Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O governador Ratinho Junior determinou a contratação de uma auditoria externa para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência. A medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Governo vai contratar auditoria externa pra rever gastos com funcionários Segundo Ratinho Junior, a medida é necessária diante de algumas irregularidades já constatadas pela administração. Mortes por afogamento crescem 83% 11 pessoas morreram afogadas no litoral do estado desde 21 de dezembro de 2018, segundo informou a Operação Verão Paraná nesta terça-feira (22). Mais de 70 mil orientações e advertências foram feitas pelos guarda-vidas no litoral do Paraná nos primeiros 30 dias de operação Verão Paraná 2018/2019 Divulgação/AEN O número representa um crescimento de 83% nas ocorrências deste tipo em relação ao mesmo período do ano passado, quando 6 pessoas morreram afogadas nas cidades do litoral do Paraná. Caso Lula: PF indicia jornalista por vazar dados A Polícia Federal (PF) indiciou o jornalista Francisco José de Abreu Duarte pelo crime de embaraço a investigação de organização criminosa, devido ao vazamento sobre a 24ª fase da Operação Lava Jato, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado coercitivamente a prestar depoimento. O caso passou a ser investigado porque assessores do político teriam sido avisados de que a operação estava prestes a ser deflagrada. As informações eram sigilosas. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral A Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (22) dois mandados de prisão e mais dois de busca e apreensão, em Curitiba e Paranaguá, em virtude da Operação Reserva Garantida, que apura crimes de estelionato. A operação investiga a suspeita de crimes praticados por dois homens que simulavam a locação de casas para veraneio no litoral do Paraná, pela internet. Eles exigiam um depósito prévio para supostamente garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral do Paraná Divulgação/PCPR Funcionários da prefeitura de Cascavel são demitidos por vender combustível da frota do município Dois funcionários da prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, foram demitidos depois da conclusão de um processo administrativo aberto para apurar suspeitas de que estavam desviando e vendendo diesel reservado à frota do município. Servidores da prefeitura de Cascavel são exonerados A decisão foi publicada no diário oficial do município de sábado (19), após a conclusão do processo administrativo disciplinar aberto pela Corregedoria da Casa Civil. Curtas e rápidas Após denúncias, prefeitura suspende cirurgias em hospital em que atuava o ‘Doutor Faz-Tudo’ Mulher mata cão a pauladas após bicho latir para o cachorro dela, diz polícia Após buscas, corpo de menina de 13 anos é encontrado no Rio Paraná Caso Daniel: Justiça nega habeas corpus de jovens suspeitos de participação no crime MP de Contas recomenda redução de cargos comissionados na Câmara de Curitiba Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Paraná, terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O governador Ratinho Junior determinou a contratação de uma auditoria externa para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência. A medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Governo vai contratar auditoria externa pra rever gastos com funcionários Segundo Ratinho Junior, a medida é necessária diante de algumas irregularidades já constatadas pela administração. Mortes por afogamento crescem 83% 11 pessoas morreram afogadas no litoral do estado desde 21 de dezembro de 2018, segundo informou a Operação Verão Paraná nesta terça-feira (22). Mais de 70 mil orientações e advertências foram feitas pelos guarda-vidas no litoral do Paraná nos primeiros 30 dias de operação Verão Paraná 2018/2019 Divulgação/AEN O número representa um crescimento de 83% nas ocorrências deste tipo em relação ao mesmo período do ano passado, quando 6 pessoas morreram afogadas nas cidades do litoral do Paraná. Caso Lula: PF indicia jornalista por vazar dados A Polícia Federal (PF) indiciou o jornalista Francisco José de Abreu Duarte pelo crime de embaraço a investigação de organização criminosa, devido ao vazamento sobre a 24ª fase da Operação Lava Jato, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado coercitivamente a prestar depoimento. O caso passou a ser investigado porque assessores do político teriam sido avisados de que a operação estava prestes a ser deflagrada. As informações eram sigilosas. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral A Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (22) dois mandados de prisão e mais dois de busca e apreensão, em Curitiba e Paranaguá, em virtude da Operação Reserva Garantida, que apura crimes de estelionato. A operação investiga a suspeita de crimes praticados por dois homens que simulavam a locação de casas para veraneio no litoral do Paraná, pela internet. Eles exigiam um depósito prévio para supostamente garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral do Paraná Divulgação/PCPR Funcionários da prefeitura de Cascavel são demitidos por vender combustível da frota do município Dois funcionários da prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, foram demitidos depois da conclusão de um processo administrativo aberto para apurar suspeitas de que estavam desviando e vendendo diesel reservado à frota do município. Servidores da prefeitura de Cascavel são exonerados A decisão foi publicada no diário oficial do município de sábado (19), após a conclusão do processo administrativo disciplinar aberto pela Corregedoria da Casa Civil. Curtas e rápidas Após denúncias, prefeitura suspende cirurgias em hospital em que atuava o ‘Doutor Faz-Tudo’ Mulher mata cão a pauladas após bicho latir para o cachorro dela, diz polícia Após buscas, corpo de menina de 13 anos é encontrado no Rio Paraná Caso Daniel: Justiça nega habeas corpus de jovens suspeitos de participação no crime MP de Contas recomenda redução de cargos comissionados na Câmara de Curitiba Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




São 65 motos e 45 automóveis. Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23). Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23). Divulgação/Setran A Superintendência de Trânsito (Setran) de Curitiba vai leiloar 110 carros e motos no sábado (26). Os itens foram apreendidos em fiscalizações e não foram reclamados pelos proprietários. Todos são veículos recolhidos em operações de fiscalização de trânsito, pela cidade, e que não foram retirados pelos proprietários no prazo estipulado por lei. São 65 motos e 45 automóveis. A lista completa dos veículos pode ser acessada no site do leilão. Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23) no pátio onde eles estão armazenados, na Rua Alberto Klemtz, 310, no bairro Portão, entre as 9h30 e 11h30 e das 13h30 às 16h. O pátio estará aberto até quinta-feira (24). Serviço O pregão acontece nas modalidades on-line e presencial às 9 horas de sábado. O endereço é Avenida Marechal Floriano Peixoto, 886, no Centro. Os lances iniciais para as motocicletas variam de R$ 200 a R$ 1,8 mil, dependendo do modelo. Já entre as opções de carros, os valores vão de R$ 600 a R$ 15 mil. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Setran de Curitiba vai leiloar 110 carros e motos no sábado (26)

São 65 motos e 45 automóveis. Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23). Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23). Divulgação/Setran A Superintendência de Trânsito (Setran) de Curitiba vai leiloar 110 carros e motos no sábado (26). Os itens foram apreendidos em fiscalizações e não foram reclamados pelos proprietários. Todos são veículos recolhidos em operações de fiscalização de trânsito, pela cidade, e que não foram retirados pelos proprietários no prazo estipulado por lei. São 65 motos e 45 automóveis. A lista completa dos veículos pode ser acessada no site do leilão. Os interessados podem verificar a condição de conservação dos carros pessoalmente a partir desta quarta-feira (23) no pátio onde eles estão armazenados, na Rua Alberto Klemtz, 310, no bairro Portão, entre as 9h30 e 11h30 e das 13h30 às 16h. O pátio estará aberto até quinta-feira (24). Serviço O pregão acontece nas modalidades on-line e presencial às 9 horas de sábado. O endereço é Avenida Marechal Floriano Peixoto, 886, no Centro. Os lances iniciais para as motocicletas variam de R$ 200 a R$ 1,8 mil, dependendo do modelo. Já entre as opções de carros, os valores vão de R$ 600 a R$ 15 mil. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Segundo Foztrans, novo contrato de monitoramento de velocidade nas vias vai aumentar o número de equipamentos de 45 para 62. Novos radares serão instalados em Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu terá novos radares de monitoramento de velocidade no trânsito a partir de fevereiro, segundo a previsão do Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans). Está em andamento uma licitação para a instalação de mais equipamentos de monitoramento de velocidade nas vias da cidade. A previsão é que a nova empresa contratada faça a fiscalização de 62 faixas nas ruas do município. O contrato antigo, que se encerrou em dezembro, previa o monitoramento de 45 faixas. Novo contrato prevê que 62 faixas de trânsito sejam monitoradas na cidade. Até dezembro, 45 faixas tinham radares. Reprodução/RPC Os equipamentos antigos já foram retirados com o encerramento do contrato anterior. "São equipamentos mais modernos, com alguns novos locais", afirmou a engenheira de tráfego da Foztrans, Priscila Mantovani. Segundo o órgão, os novos locais onde serão instalados os equipamentos ainda estão em fase de análise. Queda no número de multas; aumento na arrecadação O número de multas aplicadas pelo instituto caiu ao longo dos últimos anos. Confira os dados: 2016 - 93,6 mil infrações. 2017 - 90,6 mil infrações. 2018 - 86,3 mil infrações. Por outro lado, a arrecadação do Foztrans com multas aumentou no período. 2016 - R$ 5,6 milhões. 2017 - R$ 7,3 milhões. 2018 - R$ 9,7 milhões. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Foz do Iguaçu terá novos radares de trânsito a partir de fevereiro

Segundo Foztrans, novo contrato de monitoramento de velocidade nas vias vai aumentar o número de equipamentos de 45 para 62. Novos radares serão instalados em Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu terá novos radares de monitoramento de velocidade no trânsito a partir de fevereiro, segundo a previsão do Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans). Está em andamento uma licitação para a instalação de mais equipamentos de monitoramento de velocidade nas vias da cidade. A previsão é que a nova empresa contratada faça a fiscalização de 62 faixas nas ruas do município. O contrato antigo, que se encerrou em dezembro, previa o monitoramento de 45 faixas. Novo contrato prevê que 62 faixas de trânsito sejam monitoradas na cidade. Até dezembro, 45 faixas tinham radares. Reprodução/RPC Os equipamentos antigos já foram retirados com o encerramento do contrato anterior. "São equipamentos mais modernos, com alguns novos locais", afirmou a engenheira de tráfego da Foztrans, Priscila Mantovani. Segundo o órgão, os novos locais onde serão instalados os equipamentos ainda estão em fase de análise. Queda no número de multas; aumento na arrecadação O número de multas aplicadas pelo instituto caiu ao longo dos últimos anos. Confira os dados: 2016 - 93,6 mil infrações. 2017 - 90,6 mil infrações. 2018 - 86,3 mil infrações. Por outro lado, a arrecadação do Foztrans com multas aumentou no período. 2016 - R$ 5,6 milhões. 2017 - R$ 7,3 milhões. 2018 - R$ 9,7 milhões. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Secretaria de Segurança Pública do município afastou dois agentes das atividades de rua após a denúncia. Guardas Municipais são suspeitos de agredir moradores de rua em Maringá Servidores da Guarda Municipal de Maringá estão sendo investigados suspeitos de agredir moradores de rua da cidade, segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR). A investigação começou a partir de uma denúncia feita por um morador de rua em uma audiência pública realizada pelo Observatório das Metrópoles. "Segundo os relatos, os guardas chegavam chutando e xingando pessoas que estavam dormindo na praça", afirmou a presidente do observatório, Ana Lucia Rodrigues. De acordom com ela, uma mulher grávida estava entre os agredidos. Denúncia foi feita em uma audiência pública em outubro de 2018 Reprodução/RPC No momento, o MP está levantando provas a partir das denúncias feitas, mas de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Maringá, dois guardas foram afastados das atividades de rua até que o processo seja concluído. "Eles poderão responder por improbidade administrativa, caso fique comprovado este desvio da função", afirmou o secretário de Segurança Pública do município, Antônio Padilha. "Após concluído este trâmite, eles podem ser exonerados", disse Padilha. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Guardas municipais são investigados suspeitos de agredir moradores de rua, em Maringá

Secretaria de Segurança Pública do município afastou dois agentes das atividades de rua após a denúncia. Guardas Municipais são suspeitos de agredir moradores de rua em Maringá Servidores da Guarda Municipal de Maringá estão sendo investigados suspeitos de agredir moradores de rua da cidade, segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR). A investigação começou a partir de uma denúncia feita por um morador de rua em uma audiência pública realizada pelo Observatório das Metrópoles. "Segundo os relatos, os guardas chegavam chutando e xingando pessoas que estavam dormindo na praça", afirmou a presidente do observatório, Ana Lucia Rodrigues. De acordom com ela, uma mulher grávida estava entre os agredidos. Denúncia foi feita em uma audiência pública em outubro de 2018 Reprodução/RPC No momento, o MP está levantando provas a partir das denúncias feitas, mas de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Maringá, dois guardas foram afastados das atividades de rua até que o processo seja concluído. "Eles poderão responder por improbidade administrativa, caso fique comprovado este desvio da função", afirmou o secretário de Segurança Pública do município, Antônio Padilha. "Após concluído este trâmite, eles podem ser exonerados", disse Padilha. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Segundo a concessionária que administra o trecho, o caminhão perdeu o controle, o que fez com que os tratores se desprendessem e caíssem na pista. Tratores caíram de cima de caminhão nesta tarde na BR-376 Dois tratores que eram transportados por um caminhão na BR-376 tombaram no meio da pista e bloquearam a rodovia por cerca de duas horas no sentido Ponta Grossa, na tarde desta terça-feira (22), em Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná. Segundo a concessionária que administra o trecho, o caminhão perdeu o controle, o que fez com que os tratores se desprendessem e caíssem na pista. Chovia no momento do acidente. Os tratores foram deslocados para o canteiro central da rodovia para que o trânsito fosse liberado no local do acidente. O congestionamento chegou a 5 quilômetros, entre os km 555 e km 550. Acidente deixou BR-376 bloqueada por duas horas, causando 5 quilômetros de congestionamento. Reprodução/RPC Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Dois tratores que eram transportados por caminhão tombam e bloqueiam BR-376 por duas horas, em Palmeira

