andriele Gonçalves da Silva, ex-mulher dele. A jovem está desaparecida há dez dias, desde uma chamada de vídeo com um amigo de dentro do quarto do apartamento onde mora, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. O PM foi preso pela Corregedoria da corporação, no Hospital Bom Retiro, e levado à Delegacia de Colombo para prestar depoimento. Ele preferiu ficar em silêncio e está sob a guarda da PM, que vai decidir onde o suspeito vai ficar preso. A prisão é valida por 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Relembre o caso Segundo um amigo, que preferiu não se identificar, Andriele expressou espanto, como se tivesse aparecido alguém no quarto durante a conversa, e sumiu. No dia em que desapareceu, ela relatou estar com medo porque sentiu que alguém tivesse entrado no apartamento, segundo o amigo. Ele, por sua vez, disse que a orientou para que olhasse todos os cômodos da casa para ver se havia alguém no local. Depois da conversa, Andriele teria mandado mensagens para a família dizendo que estava indo embora para São Paulo. Mas, a mãe tentou fazer contato com ela e, depois de algumas conversas, desconfiou que não era jovem quem estava mandando as mensagens. A Polícia Civil informou que não ainda divulga detalhes sobre a busca pela estudante para não atrapalhar as investigações. O delegado aguarda laudos nas imagens e em manchas de sangue, encontrado no carro do suspeito. O que diz a PM A Polícia Militar (PM) afirma que o suspeito estava internado no hospital Bom Retiro desde a última quinta-feira, quando foi afastado das funções. O Batalhão informa ainda que as suspeitas em relação a ele surgiram somente após o internamento. A PM afirma que, desde a denúncia recebida, o 22° BPM está empenhado em esclarecer os fatos e abriu um procedimento ­administrativo interno para apurar a situação. Além disso, está colaborando com a Polícia Civil nas investigações. A PM diz que "não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e ressalta que, para qualquer situação potencial envolvendo policiais, busca a elucidação de todos os fatos, e, se restar comprovada responsabilidade, os instrumentos adequados de saneamento, correição e expurgo são adotados, na forma legal, sendo respeitados os direitos ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, para qualquer militar estadual e neste caso não é diferente". Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Policial militar é preso por suspeita de desaparecimento de ex-mulher em Colombo

Andriele Gonçalves da Silva tem 22 anos e está desaparecida desde o dia 9 deste mês. Andriele desapareceu no dia 9 de maio, em Colombo Reprodução Um policial militar foi preso temporariamente na manhã deste sábado (19), suspeito pelo desaparecimento da estudante de direito Andriele Gonçalves da Silva, ex-mulher dele. A jovem está desaparecida há dez dias, desde uma chamada de vídeo com um amigo de dentro do quarto do apartamento onde mora, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. O PM foi preso pela Corregedoria da corporação, no Hospital Bom Retiro, e levado à Delegacia de Colombo para prestar depoimento. Ele preferiu ficar em silêncio e está sob a guarda da PM, que vai decidir onde o suspeito vai ficar preso. A prisão é valida por 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Relembre o caso Segundo um amigo, que preferiu não se identificar, Andriele expressou espanto, como se tivesse aparecido alguém no quarto durante a conversa, e sumiu. No dia em que desapareceu, ela relatou estar com medo porque sentiu que alguém tivesse entrado no apartamento, segundo o amigo. Ele, por sua vez, disse que a orientou para que olhasse todos os cômodos da casa para ver se havia alguém no local. Depois da conversa, Andriele teria mandado mensagens para a família dizendo que estava indo embora para São Paulo. Mas, a mãe tentou fazer contato com ela e, depois de algumas conversas, desconfiou que não era jovem quem estava mandando as mensagens. A Polícia Civil informou que não ainda divulga detalhes sobre a busca pela estudante para não atrapalhar as investigações. O delegado aguarda laudos nas imagens e em manchas de sangue, encontrado no carro do suspeito. O que diz a PM A Polícia Militar (PM) afirma que o suspeito estava internado no hospital Bom Retiro desde a última quinta-feira, quando foi afastado das funções. O Batalhão informa ainda que as suspeitas em relação a ele surgiram somente após o internamento. A PM afirma que, desde a denúncia recebida, o 22° BPM está empenhado em esclarecer os fatos e abriu um procedimento ­administrativo interno para apurar a situação. Além disso, está colaborando com a Polícia Civil nas investigações. A PM diz que "não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e ressalta que, para qualquer situação potencial envolvendo policiais, busca a elucidação de todos os fatos, e, se restar comprovada responsabilidade, os instrumentos adequados de saneamento, correição e expurgo são adotados, na forma legal, sendo respeitados os direitos ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, para qualquer militar estadual e neste caso não é diferente". Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




Trânsito flui no sistema "siga e pare" até a tarde deste sábado (19), no trecho em Irati; um homem teve ferimentos leves, segundo a PRF. Acidente envolvendo duas carretas e um carro, na BR-277, deixou uma pessoa morta e outra ferida neste sábado (19) Divulgação/PRF Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em um acidente envolvendo duas carretas e um carro, na BR-277, em Irati, na região central do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A batida aconteceu na manhã deste sábado (19). Conforme a PRF, o motorista de uma das carretas morreu no local. O condutor da outra carreta teve ferimentos leves e foi levado para a Santa Casa de Irati. Os ocupantes do carro não se feriram. A polícia informou que o trânsito ficou totalmente bloqueado por três horas no trecho. A partir das 9h, o trânsito passou a ser intercalado no sistema "siga e pare", sem previsão de liberação, segundo a PRF. Carga de vidro de uma das carretas foi derramada sobre a pista após o acidente na BR-277, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRF Acidente De acordo com a PRF, uma das carretas, carregada com vidro, tombou no quilômetro 238 da rodovia e bateu contra a outra carreta, que vinha no sentido contrário. O carro atingiu os dois veículos na sequência. O corpo da vítima fatal foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. Carro bateu contra duas carretas, em acidente na BR-277, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRF Rodovia ficou totalmente interditada na manhã deste sábado (19), após o acidente entre duas carretas e um carro na BR-277 Divulgação/PRF Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Batida entre duas carretas e um carro na BR-277 deixa uma pessoa morta e outra ferida

Trânsito flui no sistema "siga e pare" até a tarde deste sábado (19), no trecho em Irati; um homem teve ferimentos leves, segundo a PRF. Acidente envolvendo duas carretas e um carro, na BR-277, deixou uma pessoa morta e outra ferida neste sábado (19) Divulgação/PRF Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em um acidente envolvendo duas carretas e um carro, na BR-277, em Irati, na região central do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A batida aconteceu na manhã deste sábado (19). Conforme a PRF, o motorista de uma das carretas morreu no local. O condutor da outra carreta teve ferimentos leves e foi levado para a Santa Casa de Irati. Os ocupantes do carro não se feriram. A polícia informou que o trânsito ficou totalmente bloqueado por três horas no trecho. A partir das 9h, o trânsito passou a ser intercalado no sistema "siga e pare", sem previsão de liberação, segundo a PRF. Carga de vidro de uma das carretas foi derramada sobre a pista após o acidente na BR-277, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRF Acidente De acordo com a PRF, uma das carretas, carregada com vidro, tombou no quilômetro 238 da rodovia e bateu contra a outra carreta, que vinha no sentido contrário. O carro atingiu os dois veículos na sequência. O corpo da vítima fatal foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. Carro bateu contra duas carretas, em acidente na BR-277, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRF Rodovia ficou totalmente interditada na manhã deste sábado (19), após o acidente entre duas carretas e um carro na BR-277 Divulgação/PRF Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Acidente aconteceu entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, neste sábado (19). Caminhoneiro morreu e um passageiro ficou ferido após tombamento na PR-559 Divulgação/PRE Uma pessoa morreu e outra ficou ferida após o tombamento de um caminhão na PR-559, trecho entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, no noroeste do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O acidente aconteceu na manhã deste sábado (19). O motorista do caminhão morreu no local. Um passageiro do veículo foi encaminhado para um hospital, em Paraíso do Norte. O estado de saúde dele não foi informado. Segundo a PRE, o motorista do caminhão perdeu o controle do veículo e bateu contra um barranco antes de tombar. O corpo do motorista foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Paranavaí, também no noroeste. Caminhão tombou na PR-559, entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRE Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Uma pessoa morre e outra fica ferida após tombamento de caminhão, na PR-559

Acidente aconteceu entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, neste sábado (19). Caminhoneiro morreu e um passageiro ficou ferido após tombamento na PR-559 Divulgação/PRE Uma pessoa morreu e outra ficou ferida após o tombamento de um caminhão na PR-559, trecho entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, no noroeste do Paraná, de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). O acidente aconteceu na manhã deste sábado (19). O motorista do caminhão morreu no local. Um passageiro do veículo foi encaminhado para um hospital, em Paraíso do Norte. O estado de saúde dele não foi informado. Segundo a PRE, o motorista do caminhão perdeu o controle do veículo e bateu contra um barranco antes de tombar. O corpo do motorista foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Paranavaí, também no noroeste. Caminhão tombou na PR-559, entre Paraíso do Norte e São Carlos do Ivaí, na manhã deste sábado (19) Divulgação/PRE Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Batida aconteceu neste sábado (19), entre Cianorte e Tapejara; um carro e o caminhão pegaram fogo, segundo a PRE. Caminhão pegou fogo depois de bater contra um carro, em acidente que deixou uma pessoa morta e três feridos na PR-323 Divulgação/PRE Um acidente entre um caminhão e dois carros deixou uma pessoa morta e três feridas na PR-323, entre Cianorte e Tapejara, no noroeste do Paraná, na manhã deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Duas pessoas que estavam em um dos carros e o motorista do caminhão ficaram feridos. Eles foram levados para a Santa Casa de Cianorte pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A Santa Casa não forneceu informações sobre o estado de saúde das vítimas. Uma pessoa morreu e três ficaram feridas no acidente entre um caminhão e dois carros, na PR-323 Divulgação/PRE A batida De acordo com a PRE, o caminhão seguia sentido Cianorte quando bateu contra um dos carros, que vinha no sentido contrário. O motorista do carro morreu no local. O caminhão pegou fogo em seguida. Um segundo carro, segundo a polícia, não conseguiu parar a tempo e também bateu contra os veículos. Segundo a PRE, caminhão bateu contra um carro na PR-323 na manhã deste sábado (19); em seguida, um outro carro não conseguiu frear e também se envolveu no acidente Divulgação/PRE Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Acidente entre caminhão e dois carros deixa uma pessoa morta e feridos, na PR-323