Segundo a concessionária que administra o trecho, o caminhão perdeu o controle, o que fez com que os tratores se desprendessem e caíssem na pista. Tratores caíram de cima de caminhão nesta tarde na BR-376 Dois tratores que eram transportados por um caminhão na BR-376 tombaram no meio da pista e bloquearam a rodovia por cerca de duas horas no sentido Ponta Grossa, na tarde desta terça-feira (22), em Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná. Segundo a concessionária que administra o trecho, o caminhão perdeu o controle, o que fez com que os tratores se desprendessem e caíssem na pista. Chovia no momento do acidente. Os tratores foram deslocados para o canteiro central da rodovia para que o trânsito fosse liberado no local do acidente. O congestionamento chegou a 5 quilômetros, entre os km 555 e km 550. Acidente deixou BR-376 bloqueada por duas horas, causando 5 quilômetros de congestionamento. Reprodução/RPC Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Segundo o órgão, 196 dos 348 cargos efetivos estão ocupados, enquanto nos cargos em comissão apenas 5 dos 317 estão vagos. O MPC concluiu que há desproporção entre o número de cargos efetivos e comissionados entre os funcionários da Câmara Câmara Municipal/ Divulgação O Ministério Público de Contas (MPC) recomendou, nesta terça-feira (22), que a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) reduza o número de cargos comissionados. A decisão segue uma denúncia feita pelo Sindicato de Servidores do Poder Legislativo do Município de Curitiba (SindiCâmara Curitiba). Depois de analisar o pedido do sindicato, o MPC concluiu que há desproporção entre o número de cargos efetivos e comissionados entre os funcionários da Câmara. De acordo com os documentos apresentados, há previsão de 348 cargos efetivos, mas apenas 196 estão ocupados, enquanto existem 317 cargos em comissão criados e 312 destas vagas estão ocupadas. Com base nessas informações, a Coordenadoria de Gestão Municipal (CGM) determinou que a CMC reduza o número de cargos comissionados para, no máximo, o mesmo número de servidores efetivos, sob pena de aplicação de multa para cada admissão que exceder ao limitador. O MPC identificou outras irregularidades, como a existência de cargos em comissão para o exercício de atribuições técnico-operacionais ou burocráticos, o que é vedada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná. Outra improbidade identificada foi a falta de exigência de formação mínima para cargos comissionados de assessoramento, chefia de gabinete parlamentar, diretoria geral, diretoria de cerimonial e diretoria de segurança. O que diz a CMC Em nota, a Comissão Executiva da Câmara Municipal de Curitiba informou que aguarda a decisão do TCE-PR sobre o parecer do MPC para avaliar quais medidas administrativas serão necessárias. A Câmara divulgou que já existe uma comissão formada para avaliar e propor melhorias na estrutura funcional da casa e no plano de carreira dos servidores. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
MP de Contas recomenda redução de cargos comissionados na Câmara de Curitiba

Segundo o órgão, 196 dos 348 cargos efetivos estão ocupados, enquanto nos cargos em comissão apenas 5 dos 317 estão vagos. O MPC concluiu que há desproporção entre o número de cargos efetivos e comissionados entre os funcionários da Câmara Câmara Municipal/ Divulgação O Ministério Público de Contas (MPC) recomendou, nesta terça-feira (22), que a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) reduza o número de cargos comissionados. A decisão segue uma denúncia feita pelo Sindicato de Servidores do Poder Legislativo do Município de Curitiba (SindiCâmara Curitiba). Depois de analisar o pedido do sindicato, o MPC concluiu que há desproporção entre o número de cargos efetivos e comissionados entre os funcionários da Câmara. De acordo com os documentos apresentados, há previsão de 348 cargos efetivos, mas apenas 196 estão ocupados, enquanto existem 317 cargos em comissão criados e 312 destas vagas estão ocupadas. Com base nessas informações, a Coordenadoria de Gestão Municipal (CGM) determinou que a CMC reduza o número de cargos comissionados para, no máximo, o mesmo número de servidores efetivos, sob pena de aplicação de multa para cada admissão que exceder ao limitador. O MPC identificou outras irregularidades, como a existência de cargos em comissão para o exercício de atribuições técnico-operacionais ou burocráticos, o que é vedada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná. Outra improbidade identificada foi a falta de exigência de formação mínima para cargos comissionados de assessoramento, chefia de gabinete parlamentar, diretoria geral, diretoria de cerimonial e diretoria de segurança. O que diz a CMC Em nota, a Comissão Executiva da Câmara Municipal de Curitiba informou que aguarda a decisão do TCE-PR sobre o parecer do MPC para avaliar quais medidas administrativas serão necessárias. A Câmara divulgou que já existe uma comissão formada para avaliar e propor melhorias na estrutura funcional da casa e no plano de carreira dos servidores. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.
VÍDEOS: Boa Noite Paraná de terça-feira, 22 de janeiro

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.



Francisco José de Abreu Duarte vai responder por embaraço de investigação por ter passado informações sobre operação, deflagrada em março de 2016, a blogueiro. A Polícia Federal (PF) indiciou o jornalista Francisco José de Abreu Duarte pelo crime de embaraço a investigação de organização criminosa, devido ao vazamento sobre a 24ª fase da Operação Lava Jato, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado coercitivamente a prestar depoimento. O caso passou a ser investigado porque assessores do político teriam sido avisados de que a operação estava prestes a ser deflagrada. As informações eram sigilosas. De acordo com as investigações, a auditora da Receita Federal Rosicler Veigel, que atuava na força-tarefa da Lava Jato, disse à PF que, em fevereiro de 2016, contou ao então namorado, Francisco Duarte, que uma "bomba" relacionada ao ex-presidente Lula estava prestes a acontecer. O inquérito foi concluído pelo delegado da PF Filipe Pace em 16 de janeiro, mas só foi anexado ao sistema eletrônico da Justiça nesta terça-feira (22). Com o indiciamento, o inquérito segue para o Ministério Público Federal (MPF) que avalia se oferece ou não denúncia à Justiça. O G1 tenta contato com a defesa de Francisco José de Abreu Duarte e de Rosicler Veigel. Relembre o caso Em 4 de março de 2016 Lula foi levado para prestar depoimento no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). Pouco mais de um ano depois, em 21 de março de 2017, o blogueiro Eduardo Guimarães, dono do Blog da Cidadania, foi conduzido coercitivamente à PF em São Paulo. Ele foi ouvido no inquérito da PF do Paraná que apurava o fato de Guimarães ter feito a divulgação antecipada da condução coercitiva de Lula na Lava Jato. Após o início das investigações sobre o vazamento da operação, Rosicler Veigel disse que, quando comentou com o então namorado sobre a ação, tinha levado para casa cópias das decisões que teve acesso, sobre a operação em que Lula seria alvo. No entanto, ela negou que tenha entregue os documentos a Abreu. A auditora disse que foi ele quem retirou os documentos da bolsa, sem que ela soubesse. Francisco Duarte também prestou depoimento. Ele confirmou que vazou as informações sobre a operação para o blogueiro Eduardo Guimarães. No entanto, Duarte negou que as informações tenham partido de Rosicler e invocou o direito constitucional para proteger a fonte. O ex-namorado da auditora afirmou ainda que, ao vazar as informações ao blogueiro, pediu que o Instituto Lula fosse avisado sobre a operação. Em depoimento, Guimarães admitiu que foi Duarte quem lhe passou as informações. Ele também disse que passou todas as informações ao assessor do Instituto Lula, José Chrispiniano. O blogueiro ainda disse imaginar que o assessor tenha repassados as informações sigilosas ao ex-presidente. À época, José Chrispiniano afirmou que é rotina de um assessor ser procurado por jornalistas para checagem de informações e que, no documento da Receita em que o blogueiro Eduardo Guimarães pediu para checar, não havia nenhum dado sobre busca e apreensão ou condução coercitiva. Segundo Chrispiniano, o documento só tinha informações sobre quebra de sigilo fiscal e bancário. O G1 tenta contato com a defesa do blogueiro Eduardo Guimarães. Moro se declarou suspeito A investigação estava sob a supervisão do ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública. Em 30 de maio de 2017, o então magistrado se declarou suspeito para seguir acompanhando o caso, devido a processos movidos pelo blogueiro Eduardo Guimarães contra ele. Depois disso, o processo foi redistribuído para a 23ª Vara Federal de Curitiba, comandada pelo juiz Nivaldo Brunoni. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
PF indicia jornalista por vazamento sobre fase da Lava Jato em que Lula prestou depoimento
Francisco José de Abreu Duarte vai responder por embaraço de investigação por ter passado informações sobre operação, deflagrada em março de 2016, a blogueiro. A Polícia Federal (PF) indiciou o jornalista Francisco José de Abreu Duarte pelo crime de embaraço a investigação de organização criminosa, devido ao vazamento sobre a 24ª fase da Operação Lava Jato, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado coercitivamente a prestar depoimento. O caso passou a ser investigado porque assessores do político teriam sido avisados de que a operação estava prestes a ser deflagrada. As informações eram sigilosas. De acordo com as investigações, a auditora da Receita Federal Rosicler Veigel, que atuava na força-tarefa da Lava Jato, disse à PF que, em fevereiro de 2016, contou ao então namorado, Francisco Duarte, que uma "bomba" relacionada ao ex-presidente Lula estava prestes a acontecer. O inquérito foi concluído pelo delegado da PF Filipe Pace em 16 de janeiro, mas só foi anexado ao sistema eletrônico da Justiça nesta terça-feira (22). Com o indiciamento, o inquérito segue para o Ministério Público Federal (MPF) que avalia se oferece ou não denúncia à Justiça. O G1 tenta contato com a defesa de Francisco José de Abreu Duarte e de Rosicler Veigel. Relembre o caso Em 4 de março de 2016 Lula foi levado para prestar depoimento no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). Pouco mais de um ano depois, em 21 de março de 2017, o blogueiro Eduardo Guimarães, dono do Blog da Cidadania, foi conduzido coercitivamente à PF em São Paulo. Ele foi ouvido no inquérito da PF do Paraná que apurava o fato de Guimarães ter feito a divulgação antecipada da condução coercitiva de Lula na Lava Jato. Após o início das investigações sobre o vazamento da operação, Rosicler Veigel disse que, quando comentou com o então namorado sobre a ação, tinha levado para casa cópias das decisões que teve acesso, sobre a operação em que Lula seria alvo. No entanto, ela negou que tenha entregue os documentos a Abreu. A auditora disse que foi ele quem retirou os documentos da bolsa, sem que ela soubesse. Francisco Duarte também prestou depoimento. Ele confirmou que vazou as informações sobre a operação para o blogueiro Eduardo Guimarães. No entanto, Duarte negou que as informações tenham partido de Rosicler e invocou o direito constitucional para proteger a fonte. O ex-namorado da auditora afirmou ainda que, ao vazar as informações ao blogueiro, pediu que o Instituto Lula fosse avisado sobre a operação. Em depoimento, Guimarães admitiu que foi Duarte quem lhe passou as informações. Ele também disse que passou todas as informações ao assessor do Instituto Lula, José Chrispiniano. O blogueiro ainda disse imaginar que o assessor tenha repassados as informações sigilosas ao ex-presidente. À época, José Chrispiniano afirmou que é rotina de um assessor ser procurado por jornalistas para checagem de informações e que, no documento da Receita em que o blogueiro Eduardo Guimarães pediu para checar, não havia nenhum dado sobre busca e apreensão ou condução coercitiva. Segundo Chrispiniano, o documento só tinha informações sobre quebra de sigilo fiscal e bancário. O G1 tenta contato com a defesa do blogueiro Eduardo Guimarães. Moro se declarou suspeito A investigação estava sob a supervisão do ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública. Em 30 de maio de 2017, o então magistrado se declarou suspeito para seguir acompanhando o caso, devido a processos movidos pelo blogueiro Eduardo Guimarães contra ele. Depois disso, o processo foi redistribuído para a 23ª Vara Federal de Curitiba, comandada pelo juiz Nivaldo Brunoni. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Desde 21 de dezembro, 11 pessoas morreram afogadas no litoral do Paraná, 5 a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. Balanço Operação Verão 11 pessoas morreram afogadas no litoral do estado desde 21 de dezembro de 2018, segundo informou a Operação Verão Paraná nesta terça-feira (22). O número representa um crescimento de 83% nas ocorrências deste tipo em relação ao mesmo período do ano passado, quando 6 pessoas morreram afogadas nas cidades do litoral do Paraná. Entre as mortes por afogamento, dois casos foram em piscina, dois em rio, um caso na Baía de Paranaguá e seis casos na praia. Segundo o o comandante do Corpo de Bombeiros, o tenete-coronel Gerson Gross, as mortes ocorridas são de pessoas que entraram na água fora do horário de atendimento dos guarda-vidas ou fora da área de protegida por estes profissionais, demarcadas com as bandeiras de perigo e alerta. Mais de 70 mil orientações e advertências foram feitas pelos guarda-vidas no litoral do Paraná nos primeiros 30 dias de operação Verão Paraná 2018/2019 Divulgação/AEN "Por isso, orientamos a população para se banhar sempre entre as bandeiras compostas pelas cores vermelho sobre amarelo e próximo aos guarda-vidas”, afirmou o comandante. Segundo o balanço de um mês da força-tarefa das polícias Civil e Militar, também divulgado nesta terça-feira, foram realizadas mais de 70 mil orientações e advertências por guarda-vidas nas praias do estado neste período. O número corresponde a um aumento de 17,89% nas ações preventivas se comparado ao mesmo período da temporada passada. Pulseirinhas de identificação para crianças Nestes 30 dias de Operação Verão, o Corpo de Bombeiros entregou 44 mil pulseirinhas de identificação e deu 31 mil orientações. Desde o início do verão, houve onze óbitos por afogamento. O último ocorreu no fim da tarde de segunda-feira (21), na praia de Grajaú, em Pontal do Paraná, no litoral do estado. O balanço também apontou aumento de 48% do número de crianças perdidas. Segundo o tenete-coronel Gerson Gross, o crescimento se deve ao aumento no número de veranistas nas praias do estado. "Estamos trabalhando fortemente na prevenção e, com isso, conseguimos constatar um aumento considerável na entrega de pulseirinhas, no uso do aplicativo, nas advertências e orientações”, afirmou. Redução no número de mortes violentas Os números mostram redução do número de mortes violentas no litoral, de 13 pra 12, em comparação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, foram registradas 16% a mais de ocorrências de violência doméstica. As prisões aumentaram em 40%, os roubos também em 40%. Já o número de furtos reduziu em 6,4%. Os veículos abordados para o teste do bafômetro aumentaram em 250%, foram 77 motoristas a mais pegos dirigindo depois de ter ingerido bebida alcóolica. A operação A Operação Verão 2018/2019 tem mais de 2,2 mil profissionais atuando na segurança pública, na saúde e na limpeza do litoral do Paraná e das costas oeste e norte. A operação segue até o dia 10 de março. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Mortes por afogamento crescem 83% no litoral, aponta Operação Verão

Desde 21 de dezembro, 11 pessoas morreram afogadas no litoral do Paraná, 5 a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. Balanço Operação Verão 11 pessoas morreram afogadas no litoral do estado desde 21 de dezembro de 2018, segundo informou a Operação Verão Paraná nesta terça-feira (22). O número representa um crescimento de 83% nas ocorrências deste tipo em relação ao mesmo período do ano passado, quando 6 pessoas morreram afogadas nas cidades do litoral do Paraná. Entre as mortes por afogamento, dois casos foram em piscina, dois em rio, um caso na Baía de Paranaguá e seis casos na praia. Segundo o o comandante do Corpo de Bombeiros, o tenete-coronel Gerson Gross, as mortes ocorridas são de pessoas que entraram na água fora do horário de atendimento dos guarda-vidas ou fora da área de protegida por estes profissionais, demarcadas com as bandeiras de perigo e alerta. Mais de 70 mil orientações e advertências foram feitas pelos guarda-vidas no litoral do Paraná nos primeiros 30 dias de operação Verão Paraná 2018/2019 Divulgação/AEN "Por isso, orientamos a população para se banhar sempre entre as bandeiras compostas pelas cores vermelho sobre amarelo e próximo aos guarda-vidas”, afirmou o comandante. Segundo o balanço de um mês da força-tarefa das polícias Civil e Militar, também divulgado nesta terça-feira, foram realizadas mais de 70 mil orientações e advertências por guarda-vidas nas praias do estado neste período. O número corresponde a um aumento de 17,89% nas ações preventivas se comparado ao mesmo período da temporada passada. Pulseirinhas de identificação para crianças Nestes 30 dias de Operação Verão, o Corpo de Bombeiros entregou 44 mil pulseirinhas de identificação e deu 31 mil orientações. Desde o início do verão, houve onze óbitos por afogamento. O último ocorreu no fim da tarde de segunda-feira (21), na praia de Grajaú, em Pontal do Paraná, no litoral do estado. O balanço também apontou aumento de 48% do número de crianças perdidas. Segundo o tenete-coronel Gerson Gross, o crescimento se deve ao aumento no número de veranistas nas praias do estado. "Estamos trabalhando fortemente na prevenção e, com isso, conseguimos constatar um aumento considerável na entrega de pulseirinhas, no uso do aplicativo, nas advertências e orientações”, afirmou. Redução no número de mortes violentas Os números mostram redução do número de mortes violentas no litoral, de 13 pra 12, em comparação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, foram registradas 16% a mais de ocorrências de violência doméstica. As prisões aumentaram em 40%, os roubos também em 40%. Já o número de furtos reduziu em 6,4%. Os veículos abordados para o teste do bafômetro aumentaram em 250%, foram 77 motoristas a mais pegos dirigindo depois de ter ingerido bebida alcóolica. A operação A Operação Verão 2018/2019 tem mais de 2,2 mil profissionais atuando na segurança pública, na saúde e na limpeza do litoral do Paraná e das costas oeste e norte. A operação segue até o dia 10 de março. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Governo vai contratar auditoria externa pra rever gastos com funcionários O governador Ratinho Junior determinou a contratação de uma auditoria externa, por meio de pregão eletrônico, para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência. O anúncio foi feito nesta terça-feira (22), no Palácio Iguaçu, e a medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Segundo Ratinho Junior, a medida é necessária diante de algumas irregularidades já constatadas pela administração. "Nós estamos revendo qualquer furo que possa ter de pagamento em duplicidade, horas extras que são pagas muitas vezes sem ver o direito de ser pago", detalhou o governador. A medida anunciada por Ratinho atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado Rodrigo Félix Leal/AEN Atualmente, 55% do orçamento são gastos com folha de pagamento, conforme a administração estadual. A estimativa inicial do governo, é de que esse pente fino permita uma economia de pelo menos R$ 500 bilhões por ano. A expectativa é de que os trabalhos comecem nos próximos 60 dias e que alguns relatórios sejam entregues ainda no primeiro semestre. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Governador Ratinho Junior determina auditoria na folha de pagamentos de servidores ativos e inativos do Paraná

Medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Governo vai contratar auditoria externa pra rever gastos com funcionários O governador Ratinho Junior determinou a contratação de uma auditoria externa, por meio de pregão eletrônico, para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência. O anúncio foi feito nesta terça-feira (22), no Palácio Iguaçu, e a medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado. Segundo Ratinho Junior, a medida é necessária diante de algumas irregularidades já constatadas pela administração. "Nós estamos revendo qualquer furo que possa ter de pagamento em duplicidade, horas extras que são pagas muitas vezes sem ver o direito de ser pago", detalhou o governador. A medida anunciada por Ratinho atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do estado Rodrigo Félix Leal/AEN Atualmente, 55% do orçamento são gastos com folha de pagamento, conforme a administração estadual. A estimativa inicial do governo, é de que esse pente fino permita uma economia de pelo menos R$ 500 bilhões por ano. A expectativa é de que os trabalhos comecem nos próximos 60 dias e que alguns relatórios sejam entregues ainda no primeiro semestre. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (22); motorista foi socorrido e encaminhado com várias escoriações pelo corpo para um hospital local. Acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (22), na Região de Curitiba Divulgação/PRF Um motorista ficou ferido em um acidente com um caminhão por volta das 14h30 desta terça-feira (22) em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na BR-116. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), após tombar, o caminhão pegou fogo. Até a publicação da reportagem, a pista sentido São Paulo estava totalmente interditada. Às 19h, a fila de carros chegava a seis quilômetros. O caminhoneiro foi socorrido e encaminhado com várias escoriações pelo corpo para o Hospital Angelina Caron. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Motorista fica ferido após caminhão tombar e pegar fogo em Campina Grande do Sul; pista da BR-116 está interditada

Acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (22); motorista foi socorrido e encaminhado com várias escoriações pelo corpo para um hospital local. Acidente aconteceu na tarde desta terça-feira (22), na Região de Curitiba Divulgação/PRF Um motorista ficou ferido em um acidente com um caminhão por volta das 14h30 desta terça-feira (22) em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na BR-116. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), após tombar, o caminhão pegou fogo. Até a publicação da reportagem, a pista sentido São Paulo estava totalmente interditada. Às 19h, a fila de carros chegava a seis quilômetros. O caminhoneiro foi socorrido e encaminhado com várias escoriações pelo corpo para o Hospital Angelina Caron. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



Boletim de Ocorrência foi registrado no domingo (20), no bairro Fazendinha. Um menino de quatro anos foi internado no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, com a suspeita de ter sido abusado sexualmente pelo padrasto. A mãe registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) no domingo (20) e disse que o garoto contou sobre o crime pra ela. O caso aconteceu no bairro Fazendinha. A mãe da criança foi interrogada nesta terça-feira (22), mas o conteúdo do depoimento não foi divulgado pela polícia. O hospital informou que a criança está estável e recebe acompanhamento multidisciplinar com psicólogos. A polícia aguarda o resultado dos laudos dos exames feitos pela perícia. O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) está cuidando do caso. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Menino de quatro anos é internado após suspeita de abuso sexual cometido pelo padrasto em Curitiba, diz polícia
Boletim de Ocorrência foi registrado no domingo (20), no bairro Fazendinha. Um menino de quatro anos foi internado no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, com a suspeita de ter sido abusado sexualmente pelo padrasto. A mãe registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) no domingo (20) e disse que o garoto contou sobre o crime pra ela. O caso aconteceu no bairro Fazendinha. A mãe da criança foi interrogada nesta terça-feira (22), mas o conteúdo do depoimento não foi divulgado pela polícia. O hospital informou que a criança está estável e recebe acompanhamento multidisciplinar com psicólogos. A polícia aguarda o resultado dos laudos dos exames feitos pela perícia. O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) está cuidando do caso. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Decisão aponta que Ygor King e David Willian Silva devem continuar presos para evitar interferência na produção de provas. Defesa alega que não há indícios da participação dos dois em homicídio. Daniel foi morto em 27 de outubro Rubens Chiri/saopaulofc.net O desembargador Paulo Edison de Macedo Pacheco, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou o pedido de habeas corpus da defesa de Ygor King e David Willian Silva, suspeitos da participação na morte do jogador Daniel. Os dois jovens estão entre os cinco denunciados pelo homicídio do atleta pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR). No despacho, o desembargador determina que os dois continuem presos preventivamente para evitar que haja interferência na produção das provas. Ele lembra que após a morte de Daniel e ocultação do cadáver, os réus "teriam supostamente auxiliado na limpeza do local onde se iniciaram os fatos, no intento de induzir os investigadores em erro". Ygor King, de 19 anos, e David Willian Villeroy da Silva, de 18 anos, estão presos preventivamente. Helen Anacleto/RPC Segundo a denúncia do MP, os dois jovens, Edison Brittes Júnior, Cristiana Brittes e Eduardo da Silva participaram do homicídio de Daniel. Ygor King responde pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor. David William responde pelos mesmo crimes e também por denunciação caluniosa. No pedido de habeas corpus, a defesa dos dois jovens alegou que não havia indícios da participação de Ygor e Davis William no homicídio e que os dois participaram apenas das lesões ao jogador assim que ele foi encontrado deitado na cama de Cristina Brittes. A decisão do desembargador, no entanto, afirma que "há nos autos indícios que militam em sentido contrário" à argumentação da defesa. Segundo a denúncia do MP, os jovens Eduardo Henrique da Silva, Ygor King e David Willian da Silva imobilizaram o jogador Daniel para Edison Brittes Júnior esfaquear e mutilar o atleta. Sobre a decisão, o o advogado dos jovens, Rodrigo Faucz Pereira e Silva, afirmou que agora aguarda as novas etapas do processo. "A defesa reitera que cada um seja responsabilizado exatamente pelo que cometeu e pela medida da sua conduta", afirmou o advogado. O crime Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu depois da festa de aniversário de 18 anos de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes. A comemoração começou em uma boate da capital paranaense na noite de 26 de outubro, uma sexta-feira. Depois, continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Ali, Daniel começou a ser agredido, antes de ser levado ao matagal, de acordo com o inquérito policial e a denúncia do MP. Segundo o inquérito da polícia, Daniel foi agredido e morto após ter sido flagrado por Edison Brittes deitado na cama de Cristiana. Cristiana, Edison Júnior e Alana Brittes foram denunciados pelo MP-PR por envolvimento na morte de Daniel. Reprodução/Facebook Antes do crime, Daniel enviou a um amigo mensagens e fotos deitado ao lado de Cristiana enquanto a esposa de Edison Brittes dormia. Conforme as perícias realizadas pelo Instituto Médico-Legal (IML) e pela Polícia Científica do Paraná, marcas de sangue mostram na parede e no chão da casa dos Brittes mostram que Daniel foi espancado ainda dentro do quarto de Cristiana. Os laudos mostraram também que as pessoas que estavam na casa tentaram limpar as marcas de sangue. Daniel foi levado, segundo depoimentos de testemunhas, para fora da casa e colocado no porta-malas do carro de Edison Brittes. O resultado da perícia encontrou marcas de sangue dentro do veículo. O jogador foi esfaqueado, e o corpo do dele foi deixado em um matagal a 20 quilômetros da casa onde acontecia a festa, de acordo com a polícia. De acordo com o IML, o corpo de Daniel foi carregado por mais de uma pessoa. Segundo a denúncia, ao chegar no local onde o corpo dele foi achado, os três jovens desceram do carro e espancaram Daniel. Na sequência, Edison Brittes desceu do carro e "decapitou parcialmente a vítima tendo contado com a imobilização" de Eduardo, Ygor e David, segundo o Ministério Público. De acordo a denúncia do MP, "nas mesmas condições" e "contando sempre com o apoio e adesão dos demais presentes", Edison Brittes mutilou Daniel, que teve o pênis amputado. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Caso Daniel: Justiça nega habeas corpus de jovens suspeitos de participação no crime

Decisão aponta que Ygor King e David Willian Silva devem continuar presos para evitar interferência na produção de provas. Defesa alega que não há indícios da participação dos dois em homicídio. Daniel foi morto em 27 de outubro Rubens Chiri/saopaulofc.net O desembargador Paulo Edison de Macedo Pacheco, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), negou o pedido de habeas corpus da defesa de Ygor King e David Willian Silva, suspeitos da participação na morte do jogador Daniel. Os dois jovens estão entre os cinco denunciados pelo homicídio do atleta pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR). No despacho, o desembargador determina que os dois continuem presos preventivamente para evitar que haja interferência na produção das provas. Ele lembra que após a morte de Daniel e ocultação do cadáver, os réus "teriam supostamente auxiliado na limpeza do local onde se iniciaram os fatos, no intento de induzir os investigadores em erro". Ygor King, de 19 anos, e David Willian Villeroy da Silva, de 18 anos, estão presos preventivamente. Helen Anacleto/RPC Segundo a denúncia do MP, os dois jovens, Edison Brittes Júnior, Cristiana Brittes e Eduardo da Silva participaram do homicídio de Daniel. Ygor King responde pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor. David William responde pelos mesmo crimes e também por denunciação caluniosa. No pedido de habeas corpus, a defesa dos dois jovens alegou que não havia indícios da participação de Ygor e Davis William no homicídio e que os dois participaram apenas das lesões ao jogador assim que ele foi encontrado deitado na cama de Cristina Brittes. A decisão do desembargador, no entanto, afirma que "há nos autos indícios que militam em sentido contrário" à argumentação da defesa. Segundo a denúncia do MP, os jovens Eduardo Henrique da Silva, Ygor King e David Willian da Silva imobilizaram o jogador Daniel para Edison Brittes Júnior esfaquear e mutilar o atleta. Sobre a decisão, o o advogado dos jovens, Rodrigo Faucz Pereira e Silva, afirmou que agora aguarda as novas etapas do processo. "A defesa reitera que cada um seja responsabilizado exatamente pelo que cometeu e pela medida da sua conduta", afirmou o advogado. O crime Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu depois da festa de aniversário de 18 anos de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison Brittes. A comemoração começou em uma boate da capital paranaense na noite de 26 de outubro, uma sexta-feira. Depois, continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Ali, Daniel começou a ser agredido, antes de ser levado ao matagal, de acordo com o inquérito policial e a denúncia do MP. Segundo o inquérito da polícia, Daniel foi agredido e morto após ter sido flagrado por Edison Brittes deitado na cama de Cristiana. Cristiana, Edison Júnior e Alana Brittes foram denunciados pelo MP-PR por envolvimento na morte de Daniel. Reprodução/Facebook Antes do crime, Daniel enviou a um amigo mensagens e fotos deitado ao lado de Cristiana enquanto a esposa de Edison Brittes dormia. Conforme as perícias realizadas pelo Instituto Médico-Legal (IML) e pela Polícia Científica do Paraná, marcas de sangue mostram na parede e no chão da casa dos Brittes mostram que Daniel foi espancado ainda dentro do quarto de Cristiana. Os laudos mostraram também que as pessoas que estavam na casa tentaram limpar as marcas de sangue. Daniel foi levado, segundo depoimentos de testemunhas, para fora da casa e colocado no porta-malas do carro de Edison Brittes. O resultado da perícia encontrou marcas de sangue dentro do veículo. O jogador foi esfaqueado, e o corpo do dele foi deixado em um matagal a 20 quilômetros da casa onde acontecia a festa, de acordo com a polícia. De acordo com o IML, o corpo de Daniel foi carregado por mais de uma pessoa. Segundo a denúncia, ao chegar no local onde o corpo dele foi achado, os três jovens desceram do carro e espancaram Daniel. Na sequência, Edison Brittes desceu do carro e "decapitou parcialmente a vítima tendo contado com a imobilização" de Eduardo, Ygor e David, segundo o Ministério Público. De acordo a denúncia do MP, "nas mesmas condições" e "contando sempre com o apoio e adesão dos demais presentes", Edison Brittes mutilou Daniel, que teve o pênis amputado. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