Batida aconteceu neste sábado (19), entre Cianorte e Tapejara; um carro e o caminhão pegaram fogo, segundo a PRE. Caminhão pegou fogo depois de bater contra um carro, em acidente que deixou uma pessoa morta e três feridos na PR-323 Divulgação/PRE Um acidente entre um caminhão e dois carros deixou uma pessoa morta e três feridas na PR-323, entre Cianorte e Tapejara, no noroeste do Paraná, na manhã deste sábado (19), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Duas pessoas que estavam em um dos carros e o motorista do caminhão ficaram feridos. Eles foram levados para a Santa Casa de Cianorte pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A Santa Casa não forneceu informações sobre o estado de saúde das vítimas. Uma pessoa morreu e três ficaram feridas no acidente entre um caminhão e dois carros, na PR-323 Divulgação/PRE A batida De acordo com a PRE, o caminhão seguia sentido Cianorte quando bateu contra um dos carros, que vinha no sentido contrário. O motorista do carro morreu no local. O caminhão pegou fogo em seguida. Um segundo carro, segundo a polícia, não conseguiu parar a tempo e também bateu contra os veículos. Segundo a PRE, caminhão bateu contra um carro na PR-323 na manhã deste sábado (19); em seguida, um outro carro não conseguiu frear e também se envolveu no acidente Divulgação/PRE Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Em todo o estado, há registro de transtorno por causa de chuva e ventos fortes  entre a noite de sexta-feira (18) e a madrugada de sábado (19). Chuva de granizo atingiu Teixeira Soares, na região central, na noite de sexta-feira (18) Simone Baumel Tullio/Arquivo pessoal A chuva de granizo que caiu sobre Teixeiras Soares, na região central do Paraná, na noite de sexta-feira (18), causou prejuízos, em pelo menos, 450 casas e atingiu 1.800 pessoas, de acordo com a Defesa Civil. A prefeitura informou que os moradores receberam atendimento do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, e que foram distribuídas lonas e telhas aos moradores. Ainda conforme a prefeitura, parte da delegacia da cidade ficou alagada por causa da chuva. Nesta manhã de sábado (19), a Prefeitura de Teixeira Soares decretou estado de Calamidade Pública, devido ao temporal de granizo. Chuva e ventos causam transtornos Diversas cidades do estado foram atingidas pelas fortes chuvas; há registro de queda de árvores e postes, entre a noite de sexta-feira e a madrugada deste sábado. Maringá O trânsito foi interditado em uma rua do centro de Maringá, no norte por causa da queda de uma árvore. Durante a madrugada, segundo a Defesa Civil, as rajadas de vento chegaram a até 57,2 km/h. A árvore, com cerca de 10 metros de altura, tombou na esquina da praça Kennedy com a Rua Luiz de Camões, e derrubou fios da rede elétrica. Em Maringá, houve queda de árvores com bloqueio de rua por causa das fortes chuvas Divulgação/Defesa Civil De acordo com o Simepar, a velocidade máxima do vento em Maringá foi registrada volta das 2 horas, mesmo horário em que começou a chuva. A previsão, segundo a prefeitura, é que o trânsito na praça Kennedy seja liberado ainda na manhã deste sábado. Ruas foram interditadas em Maringá depois de quedas de árvores por causa da chuva Divulgação/Defesa Civil Londrina Em Londrina, também no norte, os ventos chegaram a 65km/h, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Conforme os bombeiros, duas árvores caíram, uma delas sobre um veículo, na zona oeste da cidade. Ninguém ficou ferido. A Defesa Civil informou que houve duas queda de árvores, também sem vítimas. Até o início da manhã deste sábado, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que houve rompimento de um cabo de energia na Rua Hugo Cabaral, no Centro. O rompimento do cabo provocou a queda no fornecimento em toda região por cerca de quatro horas. Noroeste Na região noroeste, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) informou que recebeu pelo menos 10 chamados de quedas de árvores nas rodovias. Foram registrados casos na PR-323, entre Umuarama e Perobal, na PRC-158, entre Tamboara e Paranavaí, e na PR-489, entre Xambrê o distrito de Casa Branca. Conforme a PRE, as rodovias chegaram a ficar parcialmente interdidata. Já no período da manhã, apenas a PR-489 continua em meia-pista para a remoção de uma árvore. Não houve vítimas. Em Cianorte, na madrugada deste sábado, um motociclista morreu depois de bater contra um poste. A Polícia Militar informou que o acidente pode ter sido relacionado à chuva. Em Altônia, de acordo com a prefeitura, 50 casas ficaram destelhadas. Durante a noite de sexta-feira, os ventos chegaram a 124,2 km/h – as rajadas derrubaram árvores e postes. Uma árvore caiu na Avenida Sete de Setembro e, segundo o Corpo de Bombeiros, um motorista não viu a árvore e acabou batendo. Os bombeiros precisaram cortar a parte de cima do veículo para retirar o motorista, que foi levado para o hospital. Até a última atualização desta reportagem, ele estava em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O quadro de saúde é considerado estável. Companhia Paranaense de Energia (Copel), 800 unidades consumidoras estão sem energia elétrica. Cascavel e região Em Cascavel, no oeste, o Corpo de Bombeiros registrou dois atendimentos na cidade, sendo uma casa alagada e um deslizamento de terra sobre um muro. Ainda na região, em Capitão Leônidas Marques, foram três casas destelhadas. Chuva de granizo atingiu Teixeira Soares, na região central, na noite de sexta-feira (18) Simone Baumel Tullio/Arquivo pessoal Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Chuva de granizo destelha casas em Teixeira Soares, no interior do Paraná

Em todo o estado, há registro de transtorno por causa de chuva e ventos fortes  entre a noite de sexta-feira (18) e a madrugada de sábado (19). Chuva de granizo atingiu Teixeira Soares, na região central, na noite de sexta-feira (18) Simone Baumel Tullio/Arquivo pessoal A chuva de granizo que caiu sobre Teixeiras Soares, na região central do Paraná, na noite de sexta-feira (18), causou prejuízos, em pelo menos, 450 casas e atingiu 1.800 pessoas, de acordo com a Defesa Civil. A prefeitura informou que os moradores receberam atendimento do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, e que foram distribuídas lonas e telhas aos moradores. Ainda conforme a prefeitura, parte da delegacia da cidade ficou alagada por causa da chuva. Nesta manhã de sábado (19), a Prefeitura de Teixeira Soares decretou estado de Calamidade Pública, devido ao temporal de granizo. Chuva e ventos causam transtornos Diversas cidades do estado foram atingidas pelas fortes chuvas; há registro de queda de árvores e postes, entre a noite de sexta-feira e a madrugada deste sábado. Maringá O trânsito foi interditado em uma rua do centro de Maringá, no norte por causa da queda de uma árvore. Durante a madrugada, segundo a Defesa Civil, as rajadas de vento chegaram a até 57,2 km/h. A árvore, com cerca de 10 metros de altura, tombou na esquina da praça Kennedy com a Rua Luiz de Camões, e derrubou fios da rede elétrica. Em Maringá, houve queda de árvores com bloqueio de rua por causa das fortes chuvas Divulgação/Defesa Civil De acordo com o Simepar, a velocidade máxima do vento em Maringá foi registrada volta das 2 horas, mesmo horário em que começou a chuva. A previsão, segundo a prefeitura, é que o trânsito na praça Kennedy seja liberado ainda na manhã deste sábado. Ruas foram interditadas em Maringá depois de quedas de árvores por causa da chuva Divulgação/Defesa Civil Londrina Em Londrina, também no norte, os ventos chegaram a 65km/h, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Conforme os bombeiros, duas árvores caíram, uma delas sobre um veículo, na zona oeste da cidade. Ninguém ficou ferido. A Defesa Civil informou que houve duas queda de árvores, também sem vítimas. Até o início da manhã deste sábado, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que houve rompimento de um cabo de energia na Rua Hugo Cabaral, no Centro. O rompimento do cabo provocou a queda no fornecimento em toda região por cerca de quatro horas. Noroeste Na região noroeste, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) informou que recebeu pelo menos 10 chamados de quedas de árvores nas rodovias. Foram registrados casos na PR-323, entre Umuarama e Perobal, na PRC-158, entre Tamboara e Paranavaí, e na PR-489, entre Xambrê o distrito de Casa Branca. Conforme a PRE, as rodovias chegaram a ficar parcialmente interdidata. Já no período da manhã, apenas a PR-489 continua em meia-pista para a remoção de uma árvore. Não houve vítimas. Em Cianorte, na madrugada deste sábado, um motociclista morreu depois de bater contra um poste. A Polícia Militar informou que o acidente pode ter sido relacionado à chuva. Em Altônia, de acordo com a prefeitura, 50 casas ficaram destelhadas. Durante a noite de sexta-feira, os ventos chegaram a 124,2 km/h – as rajadas derrubaram árvores e postes. Uma árvore caiu na Avenida Sete de Setembro e, segundo o Corpo de Bombeiros, um motorista não viu a árvore e acabou batendo. Os bombeiros precisaram cortar a parte de cima do veículo para retirar o motorista, que foi levado para o hospital. Até a última atualização desta reportagem, ele estava em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O quadro de saúde é considerado estável. Companhia Paranaense de Energia (Copel), 800 unidades consumidoras estão sem energia elétrica. Cascavel e região Em Cascavel, no oeste, o Corpo de Bombeiros registrou dois atendimentos na cidade, sendo uma casa alagada e um deslizamento de terra sobre um muro. Ainda na região, em Capitão Leônidas Marques, foram três casas destelhadas. Chuva de granizo atingiu Teixeira Soares, na região central, na noite de sexta-feira (18) Simone Baumel Tullio/Arquivo pessoal Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.