Vítima, de 30 anos, precisou ser hospitalizada depois das agressões; crime aconteceu na noite de domingo (20). Polícia procura por homem que agrediu ex-mulher em Ponta Grossa A Polícia Civil de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, procura o homem que agrediu a ex-mulher na noite do último domingo (20). A agressão foi filmada com um celular. Assista ao vídeo. De acordo com a polícia, ele arrombou a porta da casa onde a mulher mora e começou a espanca-la. A casa fica no bairro Contorno. A vítima, de 30 anos, ficou ferida e precisou ser levada para o hospital. Ela foi atendida e teve alta ainda no domingo. A polícia instaurou um inquérito para investigar as agressões. Polícia usa vídeo para identificar suspeito de agressão contra ex-companheira Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Polícia procura por homem que agrediu ex-mulher em Ponta Grossa; VÍDEO
Vítima, de 30 anos, precisou ser hospitalizada depois das agressões; crime aconteceu na noite de domingo (20). Polícia procura por homem que agrediu ex-mulher em Ponta Grossa A Polícia Civil de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, procura o homem que agrediu a ex-mulher na noite do último domingo (20). A agressão foi filmada com um celular. Assista ao vídeo. De acordo com a polícia, ele arrombou a porta da casa onde a mulher mora e começou a espanca-la. A casa fica no bairro Contorno. A vítima, de 30 anos, ficou ferida e precisou ser levada para o hospital. Ela foi atendida e teve alta ainda no domingo. A polícia instaurou um inquérito para investigar as agressões. Polícia usa vídeo para identificar suspeito de agressão contra ex-companheira Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Segundo a AMTT, 15 mil alunos devem usar os benefícios em 2019, em Ponta Grossa. Terminal Uvaranas em Ponta Grossa Prefeitura de Ponta Grossa A Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte recebe, a partir desta terça-feira (22), novos pedidos do Passe Livre e da meia-passagem, além de requerimentos para renovação dos dois benefícios. Neste ano, a novidade é que essas solicitações podem ser feitas pela internet. Quem não tem acesso à web, pode continuar fazendo o pedido pessoalmente, na Praça de Atendimento da Prefeitura, no caso do Passe Livre; e no escritório da AMTT no Terminal Central, no caso da meia-passagem. De acordo com a Divisão de Transportes da AMTT, a estimativa é a de que cerca de 15 mil estudantes usem o benefício neste ano. Para solicitar ou renovar o Passe Livre e a meia-passagem, é preciso atualizar os dados cadastrais junto às instituições de ensino. Depois, fazer o requerimento através dos canais de atendimento da Prefeitura. Finalizada a análise e o deferimento da solicitação, basta ir ao terminal Central para desbloquear o cartão. Alunos da UEPG e UTFPR Alunos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que têm um cronograma diferente em relação a outras instituições, devem aguardar a conclusão do processo de matrícula para que sejam feitos os requerimentos junto à AMTT. Serviço Os alunos podem verificar a documentação necessária e tirar dúvidas através da página da AMTT no site da Prefeitura ou pelo telefone (42) 3901-1539. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Estudantes podem pedir ou renovar Passe Livre e meia-passagem pela internet a partir deste ano

Segundo a AMTT, 15 mil alunos devem usar os benefícios em 2019, em Ponta Grossa. Terminal Uvaranas em Ponta Grossa Prefeitura de Ponta Grossa A Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte recebe, a partir desta terça-feira (22), novos pedidos do Passe Livre e da meia-passagem, além de requerimentos para renovação dos dois benefícios. Neste ano, a novidade é que essas solicitações podem ser feitas pela internet. Quem não tem acesso à web, pode continuar fazendo o pedido pessoalmente, na Praça de Atendimento da Prefeitura, no caso do Passe Livre; e no escritório da AMTT no Terminal Central, no caso da meia-passagem. De acordo com a Divisão de Transportes da AMTT, a estimativa é a de que cerca de 15 mil estudantes usem o benefício neste ano. Para solicitar ou renovar o Passe Livre e a meia-passagem, é preciso atualizar os dados cadastrais junto às instituições de ensino. Depois, fazer o requerimento através dos canais de atendimento da Prefeitura. Finalizada a análise e o deferimento da solicitação, basta ir ao terminal Central para desbloquear o cartão. Alunos da UEPG e UTFPR Alunos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que têm um cronograma diferente em relação a outras instituições, devem aguardar a conclusão do processo de matrícula para que sejam feitos os requerimentos junto à AMTT. Serviço Os alunos podem verificar a documentação necessária e tirar dúvidas através da página da AMTT no site da Prefeitura ou pelo telefone (42) 3901-1539. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.



Ademir Geleski havia sido condenado em junho a 16 anos de prisão por homicídio qualificado e tentativa de homicídio; a defesa apelou e teve o recurso foi negado em novembro de 2018. Homem que matou fiscal em Santa Tereza do Oeste é preso O homem condenado por matar uma fiscal ambiental da Prefeitura de Santa Tereza do Oeste, no oeste do Paraná, foi preso pela Polícia Militar na noite de segunda-feira (21), e levado para a delegacia da Polícia Civil em Cascavel. Ademir Geleski era considerado foragido desde novembro de 2018, quando a Justiça negou um recurso apresentado pela defesa e expediu um mandado de prisão contra ele. Geleski foi condenado em junho de 2018 a 16 anos de reclusão pela morte de Sandra Marilda Lopes e pela tentativa de homicídio do motorista que a acompanhava no dia do crime, em julho de 2015. Os dois servidores tinha ido até o lixão da cidade para checar uma denúncia de que dois rapazes estavam retirando materiais do local sem autorização. Ao chegarem lá, eles foram atacados a pedradas e a facadas por Geleski e um irmão dele, na época adolescente, que cumpriu medida socioeducativa. Em seguida, eles fugiram com o carro da prefeitura. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Homem condenado por matar fiscal da Prefeitura de Santa Tereza do Oeste é preso pela PM
Ademir Geleski havia sido condenado em junho a 16 anos de prisão por homicídio qualificado e tentativa de homicídio; a defesa apelou e teve o recurso foi negado em novembro de 2018. Homem que matou fiscal em Santa Tereza do Oeste é preso O homem condenado por matar uma fiscal ambiental da Prefeitura de Santa Tereza do Oeste, no oeste do Paraná, foi preso pela Polícia Militar na noite de segunda-feira (21), e levado para a delegacia da Polícia Civil em Cascavel. Ademir Geleski era considerado foragido desde novembro de 2018, quando a Justiça negou um recurso apresentado pela defesa e expediu um mandado de prisão contra ele. Geleski foi condenado em junho de 2018 a 16 anos de reclusão pela morte de Sandra Marilda Lopes e pela tentativa de homicídio do motorista que a acompanhava no dia do crime, em julho de 2015. Os dois servidores tinha ido até o lixão da cidade para checar uma denúncia de que dois rapazes estavam retirando materiais do local sem autorização. Ao chegarem lá, eles foram atacados a pedradas e a facadas por Geleski e um irmão dele, na época adolescente, que cumpriu medida socioeducativa. Em seguida, eles fugiram com o carro da prefeitura. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Vítima tinha 44 anos; crime aconteceu em setembro de 2018 em uma rua do bairro Uvaranas. Polícia prende três suspeitos de matar um homem a pedradas em Ponta Grossa Polícia Civil/ Divulgação A polícia de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, prendeu na manhã desta terça-feira (22) três suspeitos de matar um homem a pedradas em uma rua da cidade. O crime aconteceu no dia 29 de setembro do ano passado. A vítima, de 44 anos, morreu no local onde foi agredido, no bairro Uvaranas. Os três suspeitos ainda jogaram pedras em residências e veículos próximos ao local, segundo a polícia. Eles foram detidos após diligências na Vila Francelina. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Polícia prende três suspeitos de matar homem apedrejado, em Ponta Grossa

Vítima tinha 44 anos; crime aconteceu em setembro de 2018 em uma rua do bairro Uvaranas. Polícia prende três suspeitos de matar um homem a pedradas em Ponta Grossa Polícia Civil/ Divulgação A polícia de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, prendeu na manhã desta terça-feira (22) três suspeitos de matar um homem a pedradas em uma rua da cidade. O crime aconteceu no dia 29 de setembro do ano passado. A vítima, de 44 anos, morreu no local onde foi agredido, no bairro Uvaranas. Os três suspeitos ainda jogaram pedras em residências e veículos próximos ao local, segundo a polícia. Eles foram detidos após diligências na Vila Francelina. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.



Segundo a CMTU, em 2018, 83 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito. 83 pessoas morreram em acidentes de trânsito em Londrina no ano passado O número de mortes no trânsito de Londrina, no norte do Paraná, caiu 8% em 2018. A estatística faz parte do balanço divulgado pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), O local que mais registrou mortes foi a PR-445, onze pessoas morreram nos trechos urbanos e rurais da rodovia. Segundo a CMTU, no ano, 83 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito. Além de ser menor do que em 2017, é o mais baixo dos últimos quatro anos. A maioria das vítimas foram homens, que tinham idade entre 18 e 59 anos, O levantamento da CMTU também apontou que o número de acidentes registrados em 2018 diminuiu em comparação com 2017, a redução foi de 6%. Houve uma redução de 2% na quantidade de multas aplicadas, foram em torno de 180 mil autuações. O excesso de velocidade foi a infração mais aplicada contra motoristas, foram 95 mil. Na sequência, as multas mais aplicadas foram avanço de sinal de vermelho e falta do cinto de segurança. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Cai número de mortes no trânsito em Londrina, aponta levantamento da Companhia de Trânsito
Segundo a CMTU, em 2018, 83 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito. 83 pessoas morreram em acidentes de trânsito em Londrina no ano passado O número de mortes no trânsito de Londrina, no norte do Paraná, caiu 8% em 2018. A estatística faz parte do balanço divulgado pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), O local que mais registrou mortes foi a PR-445, onze pessoas morreram nos trechos urbanos e rurais da rodovia. Segundo a CMTU, no ano, 83 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito. Além de ser menor do que em 2017, é o mais baixo dos últimos quatro anos. A maioria das vítimas foram homens, que tinham idade entre 18 e 59 anos, O levantamento da CMTU também apontou que o número de acidentes registrados em 2018 diminuiu em comparação com 2017, a redução foi de 6%. Houve uma redução de 2% na quantidade de multas aplicadas, foram em torno de 180 mil autuações. O excesso de velocidade foi a infração mais aplicada contra motoristas, foram 95 mil. Na sequência, as multas mais aplicadas foram avanço de sinal de vermelho e falta do cinto de segurança. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Homicídio tem como qualificadoras feminicídio e motivo fútil, segundo a Polícia Civil. Emerson Bezerra da Silva está preso preventivamente. Polícia conclui inquérito do caso Daniela Emerson Bezerra da Silva, que está preso suspeito de matar a ex-mulher Daniela Eduarda Alves, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio doloso duplamente qualificado por feminicídio e motivo fútil. Logo após ser preso, ele confessou o crime à polícia. Emerson está detido preventivamente na delegacia de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, mesma cidade onde o crime aconteceu. O inquérito foi concluído na sexta-feira (18). O crime aconteceu na madrugada do dia 14 deste mês. Daniela foi morta a facadas na frente da filha, de dois anos, segundo a polícia. "Facilitou a questão de ele ser réu confesso. Facilitou a questão também dos familiares dele, que não foram coniventes com o crime praticado e de imediato acionaram a polícia . Porque quando ele deixou o local do crime, a ideia era fugir", disse a delegada Gislaine Ortega Pineda. O advogado que defende Emerson Bezerra da Silva, Rodrigo Ribeiro, disse que ainda não teve acesso ao conteúdo completo do indiciamento, mas adiantou que não concorda com a acusação de feminicídio. Isso porque, segundo ele, Emerson não exercia qualquer tipo de hierarquia em relação à Daniela e não havia histórico anterior de violência contra ela. Daniela já tinha sido ameaçada de morte, diz irmã A irmã de Daniela, Bruna Alves Rodrigues Haberl, disse em depoimento à Polícia Civil que a irmã já tinha sido ameaçada de morte por Emerson em outra oportunidade. Bruna contou que a irmã chegou a mostrar uma gravação pra ela em que o ex-marido a ameaça. Daniela também teria dito à ela que os dois brigavam constantemente. Familiares também relataram que a jovem, que tinha 24 anos, queria se separar, mas o suspeito não aceitava. 'Tirou um pedaço de mim', diz mãe sobre a morte de filha no Paraná; ex-marido da jovem está preso suspeito do crime Casal ficou junto por três anos Daniela foi morta a facadas na frente da filha, de dois anos, segundo a polícia Reprodução/Facebook Daniela e Emerson Bezerra da Silva estavam casados há três anos. Ela passou o último fim de semana na praia, com a mãe e a filha. A menina conheceu o mar nessa viagem. Ao voltar para casa, Daniela e Emerson se desentenderam, segundo a polícia. Conforme a delegada Gislaine, depois do crime, o suspeito foi para a casa da mãe na capital paranaense, no bairro Sítio Cercado. A mãe de Emerson disse em depoimento à polícia que o filho chegou ensanguentado na casa dela e pediu que ela o levasse para o hospital, mas que ela se recusou e disse que chamaria a polícia. Ela disse ainda que relatou ao filho naquele momento que se ele tinha cometido algo errado, teria que pagar. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Suspeito de matar ex-mulher a facadas em Fazenda Rio Grande é indiciado por homicídio doloso duplamente qualificado