Vítima foi levada para o Hospital Regional com ferimentos no pescoço e na perna; ninguém foi preso. Um homem de 28 anos ficou ferido depois de ser esfaqueado durante um assalto, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, segundo a Polícia Militar (PM). O assalto foi na noite de sexta-feira (18), na Rua Osório de Almeida Taques. Conforme a PM, o homem foi levado em estado grave para o Hospital Regional, com perfurações no pescoço e na perna. De acordo com os policiais, os suspeitos levaram uma mochila e o celular da vítima. Um punhal de 30 centímetros de lâmina foi encontrado próximo ao local, ainda de acordo com a polícia. Ninguém foi preso. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Homem é esfaqueado durante assalto em Ponta Grossa, diz PM
Vítima foi levada para o Hospital Regional com ferimentos no pescoço e na perna; ninguém foi preso. Um homem de 28 anos ficou ferido depois de ser esfaqueado durante um assalto, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, segundo a Polícia Militar (PM). O assalto foi na noite de sexta-feira (18), na Rua Osório de Almeida Taques. Conforme a PM, o homem foi levado em estado grave para o Hospital Regional, com perfurações no pescoço e na perna. De acordo com os policiais, os suspeitos levaram uma mochila e o celular da vítima. Um punhal de 30 centímetros de lâmina foi encontrado próximo ao local, ainda de acordo com a polícia. Ninguém foi preso. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Apreensão aconteceu em Pato Bragado; outros dois veículos foram apreendidos, segundo a PM. BPFron apreendeu quase 700 quilos de maconha na caçamba de uma picape em Pato Bragado Divulgação/BPFron Policiais militares do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) apreenderam quase 700 quilos de maconha na caçamba de uma picape em uma propriedade rural em Pato Bragado, região oeste do Paraná. A apreensão aconteceu na noite de sexta-feira (18). Segundo o BPFron, os suspeitos que estavam com o carro fugiram em meio a um matagal, ao perceberem a aproximação dos policiais. Ninguém foi preso. A polícia informou que a picape possui alerta de furto e que apreendeu também uma moto, um carro e documentos na propriedade, para apurar possível vínculo com o tráfico. Segundo o BPFron, os suspeitos que estavam com a picape carregada com quase 700 quilos de maconha, em Pato Bragado, fugiram em meio a um matagal Divulgação/BPFron Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Policiais apreendem quase 700 quilos de maconha em carroceria de picape; suspeitos fugiram

Apreensão aconteceu em Pato Bragado; outros dois veículos foram apreendidos, segundo a PM. BPFron apreendeu quase 700 quilos de maconha na caçamba de uma picape em Pato Bragado Divulgação/BPFron Policiais militares do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) apreenderam quase 700 quilos de maconha na caçamba de uma picape em uma propriedade rural em Pato Bragado, região oeste do Paraná. A apreensão aconteceu na noite de sexta-feira (18). Segundo o BPFron, os suspeitos que estavam com o carro fugiram em meio a um matagal, ao perceberem a aproximação dos policiais. Ninguém foi preso. A polícia informou que a picape possui alerta de furto e que apreendeu também uma moto, um carro e documentos na propriedade, para apurar possível vínculo com o tráfico. Segundo o BPFron, os suspeitos que estavam com a picape carregada com quase 700 quilos de maconha, em Pato Bragado, fugiram em meio a um matagal Divulgação/BPFron Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Acidente aconteceu na madrugada deste sábado (19); homem não possuía carteira de motorista, segundo a PM. Motociclista morreu depois de bater contra um poste em Cianorte Divulgação/PM Um motociclista morreu na madrugada deste sábado (19), em Cianorte, na região noroeste do Paraná, depois de bater contra um poste da rede elétrica, segundo a Polícia Militar (PM). O acidente aconteceu na Rua Paranapanema, na Zona 3. De acordo com a PM, a vítima não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O corpo do homem foi levado para o Instituto Médico-Legal de Campo Mourão, no centro-oeste do estado. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Motociclista morre depois de bater contra poste, em Cianorte

Acidente aconteceu na madrugada deste sábado (19); homem não possuía carteira de motorista, segundo a PM. Motociclista morreu depois de bater contra um poste em Cianorte Divulgação/PM Um motociclista morreu na madrugada deste sábado (19), em Cianorte, na região noroeste do Paraná, depois de bater contra um poste da rede elétrica, segundo a Polícia Militar (PM). O acidente aconteceu na Rua Paranapanema, na Zona 3. De acordo com a PM, a vítima não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O corpo do homem foi levado para o Instituto Médico-Legal de Campo Mourão, no centro-oeste do estado. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Apreensão foi registrada na BR-277; segundo a PRF, condutor já havia sido preso outras quatro vezes, nos últimos três anos. Motorista foi preso em Cascavel, ao transportar mais de 420 mil maços de cigarros em uma carreta, segundo a PRF Divulgação/PRF Um motorista, de 46 anos, foi preso na BR-277, em Cascavel, no oeste do Paraná, com uma carreta carregada com 425 mil maços de cigarros contrabandeados, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele foi abordado pelos policiais na sexta-feira (18), em frente ao posto policial. Conforme a PRF, o homem disse que pegou a carga em Guaíra, também no oeste do estado, e que pretendia levá-la até Curitiba. A PRF informou que o caso foi a quinta prisão do motorista nos últimos três anos, sendo quatro vezes por transportar cigarros contrabandeados. O homem, o caminhão e a carga foram levados para a Delegacia de Polícia Federal de Cascavel. Segundo a PRF, motorista preso com cigarros contrabandeados em Cascavel já havia sido detido outras quatro vezes nos últimos três anos Divulgação/PRF Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Motorista é preso com carreta carregada com mais de 420 mil maços de cigarros contrabandeados, em Cascavel

Apreensão foi registrada na BR-277; segundo a PRF, condutor já havia sido preso outras quatro vezes, nos últimos três anos. Motorista foi preso em Cascavel, ao transportar mais de 420 mil maços de cigarros em uma carreta, segundo a PRF Divulgação/PRF Um motorista, de 46 anos, foi preso na BR-277, em Cascavel, no oeste do Paraná, com uma carreta carregada com 425 mil maços de cigarros contrabandeados, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele foi abordado pelos policiais na sexta-feira (18), em frente ao posto policial. Conforme a PRF, o homem disse que pegou a carga em Guaíra, também no oeste do estado, e que pretendia levá-la até Curitiba. A PRF informou que o caso foi a quinta prisão do motorista nos últimos três anos, sendo quatro vezes por transportar cigarros contrabandeados. O homem, o caminhão e a carga foram levados para a Delegacia de Polícia Federal de Cascavel. Segundo a PRF, motorista preso com cigarros contrabandeados em Cascavel já havia sido detido outras quatro vezes nos últimos três anos Divulgação/PRF Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O Paraná abriu 9.228 novos postos de trabalho em abril deste ano, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (18) pelo Ministério do Trabalho. O Paraná teve crescimento nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano Agência Estadual de Notícias/Divulgação No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). Ditadura militar Integrantes da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (Cemdp), da Secretaria Especial de Direitos Humanos, farão buscas no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, a partir de terça-feira (22). Buscas pelos corpos que teriam sido enterrados em uma vala comum às margens da Estrada do Colono Arquivo Pessoal O objetivo da comitiva composta por 11 pessoas é identificar vestígios dos corpos de cinco perseguidos políticos da ditadura militar assassinados em uma emboscada em julho de 1974, quando o país era comandado pelo general Ernesto Geisel. 'Pipoterapia' Uma forte ligação de amor entre o pequeno Henrique, de seis anos, e o cãozinho de estimação dele, o Pipo, tem feito sucesso na internet. Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Conheça a história do menino Henrique e seu cãozinho, o Pipo Henrique tem paralisia cerebral e todos os dias quando chega da escola é recebido com o maior carinho do mundo pelo seu melhor amigo. A intimidade é tanta que Pipo nem pensa duas vezes em pular no colo do amigo e ganhar aquela caroninha na cadeira de rodas do portão até dentro de casa. 115 presos transferidos Cento e quinze presos que estavam na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba, começaram a ser transferidos para o sistema penitenciário na manhã desta sexta, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). Presos começaram a ser transferidos da Central de Flagrantes de Curitiba na manhã desta sexta (18) Reprodução/Sesp A Sesp informou que havia 130 pessoas detidas no local, cuja capacidade é para oito. Portanto, a carceragem ainda continuará com presos em excesso. Mãe acerta tiro em criança Uma criança foi atingida por um tiro disparado pela mãe durante uma briga dela com o marido, em Foz do Iguaçu. A mulher foi presa e encaminhada para a 6ª Subdivisão Policial (SDP) e deve responder por tentativa de homicídio. O menino, de um ano e dois meses, foi ferido em um dos tornozelos. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim das Palmeiras e liberado. Já o homem foi encaminhado em estado grave para um hospital, onde permanecia internado nesta sexta. Curtas e rápidas Prefeitura de Maringá publica lei que restringe a abertura de supermercados aos domingos Acidentes na BR-476 deixam quatro mortos e um ferido na Lapa Ministro dos Transportes anuncia investimentos de R$ 500 milhões para Foz do Iguaçu Diretora de colégio estadual chama polícia após ser ameaçada por estudante com faca Pais reclamam da demora do atendimento no Pronto Atendimento do Hospital Pequeno Príncipe Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Paraná, sexta-feira, 18 de maio de 2018