Homicídio tem como qualificadoras feminicídio e motivo fútil, segundo a Polícia Civil. Emerson Bezerra da Silva está preso preventivamente. Polícia conclui inquérito do caso Daniela Emerson Bezerra da Silva, que está preso suspeito de matar a ex-mulher Daniela Eduarda Alves, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio doloso duplamente qualificado por feminicídio e motivo fútil. Logo após ser preso, ele confessou o crime à polícia. Emerson está detido preventivamente na delegacia de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, mesma cidade onde o crime aconteceu. O inquérito foi concluído na sexta-feira (18). O crime aconteceu na madrugada do dia 14 deste mês. Daniela foi morta a facadas na frente da filha, de dois anos, segundo a polícia. "Facilitou a questão de ele ser réu confesso. Facilitou a questão também dos familiares dele, que não foram coniventes com o crime praticado e de imediato acionaram a polícia . Porque quando ele deixou o local do crime, a ideia era fugir", disse a delegada Gislaine Ortega Pineda. O advogado que defende Emerson Bezerra da Silva, Rodrigo Ribeiro, disse que ainda não teve acesso ao conteúdo completo do indiciamento, mas adiantou que não concorda com a acusação de feminicídio. Isso porque, segundo ele, Emerson não exercia qualquer tipo de hierarquia em relação à Daniela e não havia histórico anterior de violência contra ela. Daniela já tinha sido ameaçada de morte, diz irmã A irmã de Daniela, Bruna Alves Rodrigues Haberl, disse em depoimento à Polícia Civil que a irmã já tinha sido ameaçada de morte por Emerson em outra oportunidade. Bruna contou que a irmã chegou a mostrar uma gravação pra ela em que o ex-marido a ameaça. Daniela também teria dito à ela que os dois brigavam constantemente. Familiares também relataram que a jovem, que tinha 24 anos, queria se separar, mas o suspeito não aceitava. 'Tirou um pedaço de mim', diz mãe sobre a morte de filha no Paraná; ex-marido da jovem está preso suspeito do crime Casal ficou junto por três anos Daniela foi morta a facadas na frente da filha, de dois anos, segundo a polícia Reprodução/Facebook Daniela e Emerson Bezerra da Silva estavam casados há três anos. Ela passou o último fim de semana na praia, com a mãe e a filha. A menina conheceu o mar nessa viagem. Ao voltar para casa, Daniela e Emerson se desentenderam, segundo a polícia. Conforme a delegada Gislaine, depois do crime, o suspeito foi para a casa da mãe na capital paranaense, no bairro Sítio Cercado. A mãe de Emerson disse em depoimento à polícia que o filho chegou ensanguentado na casa dela e pediu que ela o levasse para o hospital, mas que ela se recusou e disse que chamaria a polícia. Ela disse ainda que relatou ao filho naquele momento que se ele tinha cometido algo errado, teria que pagar. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



Profissional suspeito de erros médicos foi afastado do cargo de diretor clínico; caso também vem sendo acompanhado pela polícia e pelo MP-PR. Prefeitura decide suspender cirurgias em hospital onde trabalhava 'Dr. Faz Tudo" A Prefeitura de Guaíra, no oeste do Paraná, decidiu suspender as cirurgias eletivas realizadas no Hospital AssisteGuaíra, onde atuava o médico Paulo Marcelino Andreolli Gonçalves, conhecido como “Doutor Faz-Tudo”. O clínico geral, que ocupava o cargo de diretor clínico do único hospital da cidade e conveniado ao Sistema Único de Saúde (SUS), é suspeito de uma série de erros médicos que levaram à morte de pacientes operados por ele. Nesta terça-feira (22), ele continuava afastado depois de um pedido feito pela prefeitura à direção do hospital na sexta-feira (19), quando a Ouvidoria do Município recebeu várias denúncias contra o médico. No fim de semana, ele foi substituído temporariamente pelo irmão, Odilon Gonçalves, também clínico geral. Nos demais plantões, deverá haver um remanejamento de médicos para que os atendimentos não sejam prejudicados. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, os procedimentos agendados vinham sendo desmarcados gradativamente desde dezembro de 2018, quando as primeiras suspeitas surgiram, ainda informalmente. E, com o aumento do número de denúncias, apenas os partos foram mantidos. A assessoria informou também que está em andamento, por parte do hospital, a contratação de um médico especialista em cirurgias e outro em obstetrícia e ginecologia e que, a partir de fevereiro, novos profissionais serão contratados. Desde 2017, os funcionários do hospital são administrados por uma empresa particular de propriedade da mulher do doutor Paulo. As suspeitas de erros médicos vêm sendo acompanhados pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), pela 20ª Regional de Saúde e pelo Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR). Apesar de não ser cirurgião, o médico reconhece que fez diversas cirurgias e que atuava pensando “no bem dos pacientes”. Ele responde vários processos na Justiça e já foi condenado pela morte de um bebê de quatro meses, em 1995, por complicações em uma cirurgia de hérnia, quando trabalhava em um hospital em Campina da Lagoa, no centro-oeste do Paraná. "O doutor Paulo disse, hospital é lugar de morrer, então o seu só foi mais um que morreu. Nunca pensei que meu filho fosse sair morto de lá", contou a dona de casa Arlete Neves, mãe do bebê morto. A pena de dois anos foi convertida em prestação de serviços comunitários. O médico ainda teve o registro médico suspenso por duas vezes por danos a pacientes. A direção do Hospital AssisteGuaíra nega qualquer irregularidade e afirmou que até então nenhuma denúncia contra o médico havia sido recebida oficialmente. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Após denúncias, prefeitura suspende cirurgias em hospital em que atuava o ‘Doutor Faz-Tudo’
Profissional suspeito de erros médicos foi afastado do cargo de diretor clínico; caso também vem sendo acompanhado pela polícia e pelo MP-PR. Prefeitura decide suspender cirurgias em hospital onde trabalhava 'Dr. Faz Tudo" A Prefeitura de Guaíra, no oeste do Paraná, decidiu suspender as cirurgias eletivas realizadas no Hospital AssisteGuaíra, onde atuava o médico Paulo Marcelino Andreolli Gonçalves, conhecido como “Doutor Faz-Tudo”. O clínico geral, que ocupava o cargo de diretor clínico do único hospital da cidade e conveniado ao Sistema Único de Saúde (SUS), é suspeito de uma série de erros médicos que levaram à morte de pacientes operados por ele. Nesta terça-feira (22), ele continuava afastado depois de um pedido feito pela prefeitura à direção do hospital na sexta-feira (19), quando a Ouvidoria do Município recebeu várias denúncias contra o médico. No fim de semana, ele foi substituído temporariamente pelo irmão, Odilon Gonçalves, também clínico geral. Nos demais plantões, deverá haver um remanejamento de médicos para que os atendimentos não sejam prejudicados. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, os procedimentos agendados vinham sendo desmarcados gradativamente desde dezembro de 2018, quando as primeiras suspeitas surgiram, ainda informalmente. E, com o aumento do número de denúncias, apenas os partos foram mantidos. A assessoria informou também que está em andamento, por parte do hospital, a contratação de um médico especialista em cirurgias e outro em obstetrícia e ginecologia e que, a partir de fevereiro, novos profissionais serão contratados. Desde 2017, os funcionários do hospital são administrados por uma empresa particular de propriedade da mulher do doutor Paulo. As suspeitas de erros médicos vêm sendo acompanhados pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), pela 20ª Regional de Saúde e pelo Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR). Apesar de não ser cirurgião, o médico reconhece que fez diversas cirurgias e que atuava pensando “no bem dos pacientes”. Ele responde vários processos na Justiça e já foi condenado pela morte de um bebê de quatro meses, em 1995, por complicações em uma cirurgia de hérnia, quando trabalhava em um hospital em Campina da Lagoa, no centro-oeste do Paraná. "O doutor Paulo disse, hospital é lugar de morrer, então o seu só foi mais um que morreu. Nunca pensei que meu filho fosse sair morto de lá", contou a dona de casa Arlete Neves, mãe do bebê morto. A pena de dois anos foi convertida em prestação de serviços comunitários. O médico ainda teve o registro médico suspenso por duas vezes por danos a pacientes. A direção do Hospital AssisteGuaíra nega qualquer irregularidade e afirmou que até então nenhuma denúncia contra o médico havia sido recebida oficialmente. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro; para usar as bicicletas, o valor é de R$ 1 a cada dez minutos. Os patinetes custam R$ 3 e mais R$ 0,50 a cada minuto. Serviço de compartilhamento de bicicletas e patinetes elétricos é lançado em Curitiba Divulgação/Yellow O serviço de compartilhamento de bicicletas e patinetes elétricos no sistema ‘dockless’, ou seja, fora de estações pré-definidas, começa a valer nesta terça-feira (22) em Curitiba. As bicicletas estarão disponíveis inicialmente em pontos privados parceiros, podem ser usadas de segunda a segunda, 24 horas por dia, e estacionadas depois em qualquer lugar dentro da área de atuação da empresa responsável na cidade. Veja os locais no mapa abaixo. As bicicletas têm GPS integrado, de modo que a localização de cada uma sempre esteja monitorada. O preço é de R$ 1 a cada 10 minutos de uso. A operação piloto das bikes começa na rua Itupava, no Alto da XV. Já os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana, das 7h às 21h, em um dos 40 pontos parceiros. O usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento. A operação piloto de patinetes começa na região do Alto da Glória. Para usá-lo é preciso pagar inicialmente R$ 3 e pagar mais R$ 0,50 a cada minuto de uso. As corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Veja no mapa a área de atuação da empresa Área de atuação da empresa responsável na cidade Divulgação/Yellow Como funciona o sistema O primeiro passo é instalar o aplicativo da empresa responsável; Ir até uma uma estação buscar a bike ou o patinete. (Em Curitiba nos bairros: Centro, Centro Cívico, Ahu, Cabral, Juvevê, Alto da Glória, Hugo Lange, Alto da Rua XV, Batel, Seminário, Rebouças e Campina do Siqueira); Colocar créditos na conta com cartão ou dinheiro. (Os créditos podem ser comprados em bancas de jornal e lojas); Localizar o cadeado; Escanear o QR Code, clicar em “iniciar viagem” e destravar a bike ou o patinete; Após o passeio, estacionar em local indicado ou em local seguro; Fechar o cadeado manualmente no caso da bike e finalizar diretamente pelo app no caso do patinete. (Em seguida, o usuário vai receber um resumo da sua viagem direto no app). No final do dia, as bicicletas e os patinetes são recolhidos para manutenção e limpeza. Este serviço já existe em outras cidades do Brasil, como: São Paulo, São José dos Campos, Rio de Janeiro, Florianópolis, Belo Horizonte, Campinas e Verão de Ilhabela. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Serviço de aluguel de bicicletas e patinetes elétricos sem estações pré-definidas é lançado em Curitiba

Corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro; para usar as bicicletas, o valor é de R$ 1 a cada dez minutos. Os patinetes custam R$ 3 e mais R$ 0,50 a cada minuto. Serviço de compartilhamento de bicicletas e patinetes elétricos é lançado em Curitiba Divulgação/Yellow O serviço de compartilhamento de bicicletas e patinetes elétricos no sistema ‘dockless’, ou seja, fora de estações pré-definidas, começa a valer nesta terça-feira (22) em Curitiba. As bicicletas estarão disponíveis inicialmente em pontos privados parceiros, podem ser usadas de segunda a segunda, 24 horas por dia, e estacionadas depois em qualquer lugar dentro da área de atuação da empresa responsável na cidade. Veja os locais no mapa abaixo. As bicicletas têm GPS integrado, de modo que a localização de cada uma sempre esteja monitorada. O preço é de R$ 1 a cada 10 minutos de uso. A operação piloto das bikes começa na rua Itupava, no Alto da XV. Já os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana, das 7h às 21h, em um dos 40 pontos parceiros. O usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento. A operação piloto de patinetes começa na região do Alto da Glória. Para usá-lo é preciso pagar inicialmente R$ 3 e pagar mais R$ 0,50 a cada minuto de uso. As corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Veja no mapa a área de atuação da empresa Área de atuação da empresa responsável na cidade Divulgação/Yellow Como funciona o sistema O primeiro passo é instalar o aplicativo da empresa responsável; Ir até uma uma estação buscar a bike ou o patinete. (Em Curitiba nos bairros: Centro, Centro Cívico, Ahu, Cabral, Juvevê, Alto da Glória, Hugo Lange, Alto da Rua XV, Batel, Seminário, Rebouças e Campina do Siqueira); Colocar créditos na conta com cartão ou dinheiro. (Os créditos podem ser comprados em bancas de jornal e lojas); Localizar o cadeado; Escanear o QR Code, clicar em “iniciar viagem” e destravar a bike ou o patinete; Após o passeio, estacionar em local indicado ou em local seguro; Fechar o cadeado manualmente no caso da bike e finalizar diretamente pelo app no caso do patinete. (Em seguida, o usuário vai receber um resumo da sua viagem direto no app). No final do dia, as bicicletas e os patinetes são recolhidos para manutenção e limpeza. Este serviço já existe em outras cidades do Brasil, como: São Paulo, São José dos Campos, Rio de Janeiro, Florianópolis, Belo Horizonte, Campinas e Verão de Ilhabela. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.
VÍDEOS: Meio-Dia Paraná de terça-feira, 22 de janeiro

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de todas as regiões.




Acidente aconteceu na manhã desta terça-feira (22) na Avenida Souza Naves, trecho urbano da BR-373. Jovem de18 anos morreu atropelado na manhã desta terça-feira (22) em Ponta Grossa Reprodução RPC Um jovem de18 anos morreu atropelado na manhã desta terça-feira (22) em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Ele tentava atravessar a pé a Avenida Souza Naves, trecho urbano da BR-373, quando foi atingido por um carro, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O motorista do carro, com placas de Jandaia do Sul, parou para prestar socorro. Ele não se feriu. O rapaz chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local, conforme a PRF. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. Uma passarela para travessia de pedestres fica a cerca de 300 metros do local do acidente Reprodução RPC “A PRF recomenda e solicita que os pedestres tenham todo cuidado na hora de fazer a travessia, procurem locais apropriados, como as passarelas”, explica o inspetor da polícia, Pedro Everaldo de Paula. Existe uma passarela de travessia de pedestres a cerca de 300 metros do local do acidente. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Jovem de 18 anos morre atropelado ao tentar atravessar avenida em Ponta Grossa

Acidente aconteceu na manhã desta terça-feira (22) na Avenida Souza Naves, trecho urbano da BR-373. Jovem de18 anos morreu atropelado na manhã desta terça-feira (22) em Ponta Grossa Reprodução RPC Um jovem de18 anos morreu atropelado na manhã desta terça-feira (22) em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Ele tentava atravessar a pé a Avenida Souza Naves, trecho urbano da BR-373, quando foi atingido por um carro, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O motorista do carro, com placas de Jandaia do Sul, parou para prestar socorro. Ele não se feriu. O rapaz chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local, conforme a PRF. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Ponta Grossa. Uma passarela para travessia de pedestres fica a cerca de 300 metros do local do acidente Reprodução RPC “A PRF recomenda e solicita que os pedestres tenham todo cuidado na hora de fazer a travessia, procurem locais apropriados, como as passarelas”, explica o inspetor da polícia, Pedro Everaldo de Paula. Existe uma passarela de travessia de pedestres a cerca de 300 metros do local do acidente. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.




Primeiro levantamento aponta índice de infestação de 7,9%. Bairros da região sul são os locais com o maior número de focos encontrados. Aedes aegypti é o transmissor da dengue, vírus zika e chikungunya Divulgação Londrina, no norte do Paraná, corre o risco de enfrentar uma epidemia de dengue caso os moradores deixem de tomar medidas básicas de limpeza para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) ficou em 7,9%. Isso quer dizer que a cada 100 Imóveis vistoriados por agentes de saúde, em quase oito foram encontrados focos do mosquito. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o índice não passe de 1%. A pesquisa foi feita entre os dias 7 e 11 de janeiro. A Secretaria Municipal de Saúde informou que a região sul, pelo segundo ano seguido, apresenta um alto índice de infestação. A pesquisa apontou um LIRAa de 9,38%. Na região da Unidade de Saúde Itapuã foram os locais onde os agentes encontraram o maior número de larvas. Por isso, a secretaria está intensificando o trabalho de combate ao mosquito, 30 agentes estão circulando pelo bairro, para evitar o surgimento de casos. A secretaria solicitou ao estado o carro do fumacê para fazer o bloqueio. No bairro Cilo V, no sul da cidade, de cada 100 imóveis vistoriados foram encontrados focos do mosquito em 60 deles. O Jardim Felicidade, Água das Pedras e Parque Tauá tiveram índices de infestação de 33,3%. Veja o levantamento por região da cidade: Sul - 9,38% Centro - 8,58% Leste - 8,14% Norte - 7,93% Oeste - 5,82% Bairros com índices preocupantes: Cilo V - 60% Jardim Felicidade - 33,33% Água das pedras - 33,33% Parque Tauá - 33,33% Vila Yara - 27,27% Infestação na região Em Rolândia, o índice de levantamento apontou infestação de 4,9%, o que também coloca o município em situação de alto risco de infestação. O levantamento foi feito entre os dias 14 e 17 de janeiro. Foram encontrados focos em vasos e pratinhosde plantas. Os bairros com maiores índices foram Jardim Campo Belo, Água Verde e Costa do Sol. Em Tamarana, o índice de infestação ficou em 5,1%. O levantamento foi realizado de 7 a 11 de janeiro, e foram inspecionados 256 imóveis da área urbana. Focos foram encontrados em seis bairros , no Centro, Chácaras Leão do Norte, Jardim Esperança, Jardim Europa, Jardim Juny e Residencial Cristo Rei. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Com alto índice de infestação de dengue, Londrina corre risco de enfrentar epidemia da doença

Primeiro levantamento aponta índice de infestação de 7,9%. Bairros da região sul são os locais com o maior número de focos encontrados. Aedes aegypti é o transmissor da dengue, vírus zika e chikungunya Divulgação Londrina, no norte do Paraná, corre o risco de enfrentar uma epidemia de dengue caso os moradores deixem de tomar medidas básicas de limpeza para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) ficou em 7,9%. Isso quer dizer que a cada 100 Imóveis vistoriados por agentes de saúde, em quase oito foram encontrados focos do mosquito. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o índice não passe de 1%. A pesquisa foi feita entre os dias 7 e 11 de janeiro. A Secretaria Municipal de Saúde informou que a região sul, pelo segundo ano seguido, apresenta um alto índice de infestação. A pesquisa apontou um LIRAa de 9,38%. Na região da Unidade de Saúde Itapuã foram os locais onde os agentes encontraram o maior número de larvas. Por isso, a secretaria está intensificando o trabalho de combate ao mosquito, 30 agentes estão circulando pelo bairro, para evitar o surgimento de casos. A secretaria solicitou ao estado o carro do fumacê para fazer o bloqueio. No bairro Cilo V, no sul da cidade, de cada 100 imóveis vistoriados foram encontrados focos do mosquito em 60 deles. O Jardim Felicidade, Água das Pedras e Parque Tauá tiveram índices de infestação de 33,3%. Veja o levantamento por região da cidade: Sul - 9,38% Centro - 8,58% Leste - 8,14% Norte - 7,93% Oeste - 5,82% Bairros com índices preocupantes: Cilo V - 60% Jardim Felicidade - 33,33% Água das pedras - 33,33% Parque Tauá - 33,33% Vila Yara - 27,27% Infestação na região Em Rolândia, o índice de levantamento apontou infestação de 4,9%, o que também coloca o município em situação de alto risco de infestação. O levantamento foi feito entre os dias 14 e 17 de janeiro. Foram encontrados focos em vasos e pratinhosde plantas. Os bairros com maiores índices foram Jardim Campo Belo, Água Verde e Costa do Sol. Em Tamarana, o índice de infestação ficou em 5,1%. O levantamento foi realizado de 7 a 11 de janeiro, e foram inspecionados 256 imóveis da área urbana. Focos foram encontrados em seis bairros , no Centro, Chácaras Leão do Norte, Jardim Esperança, Jardim Europa, Jardim Juny e Residencial Cristo Rei. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Magistrados têm até a meia-noite de quinta-feira (24) para manifestar desistência. Escolha é pelo critério de antiguidade. Justiça Federal, em Curitiba Thais Kaniak/G1 O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, divulgou nesta terça-feira (22) os candidatos para a vaga de juiz federal na 13ª Vara de Curitiba, que conduz a Operação Lava Jato em primeira instância, após a ida de Sérgio Moro para o Ministério da Justiça. Entre os interessados, assume o juiz que tiver o maior tempo de magistratura. Conforme o TRF-4, o magistrado mais antigo que se inscreveu é Luiz Antonio Bonat, de Curitiba. Depois, aparecem Julio Guilherme Berezoski Schattschneider (19º na lista de antiguidade), de Santa Catarina, Friedmann Anderson Wenppap (70º na lista de antiguidade), de Santa Catarina, Antonio Cesar Bochenek (106º na lista de antiguidade), Ponta Grossa, e Marcos Josegrei da Silva (111º na lista de antiguidade), de Curitiba. Apenas juízes federais da Região Sul do Brasil podem participar da seleção. No total, foram 25 inscritos. Trâmite para a escolha De acordo com o edital do concurso de remoção, os magistrados têm até a meia-noite de quinta-feira (24) para manifestações de desistência. Mesmo se ocorreram desistências, o trâmite ocorre normalmente. A partir de sexta (25), o processo administrativo de concurso é encaminhado para o relator, o corregedor regional do TRF-4, desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira. Ele deve levar o processo para julgamento ao Conselho de Administração do tribunal, de acordo com o regimento interno. Após o julgamento do processo, ainda sem data definida, o presidente da Corte, desembargador federal Thompson Flores, assina a decisão do Conselho de Administração, composto pelo presidente e por quatro desembargadores federais. Há outros dois suplentes. Somente após esse trâmite o nome do magistrado que deve ocupar a 13ª Vara Federal de Curitiba será definido. Julgado no Conselho de Administração, o processo é encaminhado para a Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região, que determina a data da entrada em exercício e publica o ato de remoção no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região.
TRF-4 divulga candidatos para vaga de Sérgio Moro na 13ª Vara de Curitiba

Magistrados têm até a meia-noite de quinta-feira (24) para manifestar desistência. Escolha é pelo critério de antiguidade. Justiça Federal, em Curitiba Thais Kaniak/G1 O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, divulgou nesta terça-feira (22) os candidatos para a vaga de juiz federal na 13ª Vara de Curitiba, que conduz a Operação Lava Jato em primeira instância, após a ida de Sérgio Moro para o Ministério da Justiça. Entre os interessados, assume o juiz que tiver o maior tempo de magistratura. Conforme o TRF-4, o magistrado mais antigo que se inscreveu é Luiz Antonio Bonat, de Curitiba. Depois, aparecem Julio Guilherme Berezoski Schattschneider (19º na lista de antiguidade), de Santa Catarina, Friedmann Anderson Wenppap (70º na lista de antiguidade), de Santa Catarina, Antonio Cesar Bochenek (106º na lista de antiguidade), Ponta Grossa, e Marcos Josegrei da Silva (111º na lista de antiguidade), de Curitiba. Apenas juízes federais da Região Sul do Brasil podem participar da seleção. No total, foram 25 inscritos. Trâmite para a escolha De acordo com o edital do concurso de remoção, os magistrados têm até a meia-noite de quinta-feira (24) para manifestações de desistência. Mesmo se ocorreram desistências, o trâmite ocorre normalmente. A partir de sexta (25), o processo administrativo de concurso é encaminhado para o relator, o corregedor regional do TRF-4, desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira. Ele deve levar o processo para julgamento ao Conselho de Administração do tribunal, de acordo com o regimento interno. Após o julgamento do processo, ainda sem data definida, o presidente da Corte, desembargador federal Thompson Flores, assina a decisão do Conselho de Administração, composto pelo presidente e por quatro desembargadores federais. Há outros dois suplentes. Somente após esse trâmite o nome do magistrado que deve ocupar a 13ª Vara Federal de Curitiba será definido. Julgado no Conselho de Administração, o processo é encaminhado para a Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região, que determina a data da entrada em exercício e publica o ato de remoção no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região.




Luciana Messias estava desaparecida desde sábado (19) quando, segundo familiares, saiu de casa para brincar com outras crianças. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha faziam buscas desde o dia do desaparecimento, depois de ser vista se afogando Reprodução/RPC O corpo de LucianaThaissa Messias Rodrigues, de 13 anos, foi encontrado no fim da manhã desta terça-feira (22) às margens do Rio Paraná, na região de Eldorado, na Argentina, a cerca de 60 km de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde ela tinha sido vista pela última vez. Segundo familiares, ela estava desaparecida desde sábado (19) quando saiu de casa escondida para brincar com outras crianças e acabou sumindo em um trecho do rio. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha faziam buscas desde o dia do desaparecimento, depois de ser vista se afogando. Durante o fim de semana, o trabalha teve o reforço de mergulhadores. De acordo com os bombeiros, o corpo da menina foi reconhecido por meio de fotos enviadas à família. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Após buscas, corpo de menina de 13 anos é encontrado no Rio Paraná

Luciana Messias estava desaparecida desde sábado (19) quando, segundo familiares, saiu de casa para brincar com outras crianças. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha faziam buscas desde o dia do desaparecimento, depois de ser vista se afogando Reprodução/RPC O corpo de LucianaThaissa Messias Rodrigues, de 13 anos, foi encontrado no fim da manhã desta terça-feira (22) às margens do Rio Paraná, na região de Eldorado, na Argentina, a cerca de 60 km de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde ela tinha sido vista pela última vez. Segundo familiares, ela estava desaparecida desde sábado (19) quando saiu de casa escondida para brincar com outras crianças e acabou sumindo em um trecho do rio. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha faziam buscas desde o dia do desaparecimento, depois de ser vista se afogando. Durante o fim de semana, o trabalha teve o reforço de mergulhadores. De acordo com os bombeiros, o corpo da menina foi reconhecido por meio de fotos enviadas à família. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Eles chegaram a ser presos em flagrante em 2017 quando se preparavam para descarregar parte de uma carga de diesel em uma marcenaria. Em julho de 2017, os funcionários foram presos por suspeita de desvio de combustivel Roberto Porto/RPC Dois funcionários da prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, foram demitidos depois da conclusão de um processo administrativo aberto para apurar suspeitas de que estavam desviando e vendendo diesel reservado à frota do município. A decisão foi publicada no diário oficial do município de sábado (19), após a conclusão do processo administrativo disciplinar aberto pela Corregedoria da Casa Civil. O caso de peculato também está sendo apurado por meio de uma ação ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), que ainda não definiu se vai apresentar denúncia à Justiça. Os servidores - um motorista e um auxiliar de serviços gerais - chegaram a ser presos em flagrante em julho de 2017 quando se preparavam para descarregar um caminhão com diesel em uma marcenaria. O combustível deveria ser levado para o interior do município. O dono da marcenaria também foi preso e um adolescente, que trabalha no local, foi apreendido. Na marcenaria, policiais militares encontraram 30 galões vazios, que eram usados para armazenar o combustível. Outros dez galões estavam na casa do dono da empresa. De acordo com a prefeitura, na época o caso estava sendo investigado internamente havia cerca de seis meses. Segundo as investigações, a dupla levava os caminhões-tanque carregados até as empresas que compravam o produto por R$ 1 o litro. a estimativa era de que os dois desviavam até 40 litros de combustível por carga. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Dois funcionários da prefeitura de Cascavel são demitidos por vender combustível da frota do município

Eles chegaram a ser presos em flagrante em 2017 quando se preparavam para descarregar parte de uma carga de diesel em uma marcenaria. Em julho de 2017, os funcionários foram presos por suspeita de desvio de combustivel Roberto Porto/RPC Dois funcionários da prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, foram demitidos depois da conclusão de um processo administrativo aberto para apurar suspeitas de que estavam desviando e vendendo diesel reservado à frota do município. A decisão foi publicada no diário oficial do município de sábado (19), após a conclusão do processo administrativo disciplinar aberto pela Corregedoria da Casa Civil. O caso de peculato também está sendo apurado por meio de uma ação ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), que ainda não definiu se vai apresentar denúncia à Justiça. Os servidores - um motorista e um auxiliar de serviços gerais - chegaram a ser presos em flagrante em julho de 2017 quando se preparavam para descarregar um caminhão com diesel em uma marcenaria. O combustível deveria ser levado para o interior do município. O dono da marcenaria também foi preso e um adolescente, que trabalha no local, foi apreendido. Na marcenaria, policiais militares encontraram 30 galões vazios, que eram usados para armazenar o combustível. Outros dez galões estavam na casa do dono da empresa. De acordo com a prefeitura, na época o caso estava sendo investigado internamente havia cerca de seis meses. Segundo as investigações, a dupla levava os caminhões-tanque carregados até as empresas que compravam o produto por R$ 1 o litro. a estimativa era de que os dois desviavam até 40 litros de combustível por carga. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.



A suspeita assinou um termo circunstanciado e foi liberada. Ela deve responder pelo crime de maus-tratos contra animais. Cachorro é morto a pauladas em Maringá Uma mulher é suspeita de matar um cachorro a pauladas em Maringá, no norte do Paraná, na noite de segunda-feira (21). A suspeita foi levada para o Batalhão da Polícia Militar (PM), assinou um termo circunstanciado e liberada. De acordo com a PM, a mulher estava passeando com o cachorro dela por um bairro do município, segurando um cabo de vassoura para espantar outros animais. Ao passar por uma casa, o dono do imóvel abriu o portão para entrar com o carro quando o cão, que estava no quintal da residência, saiu na calçada e começou a latir para o animal da suspeita. Ainda conforme a polícia, a suspeita então golpeou o cão da raça Pinscher várias vezes. O animal morreu na hora. A mulher fugiu e foi perseguida por moradores que presenciaram a cena. Ela se escondeu dentro de um carrinho de lanches de onde foi retirada pela polícia. Ainda conforme a polícia, uma audiência foi marcada no Fórum de Justiça para abril. Ela deve responder pelo crime de maus-tratos contra animais, a pena para esse tipo de caso pode chegar a um ano e quatro meses, no entanto a pessoa responde em liberdade. A diretoria de bem-estar animal de Maringá informou que já teve acesso ao boletim de ocorrências e deve multar a mulher por maus-tratos. A multa é de R$2 mil. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Mulher mata cão a pauladas após bicho latir para o cachorro dela, diz polícia
A suspeita assinou um termo circunstanciado e foi liberada. Ela deve responder pelo crime de maus-tratos contra animais. Cachorro é morto a pauladas em Maringá Uma mulher é suspeita de matar um cachorro a pauladas em Maringá, no norte do Paraná, na noite de segunda-feira (21). A suspeita foi levada para o Batalhão da Polícia Militar (PM), assinou um termo circunstanciado e liberada. De acordo com a PM, a mulher estava passeando com o cachorro dela por um bairro do município, segurando um cabo de vassoura para espantar outros animais. Ao passar por uma casa, o dono do imóvel abriu o portão para entrar com o carro quando o cão, que estava no quintal da residência, saiu na calçada e começou a latir para o animal da suspeita. Ainda conforme a polícia, a suspeita então golpeou o cão da raça Pinscher várias vezes. O animal morreu na hora. A mulher fugiu e foi perseguida por moradores que presenciaram a cena. Ela se escondeu dentro de um carrinho de lanches de onde foi retirada pela polícia. Ainda conforme a polícia, uma audiência foi marcada no Fórum de Justiça para abril. Ela deve responder pelo crime de maus-tratos contra animais, a pena para esse tipo de caso pode chegar a um ano e quatro meses, no entanto a pessoa responde em liberdade. A diretoria de bem-estar animal de Maringá informou que já teve acesso ao boletim de ocorrências e deve multar a mulher por maus-tratos. A multa é de R$2 mil. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.