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O Paraná abriu 9.228 novos postos de trabalho em abril deste ano, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (18) pelo Ministério do Trabalho. O Paraná teve crescimento nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano Agência Estadual de Notícias/Divulgação No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). Ditadura militar Integrantes da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (Cemdp), da Secretaria Especial de Direitos Humanos, farão buscas no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, a partir de terça-feira (22). Buscas pelos corpos que teriam sido enterrados em uma vala comum às margens da Estrada do Colono Arquivo Pessoal O objetivo da comitiva composta por 11 pessoas é identificar vestígios dos corpos de cinco perseguidos políticos da ditadura militar assassinados em uma emboscada em julho de 1974, quando o país era comandado pelo general Ernesto Geisel. 'Pipoterapia' Uma forte ligação de amor entre o pequeno Henrique, de seis anos, e o cãozinho de estimação dele, o Pipo, tem feito sucesso na internet. Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Conheça a história do menino Henrique e seu cãozinho, o Pipo Henrique tem paralisia cerebral e todos os dias quando chega da escola é recebido com o maior carinho do mundo pelo seu melhor amigo. A intimidade é tanta que Pipo nem pensa duas vezes em pular no colo do amigo e ganhar aquela caroninha na cadeira de rodas do portão até dentro de casa. 115 presos transferidos Cento e quinze presos que estavam na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba, começaram a ser transferidos para o sistema penitenciário na manhã desta sexta, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). Presos começaram a ser transferidos da Central de Flagrantes de Curitiba na manhã desta sexta (18) Reprodução/Sesp A Sesp informou que havia 130 pessoas detidas no local, cuja capacidade é para oito. Portanto, a carceragem ainda continuará com presos em excesso. Mãe acerta tiro em criança Uma criança foi atingida por um tiro disparado pela mãe durante uma briga dela com o marido, em Foz do Iguaçu. A mulher foi presa e encaminhada para a 6ª Subdivisão Policial (SDP) e deve responder por tentativa de homicídio. O menino, de um ano e dois meses, foi ferido em um dos tornozelos. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim das Palmeiras e liberado. Já o homem foi encaminhado em estado grave para um hospital, onde permanecia internado nesta sexta. Curtas e rápidas Prefeitura de Maringá publica lei que restringe a abertura de supermercados aos domingos Acidentes na BR-476 deixam quatro mortos e um ferido na Lapa Ministro dos Transportes anuncia investimentos de R$ 500 milhões para Foz do Iguaçu Diretora de colégio estadual chama polícia após ser ameaçada por estudante com faca Pais reclamam da demora do atendimento no Pronto Atendimento do Hospital Pequeno Príncipe Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). O Paraná teve crescimento nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano Agência Estadual de Notícias/Divulgação O Paraná abriu 9.228 novos postos de trabalho em abril deste ano, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (18) pelo Ministério do Trabalho. O resultado é 36,8% maior do que no mesmo mês de 2017, quando foram criados 6.742 empregos formais com carteira assinada no estado, segundo o levantamento. No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). Entre janeiro e abril de 2018, foram criadas 36.731 postos de trabalho no Paraná, 1,43% a mais que no primeiro quadrimestre de 2017. O saldo dos últimos 12 meses é de 24.767 empregos formais. Saldo de empregos por setor em abril: Extrativa mineral: 51 Indústria de transformação: 2.439 Serviços industriais de utilidade pública: 111 Construção civil: 254 Comércio: 1.807 Serviços: 4.301 Administração pública: -126 Agropecuária: 391 O crescimento no número de empregos em abril foi observado em praticamente todos os setores, com exceção da administração pública, que teve retração de 0,35%. Para o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), Julio Suzuki Júnior, o resultado do estado revela a recuperação do poder aquisitivo dos paranaenses. “Houve uma preponderância no saldo positivo de vagas de serviços, que responde por mais da metade dos novos empregos com carteira assinada no quadrimestre. A grande contratação no setor mostra que a renda está se elevando”, explicou. Suzuki também destacou que houve um crescimento significativo nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano. “Este setor emprega mão de obra principalmente no interior do estado, como as indústrias frigoríficas e de laticínios, por exemplo”, ressaltou. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Paraná abre mais de 9 mil postos de trabalho com carteira assinada em abril

No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). O Paraná teve crescimento nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano Agência Estadual de Notícias/Divulgação O Paraná abriu 9.228 novos postos de trabalho em abril deste ano, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (18) pelo Ministério do Trabalho. O resultado é 36,8% maior do que no mesmo mês de 2017, quando foram criados 6.742 empregos formais com carteira assinada no estado, segundo o levantamento. No comparativo com outros estados, o Paraná registrou o terceiro melhor resultado do país, atrás de São Paulo (44.426) e Minas Gerais (23.563). Entre janeiro e abril de 2018, foram criadas 36.731 postos de trabalho no Paraná, 1,43% a mais que no primeiro quadrimestre de 2017. O saldo dos últimos 12 meses é de 24.767 empregos formais. Saldo de empregos por setor em abril: Extrativa mineral: 51 Indústria de transformação: 2.439 Serviços industriais de utilidade pública: 111 Construção civil: 254 Comércio: 1.807 Serviços: 4.301 Administração pública: -126 Agropecuária: 391 O crescimento no número de empregos em abril foi observado em praticamente todos os setores, com exceção da administração pública, que teve retração de 0,35%. Para o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), Julio Suzuki Júnior, o resultado do estado revela a recuperação do poder aquisitivo dos paranaenses. “Houve uma preponderância no saldo positivo de vagas de serviços, que responde por mais da metade dos novos empregos com carteira assinada no quadrimestre. A grande contratação no setor mostra que a renda está se elevando”, explicou. Suzuki também destacou que houve um crescimento significativo nas vagas da indústria alimentícia, com 1.117 novos postos em abril, e 2.238 empregos gerados no acumulado do ano. “Este setor emprega mão de obra principalmente no interior do estado, como as indústrias frigoríficas e de laticínios, por exemplo”, ressaltou. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná.
VÍDEOS: Paraná TV 2ª edição de sexta-feira, 18 de maio

Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná.




Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Conheça a história do menino Henrique e seu cãozinho, o Pipo Uma forte ligação de amor entre o pequeno Henrique, de seis anos, e o cãozinho de estimação dele, o Pipo, tem feito sucesso na internet. Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Assista ao vídeo acima. Henrique tem paralisia cerebral e todos os dias quando chega da escola é recebido com o maior carinho do mundo pelo seu melhor amigo - o Pipo. A intimidade é tanta que Pipo nem pensa duas vezes em pular no colo do amigo e ganhar aquela caroninha na cadeira de rodas do portão até dentro de casa. "Nunca na minha cabeça eu imaginei que iria expandir e viralizar tanto", contou o irmão Rodrigo Muraro. Pipo e Henrique, de seis aninhos Arquivo pessoal A mãe, Marilaine Muraro, contou que os médicos recomendaram que o tratamento de Henrique poderia melhorar com a ajuda de um cão. Com a chegada do Pipo, garante Marilaine, o menino melhorou os movimentos dos braços, das pernas e soltou as primeiras palavras. Segundo a mãe, em seis meses na companhia do Pipo, Henrique melhorou 90%. "A única coisa que se resolveu para o Henrique foi o Pipo. Você não vê nas pessoas, o amor que existe entre os dois", ressaltou Marilaine. A família agora está na luta para conseguir sessões de equoterapia, feita com cavalos. O objetivo é estimular os músculos e ossos do Henrique. "Há uma chance e uma possibilidade de ele estar andando. E é o que nós pais sonhamos", acrescentou, emocionada, a mãe. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Ligação de carinho entre cão indicado para tratamento de menino com paralisia viraliza na internet; assista ao vídeo

Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Conheça a história do menino Henrique e seu cãozinho, o Pipo Uma forte ligação de amor entre o pequeno Henrique, de seis anos, e o cãozinho de estimação dele, o Pipo, tem feito sucesso na internet. Em apenas dois dias, o vídeo postado pelo irmão de Henrique no Facebook teve 3,2 milhões de visualizações e 57 mil compartilhamentos. Assista ao vídeo acima. Henrique tem paralisia cerebral e todos os dias quando chega da escola é recebido com o maior carinho do mundo pelo seu melhor amigo - o Pipo. A intimidade é tanta que Pipo nem pensa duas vezes em pular no colo do amigo e ganhar aquela caroninha na cadeira de rodas do portão até dentro de casa. "Nunca na minha cabeça eu imaginei que iria expandir e viralizar tanto", contou o irmão Rodrigo Muraro. Pipo e Henrique, de seis aninhos Arquivo pessoal A mãe, Marilaine Muraro, contou que os médicos recomendaram que o tratamento de Henrique poderia melhorar com a ajuda de um cão. Com a chegada do Pipo, garante Marilaine, o menino melhorou os movimentos dos braços, das pernas e soltou as primeiras palavras. Segundo a mãe, em seis meses na companhia do Pipo, Henrique melhorou 90%. "A única coisa que se resolveu para o Henrique foi o Pipo. Você não vê nas pessoas, o amor que existe entre os dois", ressaltou Marilaine. A família agora está na luta para conseguir sessões de equoterapia, feita com cavalos. O objetivo é estimular os músculos e ossos do Henrique. "Há uma chance e uma possibilidade de ele estar andando. E é o que nós pais sonhamos", acrescentou, emocionada, a mãe. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



Regra que limita funcionamento ao primeiro domingo de cada mês entra em vigor em 90 dias a partir desta sexta-feira (18) Publicada a lei que regulamenta a abertura de mercados aos domingos A Prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, publicou nesta sexta-feira (18) a lei 10.606, que restringe a abertura de supermercados aos domingos. Estabelecimentos desse ramo que queiram abrir aos domingos só poderão utilizar o primeiro de cada mês. A lei foi sancionada pelo prefeito Ulisses Maia (PDT) na terça-feira (15), com o prazo de 90 dias para entrar em vigor. A contagem dos começa a partir desta sexta-feira, data da publicação. A restrição atinge os supermercados do segmento varejista e atacadista de gêneros alimentícios, que tenham mais de cinco funcionários. As empresas que se enquadram na nova regra também terão o horário de funcionamento delimitado entre 8h e 18h no domingo. O texto não traz restrições de abertura e horário de funcionamento para os demais dias da semana, à exceção de feriados. Conforme a nova lei, o funcionamento de supermercados em feriados nacionais ou locais dependerá de pedido de autorização na prefeitura, subscrito pelo sindicato dos funcionários. O projeto de lei foi aprovado na Câmara em 24 de abril, por 11 votos a dois. O autor da proposta, Carlos Mariucci (PT), justificou, durante a votação, que “toda pessoa tem direito ao culto religioso aos domingos e feriados”. Para o Sindicato dos Supermercados do Paraná (Sindimercados-PR), a lei “fere os princípios democráticos e vai na contramão da necessidade do país e da população, que é o emprego”. Questionada, a entidade informou que pretende continuar com a abertura das lojas aos domingos, dentro do prazo estabelecido pela lei – e que pretende recorrer à Justiça. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Prefeitura de Maringá publica lei que restringe a abertura de supermercados aos domingos
Regra que limita funcionamento ao primeiro domingo de cada mês entra em vigor em 90 dias a partir desta sexta-feira (18) Publicada a lei que regulamenta a abertura de mercados aos domingos A Prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, publicou nesta sexta-feira (18) a lei 10.606, que restringe a abertura de supermercados aos domingos. Estabelecimentos desse ramo que queiram abrir aos domingos só poderão utilizar o primeiro de cada mês. A lei foi sancionada pelo prefeito Ulisses Maia (PDT) na terça-feira (15), com o prazo de 90 dias para entrar em vigor. A contagem dos começa a partir desta sexta-feira, data da publicação. A restrição atinge os supermercados do segmento varejista e atacadista de gêneros alimentícios, que tenham mais de cinco funcionários. As empresas que se enquadram na nova regra também terão o horário de funcionamento delimitado entre 8h e 18h no domingo. O texto não traz restrições de abertura e horário de funcionamento para os demais dias da semana, à exceção de feriados. Conforme a nova lei, o funcionamento de supermercados em feriados nacionais ou locais dependerá de pedido de autorização na prefeitura, subscrito pelo sindicato dos funcionários. O projeto de lei foi aprovado na Câmara em 24 de abril, por 11 votos a dois. O autor da proposta, Carlos Mariucci (PT), justificou, durante a votação, que “toda pessoa tem direito ao culto religioso aos domingos e feriados”. Para o Sindicato dos Supermercados do Paraná (Sindimercados-PR), a lei “fere os princípios democráticos e vai na contramão da necessidade do país e da população, que é o emprego”. Questionada, a entidade informou que pretende continuar com a abertura das lojas aos domingos, dentro do prazo estabelecido pela lei – e que pretende recorrer à Justiça. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.



Decisão foi tomada nesta sexta-feira (18) com base na defesa dos vereadores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB), que estão afastados do cargo por determinação judicial.  Comissão que investiga dois vereadores de Londrina decide pela continuidade dos trabalhos A Comissão Processante da Câmara de Londrina, no norte do Paraná, que apura suposta quebra de decoro parlamentar dos vereadores réus na Operação ZR3, decidiu nesta sexta-feira (18) pela continuidade da investigação. A operação do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga o pagamento de propina a agentes públicos para mudanças de zoneamento urbano na cidade. A decisão da comissão foi tomada com base na defesa apresentada por Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB), que estão afastados do cargo por determinação judicial. Na reunião desta sexta, a investigação da comissão poderia, por exemplo, ter sido arquivada. Outra deliberação da comissão foi a definição do prazo para conclusão dos trabalhos para 24 de julho. Os integrantes decidiram que o prazo passou a contar no dia 24 de abril, quando o primeiro investigado foi notificado. A partir desta sexta, restam 67 dias de trabalho para a comissão. Takahashi e Alves apresentaram 18 testemunhas de defesa para serem ouvidas pela comissão, sendo uma em comum. Porém, ainda não há data para começar os interrogatórios. Primeiro, serão ouvidas as pessoas indicadas pela comissão, que não definiu os nomes. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Comissão da Câmara de Londrina que investiga vereadores réus na Operação ZR3 decide continuar apuração
Decisão foi tomada nesta sexta-feira (18) com base na defesa dos vereadores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB), que estão afastados do cargo por determinação judicial.  Comissão que investiga dois vereadores de Londrina decide pela continuidade dos trabalhos A Comissão Processante da Câmara de Londrina, no norte do Paraná, que apura suposta quebra de decoro parlamentar dos vereadores réus na Operação ZR3, decidiu nesta sexta-feira (18) pela continuidade da investigação. A operação do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga o pagamento de propina a agentes públicos para mudanças de zoneamento urbano na cidade. A decisão da comissão foi tomada com base na defesa apresentada por Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB), que estão afastados do cargo por determinação judicial. Na reunião desta sexta, a investigação da comissão poderia, por exemplo, ter sido arquivada. Outra deliberação da comissão foi a definição do prazo para conclusão dos trabalhos para 24 de julho. Os integrantes decidiram que o prazo passou a contar no dia 24 de abril, quando o primeiro investigado foi notificado. A partir desta sexta, restam 67 dias de trabalho para a comissão. Takahashi e Alves apresentaram 18 testemunhas de defesa para serem ouvidas pela comissão, sendo uma em comum. Porém, ainda não há data para começar os interrogatórios. Primeiro, serão ouvidas as pessoas indicadas pela comissão, que não definiu os nomes. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.



Colisões ocorreram na tarde desta sexta-feira (18), na Região Metropolitana de Curitiba. Quatro pessoas morreram e uma ficou ferida em dois acidentes registrados na tarde desta sexta-feira (18), na Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba. As colisões ocorreram na BR-476. O primeiro acidente aconteceu na altura do km 222. Por volta das 13h50, dois carros bateram de frente e uma pessoa morreu no local. O outro acidente ocorreu na altura do km 212 e também envolveu dois carros. Três pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Acidentes na BR-476 deixam quatro mortos e um ferido na Lapa
Colisões ocorreram na tarde desta sexta-feira (18), na Região Metropolitana de Curitiba. Quatro pessoas morreram e uma ficou ferida em dois acidentes registrados na tarde desta sexta-feira (18), na Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba. As colisões ocorreram na BR-476. O primeiro acidente aconteceu na altura do km 222. Por volta das 13h50, dois carros bateram de frente e uma pessoa morreu no local. O outro acidente ocorreu na altura do km 212 e também envolveu dois carros. Três pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



Ele foi condenado na mesma ação que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por corrupção passiva, crimes de lavagem de dinheiro e de associação criminosa. Fernando de Moura se entrega à Polícia Federal para cumprir pena O empresário Fernando Moura se entregou à Polícia Federal em Curitiba na tarde desta sexta-feira (18). Ele foi condenado na mesma ação que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por corrupção passiva, crimes de lavagem de dinheiro e de associação criminosa, com penas de doze anos e seis meses de reclusão. A defesa de Moura informou à Justiça, na quinta-feira (17), que se entregaria na capital paranaense. Por isso, não foi expedido mandado de prisão. Segundo as investigações da Operação Lava Jato, Moura representava Dirceu junto à Petrobras. Ele havia firmado um acordo de colaboração premiada, mas, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF), descumpriu as regras e teve a delação suspensa. Além de Dirceu e Moura, outras pessoas foram condenadas na ação: Renato Duque, Gerson Almada, Julio Cesar Santos, Renato Marques e Luiz Eduardo de Oliveira Silva. Já João Vaccari Neto, Cristiano Kok e José Antônio Sobrinho foram absolvidos. A denúncia O processo foi originado na investigação de esquema de irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras. O Ministério Público Federal (MPF) identificou 129 atos de corrupção ativa e 31 atos de corrupção passiva, entre os anos de 2004 e 2011. Empresas terceirizadas contratadas pela Petrobras pagavam uma prestação mensal para Dirceu por meio de Milton Pascowitch – lobista e um dos delatores da Lava Jato. Para o MPF, foi assim que o ex-ministro enriqueceu. Também foram identificadas, de acordo com o MPF, ilegalidades relacionadas à empreiteira Engevix. A empresa, segundo as investigações, pagava propina por meio de projetos junto à diretoria de Serviços e também celebrou contratos simulados com a JD Consultoria, empresa de Dirceu, realizando repasses de mais de R$ 1 milhão por serviços não prestados. Além de Dirceu, outras pessoas foram condenadas na ação: Renato Duque, Gerson Almada, Fernando Moura, Julio Cesar Santos, Renato Marques e Luiz Eduardo de Oliveira Silva. Já João Vaccari Neto, Cristiano Kok e José Antônio Sobrinho foram absolvidos. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Empresário Fernando Moura se entrega à Polícia Federal em Curitiba
Ele foi condenado na mesma ação que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por corrupção passiva, crimes de lavagem de dinheiro e de associação criminosa. Fernando de Moura se entrega à Polícia Federal para cumprir pena O empresário Fernando Moura se entregou à Polícia Federal em Curitiba na tarde desta sexta-feira (18). Ele foi condenado na mesma ação que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por corrupção passiva, crimes de lavagem de dinheiro e de associação criminosa, com penas de doze anos e seis meses de reclusão. A defesa de Moura informou à Justiça, na quinta-feira (17), que se entregaria na capital paranaense. Por isso, não foi expedido mandado de prisão. Segundo as investigações da Operação Lava Jato, Moura representava Dirceu junto à Petrobras. Ele havia firmado um acordo de colaboração premiada, mas, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF), descumpriu as regras e teve a delação suspensa. Além de Dirceu e Moura, outras pessoas foram condenadas na ação: Renato Duque, Gerson Almada, Julio Cesar Santos, Renato Marques e Luiz Eduardo de Oliveira Silva. Já João Vaccari Neto, Cristiano Kok e José Antônio Sobrinho foram absolvidos. A denúncia O processo foi originado na investigação de esquema de irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras. O Ministério Público Federal (MPF) identificou 129 atos de corrupção ativa e 31 atos de corrupção passiva, entre os anos de 2004 e 2011. Empresas terceirizadas contratadas pela Petrobras pagavam uma prestação mensal para Dirceu por meio de Milton Pascowitch – lobista e um dos delatores da Lava Jato. Para o MPF, foi assim que o ex-ministro enriqueceu. Também foram identificadas, de acordo com o MPF, ilegalidades relacionadas à empreiteira Engevix. A empresa, segundo as investigações, pagava propina por meio de projetos junto à diretoria de Serviços e também celebrou contratos simulados com a JD Consultoria, empresa de Dirceu, realizando repasses de mais de R$ 1 milhão por serviços não prestados. Além de Dirceu, outras pessoas foram condenadas na ação: Renato Duque, Gerson Almada, Fernando Moura, Julio Cesar Santos, Renato Marques e Luiz Eduardo de Oliveira Silva. Já João Vaccari Neto, Cristiano Kok e José Antônio Sobrinho foram absolvidos. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