Interessados em trabalhar nas unidades da Copacol em Cafelândia e em Nova Aurora devem comparecer à Agência do Trabalhador na quarta (23). Das 400 vagas, 40 são para auxiliar de produção no abatedouro de peixes em Nova Aurora Copacol/Divulgação Equipes da Copacol fazem nesta quarta-feira (23) a seleção para o preenchimento de 400 vagas de auxiliar de produção: 360 delas no abatedouro de aves em Cafelândia e 40 no abatedouro de peixes em Nova Aurora, no oeste do Paraná. Os salários, incluindo vale alimentação e adicionais, variam de R$ 1.559,69 a R$ 2.081,94, além de benefícios como seguro de vida, adicional por tempo de serviço, participação nos resultados, refeições e adesão em planos de saúde e odontológico. Os interessados devem comparecer à Agência do Trabalhador de Cafelândia, na Praça Brasília, 299, junto ao posto do INSS, com os documentos pessoais e a carteira de trabalho, das 9h30 às 17h. A seleção é válida também para moradores de outras cidades da região, para os quais será oferecido transporte nos dias de trabalho. Veja abaixo a lista. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (45) 3241-2050, da Agência do Trabalhador, e (45) 3241-8609, da cooperativa. Confira a lista de cidades incluídas na seleção Alto Piquiri Anahy Assis Chateaubriand Boa Esperança Boa Vista da Aparecida Braganey Brasilândia do Sul Cafelândia Campo Bonito Cascavel Catanduvas Corbélia Formosa do Oeste Goioerê Guaraniaçu Ibema Iguatu Iracema do Oeste Jesuítas Mariluz Moreira Sales Nova Aurora Quarto Centenário Tuneiras do Oeste Tupãssi Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Cooperativa faz seleção para 400 vagas de emprego em abatedouros de peixes e de aves

Interessados em trabalhar nas unidades da Copacol em Cafelândia e em Nova Aurora devem comparecer à Agência do Trabalhador na quarta (23). Das 400 vagas, 40 são para auxiliar de produção no abatedouro de peixes em Nova Aurora Copacol/Divulgação Equipes da Copacol fazem nesta quarta-feira (23) a seleção para o preenchimento de 400 vagas de auxiliar de produção: 360 delas no abatedouro de aves em Cafelândia e 40 no abatedouro de peixes em Nova Aurora, no oeste do Paraná. Os salários, incluindo vale alimentação e adicionais, variam de R$ 1.559,69 a R$ 2.081,94, além de benefícios como seguro de vida, adicional por tempo de serviço, participação nos resultados, refeições e adesão em planos de saúde e odontológico. Os interessados devem comparecer à Agência do Trabalhador de Cafelândia, na Praça Brasília, 299, junto ao posto do INSS, com os documentos pessoais e a carteira de trabalho, das 9h30 às 17h. A seleção é válida também para moradores de outras cidades da região, para os quais será oferecido transporte nos dias de trabalho. Veja abaixo a lista. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (45) 3241-2050, da Agência do Trabalhador, e (45) 3241-8609, da cooperativa. Confira a lista de cidades incluídas na seleção Alto Piquiri Anahy Assis Chateaubriand Boa Esperança Boa Vista da Aparecida Braganey Brasilândia do Sul Cafelândia Campo Bonito Cascavel Catanduvas Corbélia Formosa do Oeste Goioerê Guaraniaçu Ibema Iguatu Iracema do Oeste Jesuítas Mariluz Moreira Sales Nova Aurora Quarto Centenário Tuneiras do Oeste Tupãssi Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.




Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) cumprem medidas cautelares desde janeiro de 2018. Veradores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) passarão a utilizar tornozeleira eletrônica, conforme determinação da Justiça Divulgação/Câmara de Vereadores de Londrina/Devanir Parra A Justiça aceitou, parcialmente, o pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para prorrogar o período de afastamento dos cargos dos vereadores de Londrina, no norte do Paraná, Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) dos cargos. A determinação é que eles ficam afastados por mais 45 dias. Os parlamentares são réus na Operação Zona Residencial 3 (ZR3), que investiga cobrança de propina para alteração do zoneamento urbano, e estão afastados dos cargos desde janeiro de 2018. O prazo para eles retornarem aos cargos venceria na quinta-feira (24). O juiz Délcio Miranda da Rocha, da 2ª Vara Criminal de Londrina, aceitou a justificativa do MP-PR de que o período é necessário para ouvir as partes contrárias do processo. Além da determinação, o magistrado ainda solicita que a Câmara de Vereadores e Prefeitura apontem quais medidas administrativas foram adotadas para auxiliar na fiscalização de alteração de zoneamento urbano, se houve alterações legislativas significativas desde a data do afastamento dos réus. O juiz da 2ª Vara Criminal ainda quer saber da Câmara se, em caso de interrupção de medida cautelar, Mário Takahashi pode reassumir a presidência da Casa. A Câmara e a Prefeitura têm dez dias para responderem as questões. As defesas dos vereadores ainda não se manifestaram sobre a determinação. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Justiça prorroga afastamento de vereadores de Londrina réus na Operação ZR3 por mais 45 dias

Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) cumprem medidas cautelares desde janeiro de 2018. Veradores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) passarão a utilizar tornozeleira eletrônica, conforme determinação da Justiça Divulgação/Câmara de Vereadores de Londrina/Devanir Parra A Justiça aceitou, parcialmente, o pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para prorrogar o período de afastamento dos cargos dos vereadores de Londrina, no norte do Paraná, Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) dos cargos. A determinação é que eles ficam afastados por mais 45 dias. Os parlamentares são réus na Operação Zona Residencial 3 (ZR3), que investiga cobrança de propina para alteração do zoneamento urbano, e estão afastados dos cargos desde janeiro de 2018. O prazo para eles retornarem aos cargos venceria na quinta-feira (24). O juiz Délcio Miranda da Rocha, da 2ª Vara Criminal de Londrina, aceitou a justificativa do MP-PR de que o período é necessário para ouvir as partes contrárias do processo. Além da determinação, o magistrado ainda solicita que a Câmara de Vereadores e Prefeitura apontem quais medidas administrativas foram adotadas para auxiliar na fiscalização de alteração de zoneamento urbano, se houve alterações legislativas significativas desde a data do afastamento dos réus. O juiz da 2ª Vara Criminal ainda quer saber da Câmara se, em caso de interrupção de medida cautelar, Mário Takahashi pode reassumir a presidência da Casa. A Câmara e a Prefeitura têm dez dias para responderem as questões. As defesas dos vereadores ainda não se manifestaram sobre a determinação. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.



Familiares informaram que ela brincada no rio com outras crianças no sábado (19); um dos irmãos disse que ela saiu escondida de casa para brincar. Menina desaparece no Rio Paraná Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha estão fazendo buscas por uma menina de 13 anos que, segundo a família, desapareceu no sábado (19) enquanto nadava em um trecho do Rio Paraná em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Um dos irmãos de Luciana Messias disse que ela saiu escondida de casa para brincar com outras crianças e que chegou até o rio por um caminho no meio da mata. Os familiares sentiram falta da menina cerca de duas horas depois. No fim de semana mergulhadores auxiliaram nas buscas, retomadas nesta terça-feira (22). Alerta Em 2018, oito pessoas – a maioria com menos de 16 anos - foram vítimas de afogamento em Foz do Iguaçu. Um dos cuidados, segundo os bombeiros, é não deixar crianças em rios, lagos ou piscinas sem a supervisão de um adulto, observar se no local há sinalização indicando ser proibido nadar, não entrar em áreas desconhecidas e sempre respeitar as orientações dos salva-vidas, quando houver. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
Bombeiros fazem buscas por menina de 13 anos que sumiu enquanto nadava no Rio Paraná
Familiares informaram que ela brincada no rio com outras crianças no sábado (19); um dos irmãos disse que ela saiu escondida de casa para brincar. Menina desaparece no Rio Paraná Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha estão fazendo buscas por uma menina de 13 anos que, segundo a família, desapareceu no sábado (19) enquanto nadava em um trecho do Rio Paraná em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Um dos irmãos de Luciana Messias disse que ela saiu escondida de casa para brincar com outras crianças e que chegou até o rio por um caminho no meio da mata. Os familiares sentiram falta da menina cerca de duas horas depois. No fim de semana mergulhadores auxiliaram nas buscas, retomadas nesta terça-feira (22). Alerta Em 2018, oito pessoas – a maioria com menos de 16 anos - foram vítimas de afogamento em Foz do Iguaçu. Um dos cuidados, segundo os bombeiros, é não deixar crianças em rios, lagos ou piscinas sem a supervisão de um adulto, observar se no local há sinalização indicando ser proibido nadar, não entrar em áreas desconhecidas e sempre respeitar as orientações dos salva-vidas, quando houver. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.



Afogamento foi no fim da tarde de segunda-feira (21); um pescador viu o corpo e sinalizou para o guarda-vidas na manhã desta terça-feira (22). O corpo de um jovem que desapareceu após se afogar na praia de Grajaú, em Pontal do Paraná, no litoral do estado, foi encontrado por volta das 8h desta terça-feira (22) pelo Corpo de Bombeiros. Conforme a corporação, o jovem estava na água com um amigo, de 16 anos, que conseguiu sair sozinho da água. A vítima morava em Engenheiro Beltrão, no centro-oeste do Paraná. As buscas haviam sido suspensas quando anoiteceu, por causa da baixa visibilidade no local. Segundo o Corpo de Bombeiros, um pescador na manhã desta terça sinalizou para o guarda-vidas, no balneário Carmery, indicando uma região no mar onde o corpo estava. O guarda-vidas nadou até o local, que fica a cerca de 1,2 km do local do afogamento, e fez a retirada do jovem. Os familiares estavam na praia e fizeram o reconhecimento do corpo, segundo os bombeiros. Este é o 11° óbito por afogamento na temporada de verão. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Corpo de jovem que desapareceu no mar é encontrado em Pontal do Paraná
Afogamento foi no fim da tarde de segunda-feira (21); um pescador viu o corpo e sinalizou para o guarda-vidas na manhã desta terça-feira (22). O corpo de um jovem que desapareceu após se afogar na praia de Grajaú, em Pontal do Paraná, no litoral do estado, foi encontrado por volta das 8h desta terça-feira (22) pelo Corpo de Bombeiros. Conforme a corporação, o jovem estava na água com um amigo, de 16 anos, que conseguiu sair sozinho da água. A vítima morava em Engenheiro Beltrão, no centro-oeste do Paraná. As buscas haviam sido suspensas quando anoiteceu, por causa da baixa visibilidade no local. Segundo o Corpo de Bombeiros, um pescador na manhã desta terça sinalizou para o guarda-vidas, no balneário Carmery, indicando uma região no mar onde o corpo estava. O guarda-vidas nadou até o local, que fica a cerca de 1,2 km do local do afogamento, e fez a retirada do jovem. Os familiares estavam na praia e fizeram o reconhecimento do corpo, segundo os bombeiros. Este é o 11° óbito por afogamento na temporada de verão. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Conforme a Polícia Civil, suspeitos exigiam depósito prévio para garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral do Paraná Divulgação/PCPR A Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (22) dois mandados de prisão e mais dois de busca e apreensão, em Curitiba e Paranaguá, em virtude da Operação Reserva Garantida, que apura crimes de estelionato. A operação investiga a suspeita de crimes praticados por dois homens que simulavam a locação de casas para veraneio no litoral do Paraná, pela internet. Eles exigiam um depósito prévio para supostamente garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Segundo a polícia, mesmo depois dos depósitos, que ocorriam durante todo o ano, os investigados mantinham as vítimas envolvidas no golpe até o momento em que elas teriam que entrar na casa, obrigando em alguns casos deslocamentos de mais de mil quilômetros. Os investigados utilizavam nomes de várias pessoas, que não tinham qualquer relação com os criminosos, informou a polícia. Os dois investigados foram presos preventivamente - sem tempo determinado. A Polícia Civil orienta que vítimas dos crimes procurem a Delegacia de Matinhos ou a mais próxima para denunciar os fatos. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral do Paraná

Conforme a Polícia Civil, suspeitos exigiam depósito prévio para garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Dois homens são presos em operação que investiga locação de casas de praia no litoral do Paraná Divulgação/PCPR A Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (22) dois mandados de prisão e mais dois de busca e apreensão, em Curitiba e Paranaguá, em virtude da Operação Reserva Garantida, que apura crimes de estelionato. A operação investiga a suspeita de crimes praticados por dois homens que simulavam a locação de casas para veraneio no litoral do Paraná, pela internet. Eles exigiam um depósito prévio para supostamente garantir a locação do imóvel, quando na verdade o local sequer existia. Segundo a polícia, mesmo depois dos depósitos, que ocorriam durante todo o ano, os investigados mantinham as vítimas envolvidas no golpe até o momento em que elas teriam que entrar na casa, obrigando em alguns casos deslocamentos de mais de mil quilômetros. Os investigados utilizavam nomes de várias pessoas, que não tinham qualquer relação com os criminosos, informou a polícia. Os dois investigados foram presos preventivamente - sem tempo determinado. A Polícia Civil orienta que vítimas dos crimes procurem a Delegacia de Matinhos ou a mais próxima para denunciar os fatos. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Batida ocorreu na BR-376, nesta terça-feira (22). Os motoristas foram levados em estado grave para um hospital de Apucarana. Ônibus e caminhão bateram de frente na BR-376, em Mauá da Serra PRF/Divulgação Oito pessoas ficaram feridas em um acidente entre um ônibus de turismo e um caminhão na BR-376, em Mauá da Serra, no norte do Paraná, nesta terça-feira (22). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os veículos bateram de frente. A polícia informou que o ônibus seguia de Loanda, no noroeste, para Curitiba e o caminhão era de Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba. Informações iniciais apontam que o ônibus invadiu a pista contrária. O trecho, onde há obras de duplicação, ficou interditado por cerca de 40 minutos. Os motoristas foram levados em estado grave ao Hospital da Providência, em Apucarana. Em nota, a empresa Viação Garcia está investigando as causas do acidente envolvendo o ônibus que fazia o trajeto Loanda a Curitiba. A empresa afirma que tomou todas as medidas para que os passageiros fossem atendidos com mais rapidez. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Oito pessoas ficam feridas em acidente entre ônibus e caminhão em Mauá da Serra

Batida ocorreu na BR-376, nesta terça-feira (22). Os motoristas foram levados em estado grave para um hospital de Apucarana. Ônibus e caminhão bateram de frente na BR-376, em Mauá da Serra PRF/Divulgação Oito pessoas ficaram feridas em um acidente entre um ônibus de turismo e um caminhão na BR-376, em Mauá da Serra, no norte do Paraná, nesta terça-feira (22). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os veículos bateram de frente. A polícia informou que o ônibus seguia de Loanda, no noroeste, para Curitiba e o caminhão era de Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba. Informações iniciais apontam que o ônibus invadiu a pista contrária. O trecho, onde há obras de duplicação, ficou interditado por cerca de 40 minutos. Os motoristas foram levados em estado grave ao Hospital da Providência, em Apucarana. Em nota, a empresa Viação Garcia está investigando as causas do acidente envolvendo o ônibus que fazia o trajeto Loanda a Curitiba. A empresa afirma que tomou todas as medidas para que os passageiros fossem atendidos com mais rapidez. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.