Comitiva procura vestígios dos restos mortais de cinco perseguidos políticos no governo de Ernesto Geisel assassinados em uma emboscada em 1974. Aluízio Palmar em uma das buscas pelos corpos que teriam sido enterrados em uma vala comum às margens da Estrada do Colono, no Parque Nacional do Iguaçu Arquivo Pessoal Integrantes da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (Cemdp) farão buscas no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, a partir de terça-feira (22). O grupo de trabalho é ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. O objetivo da comitiva composta por 11 pessoas é identificar vestígios dos corpos de cinco perseguidos políticos da ditadura militar assassinados em uma emboscada em julho de 1974, quando o país era comandado pelo general Ernesto Geisel. No trabalho que deve se estender por dois dias serão usados detectores de metais. O equipamento pode ajudar a identificar cartuchos de balas usadas na execução das vítimas e com isso localizar onde foram enterradas. A equipe de legistas será coordenada pelo médico-perito do Instituto Médico-Legal (IML) de Brasília (DF), Samuel Ferreira. “Precisamos colocar um fim nesta história”, comentou a presidente da comissão, Eugênia Gonzaga. No grupo atraído pelo ex-sargento da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, Alberi Vieira dos Santos, estavam os irmãos Joel José e Daniel José de Carvalho, José Lavéchia, Victor Carlos Ramos e o argentino Enrique Ernesto Ruggia, militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). “Quase 44 anos depois se aprende a controlar a ansiedade em relação às expectativas. Mas, sempre renovamos a esperança em momentos como este. Nunca a perdemos. É por isso que depois de tanto tempo sigo exigindo do governo que devolva os corpos aos familiares e que os responsáveis sejam julgados”, comentou Lilian Ruggia, irmã de Enrique Ernesto, que na época tinha 18 anos. De acordo com as investigações, o grupo atraído pelo ex-sargento Alberi Vieira dos Santos foi morto no dia 13 de julho de 1974 Reprodução Emboscada Investigações feitas pelo jornalista Aluízio Palmar, ex-perseguido político que também recebeu o convite que acabou na execução do grupo, apontam que eles foram mortos em um trecho da antiga Estrada do Colono, que cortava o parque entre os municípios de Medianeira e Capanema. A história é contada no livro "Onde foi que vocês enterraram nossos mortos?", publicado em 2005. Desde que começou a apurar o que havia acontecido com os cinco, Palmar fez três buscas em locais indicados por testemunhas da emboscada. Em nenhuma foram encontradas pistas de onde estariam os corpos. As mortes foram confirmadas pelos depoimentos do soldado Otávio Camargo, militar do Centro de Informações do Exército (CIE), que dirigia o carro que levou o grupo para o Parque Nacional do Iguaçu, e do coronel Paulo Malhães, um dos coordenadores da operação. Eles foram oficialmente considerados desaparecidos políticos em 2003 pela Cemdp. Um ano depois, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) reforçou a condição, o que garantiu uma reparação financeira às famílias. Relatório da Cia O assunto voltou à tona depois da divulgação de um memorando elaborado pela CIA que relata uma reunião entre o ex-presidente Ernesto Geisel e outros militares em que o general autorizava execuções de opositores da ditadura militar. "Em 1º de abril, o presidente Geisel disse ao general Figueiredo que a política deve continuar, mas deve-se tomar muito cuidado para assegurar que apenas subversivos perigosos fossem executados", diz o documento. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos fará buscas por corpos no Parque Nacional do Iguaçu

Comitiva procura vestígios dos restos mortais de cinco perseguidos políticos no governo de Ernesto Geisel assassinados em uma emboscada em 1974. Aluízio Palmar em uma das buscas pelos corpos que teriam sido enterrados em uma vala comum às margens da Estrada do Colono, no Parque Nacional do Iguaçu Arquivo Pessoal Integrantes da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (Cemdp) farão buscas no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, a partir de terça-feira (22). O grupo de trabalho é ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. O objetivo da comitiva composta por 11 pessoas é identificar vestígios dos corpos de cinco perseguidos políticos da ditadura militar assassinados em uma emboscada em julho de 1974, quando o país era comandado pelo general Ernesto Geisel. No trabalho que deve se estender por dois dias serão usados detectores de metais. O equipamento pode ajudar a identificar cartuchos de balas usadas na execução das vítimas e com isso localizar onde foram enterradas. A equipe de legistas será coordenada pelo médico-perito do Instituto Médico-Legal (IML) de Brasília (DF), Samuel Ferreira. “Precisamos colocar um fim nesta história”, comentou a presidente da comissão, Eugênia Gonzaga. No grupo atraído pelo ex-sargento da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, Alberi Vieira dos Santos, estavam os irmãos Joel José e Daniel José de Carvalho, José Lavéchia, Victor Carlos Ramos e o argentino Enrique Ernesto Ruggia, militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). “Quase 44 anos depois se aprende a controlar a ansiedade em relação às expectativas. Mas, sempre renovamos a esperança em momentos como este. Nunca a perdemos. É por isso que depois de tanto tempo sigo exigindo do governo que devolva os corpos aos familiares e que os responsáveis sejam julgados”, comentou Lilian Ruggia, irmã de Enrique Ernesto, que na época tinha 18 anos. De acordo com as investigações, o grupo atraído pelo ex-sargento Alberi Vieira dos Santos foi morto no dia 13 de julho de 1974 Reprodução Emboscada Investigações feitas pelo jornalista Aluízio Palmar, ex-perseguido político que também recebeu o convite que acabou na execução do grupo, apontam que eles foram mortos em um trecho da antiga Estrada do Colono, que cortava o parque entre os municípios de Medianeira e Capanema. A história é contada no livro "Onde foi que vocês enterraram nossos mortos?", publicado em 2005. Desde que começou a apurar o que havia acontecido com os cinco, Palmar fez três buscas em locais indicados por testemunhas da emboscada. Em nenhuma foram encontradas pistas de onde estariam os corpos. As mortes foram confirmadas pelos depoimentos do soldado Otávio Camargo, militar do Centro de Informações do Exército (CIE), que dirigia o carro que levou o grupo para o Parque Nacional do Iguaçu, e do coronel Paulo Malhães, um dos coordenadores da operação. Eles foram oficialmente considerados desaparecidos políticos em 2003 pela Cemdp. Um ano depois, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) reforçou a condição, o que garantiu uma reparação financeira às famílias. Relatório da Cia O assunto voltou à tona depois da divulgação de um memorando elaborado pela CIA que relata uma reunião entre o ex-presidente Ernesto Geisel e outros militares em que o general autorizava execuções de opositores da ditadura militar. "Em 1º de abril, o presidente Geisel disse ao general Figueiredo que a política deve continuar, mas deve-se tomar muito cuidado para assegurar que apenas subversivos perigosos fossem executados", diz o documento. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Droga estava em uma caminhonete S10, abandonada na ponte, segundo a polícia. Veículo não tinha alerta de furto ou roubo, e motorista não foi encontrado. Droga foi encontrada em uma caminhonete abandonada em Guaíra PRF/Divulgação A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma tonelada de maconha nesta sexta-feira (18), na ponte Ayrton Senna, em Guaíra, na fronteira entre o Paraná e o Paraguai. A droga estava em uma caminhonete S10, abandonada na ponte, segundo a polícia. O veículo não tinha alerta de furto ou roubo e nem sinais de adulteração. Os policiais dizem acreditar que o veículo apresentou problemas mecânicos, por isso o motorista o abandonou e fugiu. Após a apreensão, os agentes realizaram buscas na região para localizar o motorista, no entanto, ele não foi encontrado. Veículo e droga foram encaminhados à Policia Federal em Guaíra. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Uma tonelada de maconha é apreendida na ponte Ayrton Senna, em Guaíra

Droga estava em uma caminhonete S10, abandonada na ponte, segundo a polícia. Veículo não tinha alerta de furto ou roubo, e motorista não foi encontrado. Droga foi encontrada em uma caminhonete abandonada em Guaíra PRF/Divulgação A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma tonelada de maconha nesta sexta-feira (18), na ponte Ayrton Senna, em Guaíra, na fronteira entre o Paraná e o Paraguai. A droga estava em uma caminhonete S10, abandonada na ponte, segundo a polícia. O veículo não tinha alerta de furto ou roubo e nem sinais de adulteração. Os policiais dizem acreditar que o veículo apresentou problemas mecânicos, por isso o motorista o abandonou e fugiu. Após a apreensão, os agentes realizaram buscas na região para localizar o motorista, no entanto, ele não foi encontrado. Veículo e droga foram encaminhados à Policia Federal em Guaíra. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Em 2013, Congresso promulgou emenda que cria cortes em Minas, Amazonas, Paraná e Bahia. Associação de procuradores contestou a medida na Justiça. O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal Carlos Moura/STF O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para julgamento uma ação que trata da criação de quatro novos tribunais regionais federais no país. Agora dependerá de a presidente do tribunal, ministra Cármen Lúcia, marcar uma data para julgamento da questão. Em 2013, o Congresso promulgou emenda constitucional que cria tribunais federais nos estados de Minas Gerais, Amazonas, Paraná e Bahia. Atualmente, há cinco tribunais regionais, com sede em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul, que representam a segunda instância da Justiça Federal. A Associação Nacional dos Procuradores Federais (Anpaf) entrou com ação contra a emenda, argumentando que a proposta foi originada em iniciativa parlamentar, enquanto a Constituição assegura ao STF e aos tribunais superiores a prerrogativa de propor lei sobre criação de tribunais. O presidente do Supremo na época, Joaquim Barbosa, concedeu uma liminar suspendendo a criação dos tribunais. Na época, Barbosa se reuniu com representantes de associações de magistrados e disse que a classe tinha agido de forma "sorrateira" ao apoiar a aprovação dos novos tribunais. Os juízes rebateram dizendo que Barbosa agiu de forma "desrespeitosa". Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) chegou a afirmar que os novos tribunais não resolveria a morosidade da Justiça, além de ter custo elevado. Associações de magistrados, por outro lado, defenderam que o aumento da estrutura do Judiciário ajudaria a sociedade a ter seus direitos reconhecidos.
Fux libera para julgamento ação sobre criação de quatro novos tribunais regionais

Em 2013, Congresso promulgou emenda que cria cortes em Minas, Amazonas, Paraná e Bahia. Associação de procuradores contestou a medida na Justiça. O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal Carlos Moura/STF O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para julgamento uma ação que trata da criação de quatro novos tribunais regionais federais no país. Agora dependerá de a presidente do tribunal, ministra Cármen Lúcia, marcar uma data para julgamento da questão. Em 2013, o Congresso promulgou emenda constitucional que cria tribunais federais nos estados de Minas Gerais, Amazonas, Paraná e Bahia. Atualmente, há cinco tribunais regionais, com sede em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul, que representam a segunda instância da Justiça Federal. A Associação Nacional dos Procuradores Federais (Anpaf) entrou com ação contra a emenda, argumentando que a proposta foi originada em iniciativa parlamentar, enquanto a Constituição assegura ao STF e aos tribunais superiores a prerrogativa de propor lei sobre criação de tribunais. O presidente do Supremo na época, Joaquim Barbosa, concedeu uma liminar suspendendo a criação dos tribunais. Na época, Barbosa se reuniu com representantes de associações de magistrados e disse que a classe tinha agido de forma "sorrateira" ao apoiar a aprovação dos novos tribunais. Os juízes rebateram dizendo que Barbosa agiu de forma "desrespeitosa". Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) chegou a afirmar que os novos tribunais não resolveria a morosidade da Justiça, além de ter custo elevado. Associações de magistrados, por outro lado, defenderam que o aumento da estrutura do Judiciário ajudaria a sociedade a ter seus direitos reconhecidos.




Segundo Secretaria de Segurança Pública, ex-ministro chegou às 14h40. Ex-ministro ficará em cela coletiva de 30 metros quadrados. José Dirceu se apresenta antes da hora para cumprir pena de 30 anos O ex-ministro José Dirceu se entregou à Polícia Federal na tarde desta sexta-feira (18) e já está na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Dirceu chegou às 14h40 e foi recolhido ao bloco 5 do Centro de Detenção Provisória (CDP). O espaço reúne internos que, legalmente, possuem direito de custódia em locais específicos, como ex-policiais, idosos, políticos, além de presos com curso superior. A cela onde José Dirceu permanecerá é coletiva, tem aproximadamente 30 metros quadrados, camas do tipo beliche, chuveiro e vaso sanitário. Ainda de acordo com a secretaria, "assim como todos os outros detentos do sistema prisional, José Dirceu terá direito a quatro refeições diárias – café da manhã, almoço, janta e lanche noturno – e duas horas de banho de sol". O ex-ministro se entregou no começo da tarde, após determinação expedida pela Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (VEP/TJDFT). Ele deixou o apartamento onde mora no Sudoeste e seguiu para o Instituto Médico-Legal (vídeo abaixo). Depois de fazer o exame de corpo de delito, Dirceu foi em um carro da Polícia Federal para a Papuda. José Dirceu se apresentou, fez exames no IML e seguiu para a prisão na Papuda A Comissão Executiva Nacional do PT divulgou nota na qual afirma que o sistema judicial é "manipulado" e que o objetivo da Operação Lava Jato é perseguir o PT e excluir o partido da vida política. "Apesar das mentiras e injustiças, não conseguem nos distanciar do povo, que vê no PT e na candidatura do ex-presidente Lula a única esperança de que o Brasil volte a ser um país de justiça e oportunidades, melhor e mais justo", diz o texto da nota. Na quinta-feira (17), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, negou por unanimidade o último recurso de José Dirceu na segunda instância. Neste processo da Lava Jato, Dirceu foi condenado a 30 anos e 9 meses de prisão. A pena dele é a segunda mais alta dentro da Lava Jato até o momento. A primeira é a que foi aplicada a Renato Duque: 43 anos de prisão. Prédio, no Sudoeste, de onde saiu o ex-ministro José Dirceu para se apresentar à polícia TV Globo/Reprodução Dirceu ainda pode recorrer da condenação a instâncias superiores. Ele é acusado dos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro em processo que investiga irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras, dentro da Operação Lava Jato. Dirceu na Lava Jato O ex-ministro chegou a ficar preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017, quando conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus para aguardar o julgamento dos recursos em liberdade – mas com monitoramento por tornozeleira eletrônica. Em 19 de abril deste ano, o ministro do STF Dias Toffoli negou liminar em que defesa de Dirceu solicitava que ele não voltasse para a prisão mesmo após concluídos os recursos no TRF-4. Toffoli afirmou que não poderia decidir sobre esse pedido sozinho e encaminhou a decisão final à Segunda Turma, composta por cinco ministros, que ainda não analisou a matéria. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF. .
José Dirceu volta para a Papuda, no DF

Segundo Secretaria de Segurança Pública, ex-ministro chegou às 14h40. Ex-ministro ficará em cela coletiva de 30 metros quadrados. José Dirceu se apresenta antes da hora para cumprir pena de 30 anos O ex-ministro José Dirceu se entregou à Polícia Federal na tarde desta sexta-feira (18) e já está na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Dirceu chegou às 14h40 e foi recolhido ao bloco 5 do Centro de Detenção Provisória (CDP). O espaço reúne internos que, legalmente, possuem direito de custódia em locais específicos, como ex-policiais, idosos, políticos, além de presos com curso superior. A cela onde José Dirceu permanecerá é coletiva, tem aproximadamente 30 metros quadrados, camas do tipo beliche, chuveiro e vaso sanitário. Ainda de acordo com a secretaria, "assim como todos os outros detentos do sistema prisional, José Dirceu terá direito a quatro refeições diárias – café da manhã, almoço, janta e lanche noturno – e duas horas de banho de sol". O ex-ministro se entregou no começo da tarde, após determinação expedida pela Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (VEP/TJDFT). Ele deixou o apartamento onde mora no Sudoeste e seguiu para o Instituto Médico-Legal (vídeo abaixo). Depois de fazer o exame de corpo de delito, Dirceu foi em um carro da Polícia Federal para a Papuda. José Dirceu se apresentou, fez exames no IML e seguiu para a prisão na Papuda A Comissão Executiva Nacional do PT divulgou nota na qual afirma que o sistema judicial é "manipulado" e que o objetivo da Operação Lava Jato é perseguir o PT e excluir o partido da vida política. "Apesar das mentiras e injustiças, não conseguem nos distanciar do povo, que vê no PT e na candidatura do ex-presidente Lula a única esperança de que o Brasil volte a ser um país de justiça e oportunidades, melhor e mais justo", diz o texto da nota. Na quinta-feira (17), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, negou por unanimidade o último recurso de José Dirceu na segunda instância. Neste processo da Lava Jato, Dirceu foi condenado a 30 anos e 9 meses de prisão. A pena dele é a segunda mais alta dentro da Lava Jato até o momento. A primeira é a que foi aplicada a Renato Duque: 43 anos de prisão. Prédio, no Sudoeste, de onde saiu o ex-ministro José Dirceu para se apresentar à polícia TV Globo/Reprodução Dirceu ainda pode recorrer da condenação a instâncias superiores. Ele é acusado dos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro em processo que investiga irregularidades na diretoria de Serviços da Petrobras, dentro da Operação Lava Jato. Dirceu na Lava Jato O ex-ministro chegou a ficar preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017, quando conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus para aguardar o julgamento dos recursos em liberdade – mas com monitoramento por tornozeleira eletrônica. Em 19 de abril deste ano, o ministro do STF Dias Toffoli negou liminar em que defesa de Dirceu solicitava que ele não voltasse para a prisão mesmo após concluídos os recursos no TRF-4. Toffoli afirmou que não poderia decidir sobre esse pedido sozinho e encaminhou a decisão final à Segunda Turma, composta por cinco ministros, que ainda não analisou a matéria. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF. .




Investigações realizadas pela Delegacia da Polícia Civil, em Rosana (SP), apontaram que o grupo desmanchava os veículos para revender as peças. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Uma operação deflagrada pela Delegacia da Polícia Civil em Rosana (SP) prendeu nesta sexta-feira (18) oito pessoas investigadas pela suspeita de fazer parte de uma quadrilha, com atuação nos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo, especializada em furtos de caminhonetes. São sete homens e uma mulher que tiveram as prisões temporárias, válidas por um período de cinco dias, decretadas pela Justiça, através da Comarca de Rosana. Além de Rosana, em São Paulo, as prisões ainda ocorreram nas cidades de Dourados, Ivinhema e Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul. As investigações que resultaram na Operação Shirak apuram a prática dos crimes de furto, receptação, adulteração de sinal identificador e associação criminosa. Desde o ano passado, a Polícia Civil rastreou o envolvimento do grupo em pelo menos cinco furtos nas cidades de Euclides da Cunha Paulista, Sandovalina e Teodoro Sampaio, no Estado de São Paulo, e ainda no Paraná. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil As investigações apontaram que a associação criminosa também possuía núcleos de atuação em Dourados, Ivinhema e Nova Andradina, todos municípios no vizinho Estado do Mato Grosso do Sul. Depois de furtadas as caminhonetes, os integrantes da quadrilha desmanchavam os veículos para a revenda das peças, mediante a adulteração dos sinais identificadores. Além disso, também reutilizavam as peças em outras caminhonetes que acabavam revendidas. Para o serviço, o grupo possuía uma oficina mecânica que ficava incumbida do desmanche e do conserto das peças dos veículos a serem revendidas. Segundo as investigações, a revenda dos produtos ilícitos contava com a participação de empresas de ferro-velho e de autopeças. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil 'Sinal verde' As investigações identificaram que um homem de 37 anos, morador de Nova Andradina (MS) e apontado como o coordenador da associação criminosa, recebia as fotos das caminhonetes que eram alvos dos bandidos e as escolhia de acordo com sua conveniência, levando em consideração aspectos como o estado do veículo, a demanda dos revendedores, a facilidade de revenda na região e a viabilidade de adulteração de seus sinais identificadores. Após aprovar, ele autorizava o furto que era materializado com a atuação de criminosos espalhados pela região. Eles não eram contratados para um serviço específico, mas sempre aguardavam o “sinal verde” para furtarem e transportarem os automóveis. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Depois de furtadas, as caminhonetes eram levadas até o coordenador pelos próprios ladrões ou por outras pessoas que recebiam pelo serviço. Já em posse dos veículos, o coordenador avaliava se seriam revendidos ou desmanchados e suas peças adulteradas e comercializadas. Outro apontamento feito pelas investigações é de que empresários do ramo de ferro-velho inseriam as peças ilícitas de volta ao mercado, sempre com a falsa aparência de procedência lícita, conferida pela pessoa jurídica a que estão vinculados. “Durante o período de interceptação telefônica, foram ouvidas inúmeras ligações que bem demonstram a forma de atuação da quadrilha e como fazem a revenda de peças dos veículos subtraídos. Há fortes índicos de que outras pessoas que entraram em contato com os investigados também façam parte da associação criminosa, com robustos elementos de verdadeira organização criminosa, tendo atuação nos Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná”, apontou o promotor de Justiça de Rosana, Renato Queiroz de Lima, que se manifestou a favor da representação apresentada pela Polícia Civil pela prisão temporária de todos os envolvidos. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Apreensões O delegado responsável pela Operação Shirak, Ramon Euclides Guarnieri Pedrão, explicou ao G1 que também foram apreendidos nesta sexta-feira (18) quatro veículos, peças e documentos que serão periciados, além de um caminhão-guincho que era utilizado no transporte das caminhonetes furtadas. Ele salientou ao G1 que três dos homens presos são empresários dos ramos de ferro-velho e autopeças, enquanto a mulher operacionalizava a movimentação financeira do grupo. Os trabalhos também contaram com o apoio da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (18). Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil
Operação Shirak desmantela quadrilha interestadual especializada em furtos de caminhonetes

Investigações realizadas pela Delegacia da Polícia Civil, em Rosana (SP), apontaram que o grupo desmanchava os veículos para revender as peças. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Uma operação deflagrada pela Delegacia da Polícia Civil em Rosana (SP) prendeu nesta sexta-feira (18) oito pessoas investigadas pela suspeita de fazer parte de uma quadrilha, com atuação nos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo, especializada em furtos de caminhonetes. São sete homens e uma mulher que tiveram as prisões temporárias, válidas por um período de cinco dias, decretadas pela Justiça, através da Comarca de Rosana. Além de Rosana, em São Paulo, as prisões ainda ocorreram nas cidades de Dourados, Ivinhema e Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul. As investigações que resultaram na Operação Shirak apuram a prática dos crimes de furto, receptação, adulteração de sinal identificador e associação criminosa. Desde o ano passado, a Polícia Civil rastreou o envolvimento do grupo em pelo menos cinco furtos nas cidades de Euclides da Cunha Paulista, Sandovalina e Teodoro Sampaio, no Estado de São Paulo, e ainda no Paraná. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil As investigações apontaram que a associação criminosa também possuía núcleos de atuação em Dourados, Ivinhema e Nova Andradina, todos municípios no vizinho Estado do Mato Grosso do Sul. Depois de furtadas as caminhonetes, os integrantes da quadrilha desmanchavam os veículos para a revenda das peças, mediante a adulteração dos sinais identificadores. Além disso, também reutilizavam as peças em outras caminhonetes que acabavam revendidas. Para o serviço, o grupo possuía uma oficina mecânica que ficava incumbida do desmanche e do conserto das peças dos veículos a serem revendidas. Segundo as investigações, a revenda dos produtos ilícitos contava com a participação de empresas de ferro-velho e de autopeças. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil 'Sinal verde' As investigações identificaram que um homem de 37 anos, morador de Nova Andradina (MS) e apontado como o coordenador da associação criminosa, recebia as fotos das caminhonetes que eram alvos dos bandidos e as escolhia de acordo com sua conveniência, levando em consideração aspectos como o estado do veículo, a demanda dos revendedores, a facilidade de revenda na região e a viabilidade de adulteração de seus sinais identificadores. Após aprovar, ele autorizava o furto que era materializado com a atuação de criminosos espalhados pela região. Eles não eram contratados para um serviço específico, mas sempre aguardavam o “sinal verde” para furtarem e transportarem os automóveis. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Depois de furtadas, as caminhonetes eram levadas até o coordenador pelos próprios ladrões ou por outras pessoas que recebiam pelo serviço. Já em posse dos veículos, o coordenador avaliava se seriam revendidos ou desmanchados e suas peças adulteradas e comercializadas. Outro apontamento feito pelas investigações é de que empresários do ramo de ferro-velho inseriam as peças ilícitas de volta ao mercado, sempre com a falsa aparência de procedência lícita, conferida pela pessoa jurídica a que estão vinculados. “Durante o período de interceptação telefônica, foram ouvidas inúmeras ligações que bem demonstram a forma de atuação da quadrilha e como fazem a revenda de peças dos veículos subtraídos. Há fortes índicos de que outras pessoas que entraram em contato com os investigados também façam parte da associação criminosa, com robustos elementos de verdadeira organização criminosa, tendo atuação nos Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná”, apontou o promotor de Justiça de Rosana, Renato Queiroz de Lima, que se manifestou a favor da representação apresentada pela Polícia Civil pela prisão temporária de todos os envolvidos. Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Apreensões O delegado responsável pela Operação Shirak, Ramon Euclides Guarnieri Pedrão, explicou ao G1 que também foram apreendidos nesta sexta-feira (18) quatro veículos, peças e documentos que serão periciados, além de um caminhão-guincho que era utilizado no transporte das caminhonetes furtadas. Ele salientou ao G1 que três dos homens presos são empresários dos ramos de ferro-velho e autopeças, enquanto a mulher operacionalizava a movimentação financeira do grupo. Os trabalhos também contaram com o apoio da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (18). Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil Operação Shirak foi desencadeada nesta sexta-feira (18) Cedida/Polícia Civil




Segundo Valter Casimiro, recursos serão empregados na ampliação do aeroporto, em melhorias na BR-469 e na abertura da perimetral leste. Ministro dos transportes anuncia obras importantes para Foz do Iguaçu O ministro dos Transportes, Portos e Aviação, Valter Casimiro, anunciou nesta sexta-feira (18) em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, investimentos que chegam a R$ 500 milhões para melhorias na cidade. No pacote estão obras para a ampliação da capacidade do aeroporto e de melhorias na BR-469, no acesso ao terminal de passageiros. Segundo o ministro, também será aberta a perimetral leste, via de 14 km ligando a região da fronteira da argentina com a BR-277, desviando o trânsito de caminhões e carretas do Centro da cidade. Casimiro prevê que as melhorias devem estar concluídas em até dois anos. Anúncio de obras de infraestrutura foi feito na manhã desta sexta-feira (18) em Foz do Iguaçu Zito Terres/RPC Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Ministro dos Transportes anuncia investimentos de R$ 500 milhões para Foz do Iguaçu

Segundo Valter Casimiro, recursos serão empregados na ampliação do aeroporto, em melhorias na BR-469 e na abertura da perimetral leste. Ministro dos transportes anuncia obras importantes para Foz do Iguaçu O ministro dos Transportes, Portos e Aviação, Valter Casimiro, anunciou nesta sexta-feira (18) em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, investimentos que chegam a R$ 500 milhões para melhorias na cidade. No pacote estão obras para a ampliação da capacidade do aeroporto e de melhorias na BR-469, no acesso ao terminal de passageiros. Segundo o ministro, também será aberta a perimetral leste, via de 14 km ligando a região da fronteira da argentina com a BR-277, desviando o trânsito de caminhões e carretas do Centro da cidade. Casimiro prevê que as melhorias devem estar concluídas em até dois anos. Anúncio de obras de infraestrutura foi feito na manhã desta sexta-feira (18) em Foz do Iguaçu Zito Terres/RPC Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná.
VÍDEOS: Paraná TV 1ª edição de sexta-feira, 18 de maio

Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná. Assista aos vídeos dos telejornais com as notícias do Paraná.




Motorista fugiu após batida em Tapejara, no noroeste do Paraná, na noite de quinta-feira (17). Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não soube informar a quantidade de produto apreendida. Carro carregado com balões foi apreendido após acidente na PR-323, em Tapejara Corpo de Bombeiros/Divulgação Um carro carregado com balões contrabandeados do Paraguai foi apreendido na PR-323, em Tapejara, no noroeste do Paraná, após um acidente na rodovia na noite de quinta-feira (17). O motorista do veículo não foi encontrado após a batida, segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). A PRE informou que o condutor perdeu o controle da direção do veículo e bateu contra um barranco. Depois disso, abandonou o automóvel, que tem placas de Araraquara, no interior do São Paulo. A polícia não soube informar a quantidade de balões apreendidos, pois estavam todos soltos, disse apenas que era uma grande quantidade. Não foi encontrado outro tipo de produto contrabandeado ou droga no veículo, ainda conforme a PRE. Até as 13h desta sexta-feira (18), o suspeito não havia sido localizado pela polícia. Nenhum documento foi deixado no automóvel. A mercadoria apreendida e o veículo foram levados à Delegacia da Receita Federal, em Maringá, no norte do estado. Motorista fugiu após batida em rodovia em Tapejara, no noroeste do Paraná Corpo de Bombeiros/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Carro carregado com balões contrabandeados é apreendido após acidente na PR-323

Motorista fugiu após batida em Tapejara, no noroeste do Paraná, na noite de quinta-feira (17). Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não soube informar a quantidade de produto apreendida. Carro carregado com balões foi apreendido após acidente na PR-323, em Tapejara Corpo de Bombeiros/Divulgação Um carro carregado com balões contrabandeados do Paraguai foi apreendido na PR-323, em Tapejara, no noroeste do Paraná, após um acidente na rodovia na noite de quinta-feira (17). O motorista do veículo não foi encontrado após a batida, segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). A PRE informou que o condutor perdeu o controle da direção do veículo e bateu contra um barranco. Depois disso, abandonou o automóvel, que tem placas de Araraquara, no interior do São Paulo. A polícia não soube informar a quantidade de balões apreendidos, pois estavam todos soltos, disse apenas que era uma grande quantidade. Não foi encontrado outro tipo de produto contrabandeado ou droga no veículo, ainda conforme a PRE. Até as 13h desta sexta-feira (18), o suspeito não havia sido localizado pela polícia. Nenhum documento foi deixado no automóvel. A mercadoria apreendida e o veículo foram levados à Delegacia da Receita Federal, em Maringá, no norte do estado. Motorista fugiu após batida em rodovia em Tapejara, no noroeste do Paraná Corpo de Bombeiros/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.