De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima estava deitada embaixo de uma árvore enrolada em uma coberta. Corpo é encontrado carbonizado em bairro de Curitiba Um homem, de 26 anos, morreu carbonizado por volta das 21h de segunda-feira (21) na Avenida Marechal Floriano Peixoto esquina com Rua Nicolau Kresko, no bairro Hauer, em Curitiba. De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima estava deitada embaixo de uma árvore enrolada em uma coberta. O Corpo de Bombeiros e a PM foram acionados, mas o homem já estava morto. De acordo com o delegado Osmar Feijó da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), há possiblidade da vítima ser um cuidador de carros da região. Até o momento, não se sabe se o incêndio foi crimoso ou se o homem teria se queimado sozinho. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML) onde aguarda identificação. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Homem morre carbonizado no Hauer em Curitiba, diz polícia
De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima estava deitada embaixo de uma árvore enrolada em uma coberta. Corpo é encontrado carbonizado em bairro de Curitiba Um homem, de 26 anos, morreu carbonizado por volta das 21h de segunda-feira (21) na Avenida Marechal Floriano Peixoto esquina com Rua Nicolau Kresko, no bairro Hauer, em Curitiba. De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima estava deitada embaixo de uma árvore enrolada em uma coberta. O Corpo de Bombeiros e a PM foram acionados, mas o homem já estava morto. De acordo com o delegado Osmar Feijó da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), há possiblidade da vítima ser um cuidador de carros da região. Até o momento, não se sabe se o incêndio foi crimoso ou se o homem teria se queimado sozinho. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML) onde aguarda identificação. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.



O G1 lista os principais destaques dos telejornais da RPC desta terça-feira (22). Saiba os endereços, telefones e os sites das reportagens exibidas. G1 Norte e Noroeste Meio-Dia Paraná - Noroeste >>>Em Paranavaí, as mães que tiveram bebê recebem ainda no hospital o número de telefone do posto de coleta do Banco de Leite. Elas entram em contato e uma equipe vai até a casa fazer as orientações para coleta. Feita a doação, esse leite é enviado para Maringá onde é pasteurizado e retorna para Santa Casa de Paranavaí para alimentar os bebes que estão na UTI. Mais informações pelo telefone (44) 3421-1334. G1 Paraná Bom Dia Paraná >>> O Senai oferece mais de cinco mil vagas de cursos técnicos em todo o Paraná. São 33 cursos espalhados em 38 unidades pelo estado. As matrículas estão abertas e aulas começam em fevereiro. As opções com maior oferta são os cursos: Técnico em Eletromecânica, Eletrotécnica, Mecânica, Automação Industrial, Manutenção Automotiva, Administração e Segurança do Trabalho. A duração varia entre 18 e 24 meses, e as mensalidades ficam entre R$ 137 e R$ 548, dependendo do curso de interesse. O início das aulas será no dia 4 de fevereiro de 2019, e as matrículas poderão ser feitas até esta data. Confira mais informações. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
RPC: veja as informações adicionais das reportagens do dia 22/01/2019
O G1 lista os principais destaques dos telejornais da RPC desta terça-feira (22). Saiba os endereços, telefones e os sites das reportagens exibidas. G1 Norte e Noroeste Meio-Dia Paraná - Noroeste >>>Em Paranavaí, as mães que tiveram bebê recebem ainda no hospital o número de telefone do posto de coleta do Banco de Leite. Elas entram em contato e uma equipe vai até a casa fazer as orientações para coleta. Feita a doação, esse leite é enviado para Maringá onde é pasteurizado e retorna para Santa Casa de Paranavaí para alimentar os bebes que estão na UTI. Mais informações pelo telefone (44) 3421-1334. G1 Paraná Bom Dia Paraná >>> O Senai oferece mais de cinco mil vagas de cursos técnicos em todo o Paraná. São 33 cursos espalhados em 38 unidades pelo estado. As matrículas estão abertas e aulas começam em fevereiro. As opções com maior oferta são os cursos: Técnico em Eletromecânica, Eletrotécnica, Mecânica, Automação Industrial, Manutenção Automotiva, Administração e Segurança do Trabalho. A duração varia entre 18 e 24 meses, e as mensalidades ficam entre R$ 137 e R$ 548, dependendo do curso de interesse. O início das aulas será no dia 4 de fevereiro de 2019, e as matrículas poderão ser feitas até esta data. Confira mais informações. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




De acordo com a prefeitura, a iniciativa se deve ao fato do aumento da confirmação de casos de febre amarela em cidades de São Paulo e que fazem divisa com o Paraná. 110 Unidades Básicas de Saúde de Curitiba têm a vacina contra febre amarela Valdecir Galor/SMCS Curitiba está intensificando a vacinação contra a febre amarela. Desde segunda-feira (21), a dose voltou a ser oferecida diariamente. De acordo com a prefeitura, a iniciativa se deve ao fato do aumento da confirmação de casos de febre amarela em cidades de São Paulo e que fazem divisa com o Paraná. Os moradores da capital paranaense podem tomar a vacina em 110 unidades básicas de saúde da cidade de segunda à sexta-feira. Das 111 unidades, apenas uma não tem a vacina: a UBS Medianeira não aplica nenhum tipo de vacina. Curitiba continua fora da área de risco da doença. Porém, a intensificação visa aumentar o índice de proteção da população, conforme a administração municipal. Quem deve tomar a vacina A prefeitura ressaltou que pessoas entre nove meses de 59 anos de idade devem tomar a vacina. Quem já tomou esta vacina uma vez na vida não precisa refazer. A orientação para quem não tomou a vacina ou se não tem certeza se tomou, é procurar a unidade de saúde mais próxima de casa e se imunizar. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Vacina contra febre amarela volta a ser oferecida diariamente em Curitiba

De acordo com a prefeitura, a iniciativa se deve ao fato do aumento da confirmação de casos de febre amarela em cidades de São Paulo e que fazem divisa com o Paraná. 110 Unidades Básicas de Saúde de Curitiba têm a vacina contra febre amarela Valdecir Galor/SMCS Curitiba está intensificando a vacinação contra a febre amarela. Desde segunda-feira (21), a dose voltou a ser oferecida diariamente. De acordo com a prefeitura, a iniciativa se deve ao fato do aumento da confirmação de casos de febre amarela em cidades de São Paulo e que fazem divisa com o Paraná. Os moradores da capital paranaense podem tomar a vacina em 110 unidades básicas de saúde da cidade de segunda à sexta-feira. Das 111 unidades, apenas uma não tem a vacina: a UBS Medianeira não aplica nenhum tipo de vacina. Curitiba continua fora da área de risco da doença. Porém, a intensificação visa aumentar o índice de proteção da população, conforme a administração municipal. Quem deve tomar a vacina A prefeitura ressaltou que pessoas entre nove meses de 59 anos de idade devem tomar a vacina. Quem já tomou esta vacina uma vez na vida não precisa refazer. A orientação para quem não tomou a vacina ou se não tem certeza se tomou, é procurar a unidade de saúde mais próxima de casa e se imunizar. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O médico Paulo Marcelino Andreolli Gonçalves, conhecido como ‘Doutor Faz-Tudo’, foi afastado pela direção do Hospital AssisteGuaíra, em Guaíra, no oeste do Paraná. Pelo menos 33 pessoas dizem que tiveram complicações graves depois de cirurgias feitas com o médico. ‘Doutor Faz-Tudo’ é afastado de hospital após pedido da prefeitura de Guaíra Reprodução/RPC Pelo menos 33 pessoas dizem que tiveram complicações graves depois de cirurgias feitas no hospital. Três delas morreram. Todos pacientes do "Doutor Faz-Tudo". Padre furta óculos em Guarapuava Um padre de Guarapuava, na região central do Paraná, suspeito de furtar uma loja de um shopping da cidade foi afastado das funções na igreja, de acordo com a diocese. Ele não foi preso. Padre é afastado por suspeita de furto Conforme a Polícia Civil, em depoimento, ele confessou o furto de um óculos "em um momento de bobeira". O crime foi no dia 7 de janeiro. Pai e filho baleados; adolescente morre Um homem e um adolescente, de 13 anos, foram baleados no fim da manhã desta segunda-feira (21) no bairro Bom Retiro, em Curitiba, de acordo com a Polícia Militar (PM). Pai e filho estavam em um carro na Rua Desembargador Hugo Simas. Adolescente que foi baleado quando estava com o pai morre no hospital O adolescente morreu durante um procedimento cirúrgico no início da tarde. O pai dele passou por uma cirurgia e segue sob cuidados intensivosSegundo a polícia, ele tem passagens por furto, roubo, tráfico de drogas e usava uma identidade falsa. Mulher diz que foi agredida por PM por causa de tatuagem A mulher que foi agredida por um sargento da Polícia Militar (PM) em uma farmácia de Paranaguá, no litoral do Paraná, disse que o ex-namorado foi ao local para tirar satisfações por causa de uma tatuagem com o sobrenome dele que foi coberta. Mulher agredida pelo ex-companheiro presta depoimento na Corregedoria da PM A vítima, que prefere não se identificar por medo, afirmou que tinha o sobrenome do ex tatuado no braço, mas que decidiu cobrir depois de um desentendimento entre os dois. Curtas e rápidas UEM tem inscrições abertas para transferência de alunos de outras instituições Homem morre e três pessoas ficam em estado grave depois de acidente na PR-441 UEL divulga edital para curso pré-vestibular gratuito com 450 vagas Justiça determina nulidade de laudo em processo que apura envolvimento de GMs na morte de jovem Adolescentes vão parar na delegacia após tentar imitar roubo de filme em shopping, em Curitiba Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Paraná, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado. O médico Paulo Marcelino Andreolli Gonçalves, conhecido como ‘Doutor Faz-Tudo’, foi afastado pela direção do Hospital AssisteGuaíra, em Guaíra, no oeste do Paraná. Pelo menos 33 pessoas dizem que tiveram complicações graves depois de cirurgias feitas com o médico. ‘Doutor Faz-Tudo’ é afastado de hospital após pedido da prefeitura de Guaíra Reprodução/RPC Pelo menos 33 pessoas dizem que tiveram complicações graves depois de cirurgias feitas no hospital. Três delas morreram. Todos pacientes do "Doutor Faz-Tudo". Padre furta óculos em Guarapuava Um padre de Guarapuava, na região central do Paraná, suspeito de furtar uma loja de um shopping da cidade foi afastado das funções na igreja, de acordo com a diocese. Ele não foi preso. Padre é afastado por suspeita de furto Conforme a Polícia Civil, em depoimento, ele confessou o furto de um óculos "em um momento de bobeira". O crime foi no dia 7 de janeiro. Pai e filho baleados; adolescente morre Um homem e um adolescente, de 13 anos, foram baleados no fim da manhã desta segunda-feira (21) no bairro Bom Retiro, em Curitiba, de acordo com a Polícia Militar (PM). Pai e filho estavam em um carro na Rua Desembargador Hugo Simas. Adolescente que foi baleado quando estava com o pai morre no hospital O adolescente morreu durante um procedimento cirúrgico no início da tarde. O pai dele passou por uma cirurgia e segue sob cuidados intensivosSegundo a polícia, ele tem passagens por furto, roubo, tráfico de drogas e usava uma identidade falsa. Mulher diz que foi agredida por PM por causa de tatuagem A mulher que foi agredida por um sargento da Polícia Militar (PM) em uma farmácia de Paranaguá, no litoral do Paraná, disse que o ex-namorado foi ao local para tirar satisfações por causa de uma tatuagem com o sobrenome dele que foi coberta. Mulher agredida pelo ex-companheiro presta depoimento na Corregedoria da PM A vítima, que prefere não se identificar por medo, afirmou que tinha o sobrenome do ex tatuado no braço, mas que decidiu cobrir depois de um desentendimento entre os dois. Curtas e rápidas UEM tem inscrições abertas para transferência de alunos de outras instituições Homem morre e três pessoas ficam em estado grave depois de acidente na PR-441 UEL divulga edital para curso pré-vestibular gratuito com 450 vagas Justiça determina nulidade de laudo em processo que apura envolvimento de GMs na morte de jovem Adolescentes vão parar na delegacia após tentar imitar roubo de filme em shopping, em Curitiba Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.




Rua Visconde de Cairu seguirá apenas no sentido da Avenida Iguaçu. Mudança vale a partir das 11h. Duas quadras da Rua Visconde de Cairu têm alteração de sentido a partir desta terça-feira (22) Divulgação/Prefeitura de Curitiba Duas quadras da Rua Visconde de Cairu, entre a Rua Leôncio Correia e a Avenida Iguaçu, no bairro Seminário, em Curitiba, passam a ter sentido único de circulação a partir das 11 horas desta terça-feira (22), segundo a prefeitura. Com a mudança, a mão única da via segue apenas sentido Avenida Iguaçu. De acordo com a Prefeitura de Curitiba, a mudança tem o objetivo de melhorar a organização de trânsito na rua, que é estreita. Equipes de Superintendência de Trânsito (Setran) farão a alteração da sinalização ao longo da manhã. Agentes de trânsito orientarão os motoristas sobre as mudanças no local. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Rua no Seminário passa a ter sentido único a partir desta terça-feira (22)

Rua Visconde de Cairu seguirá apenas no sentido da Avenida Iguaçu. Mudança vale a partir das 11h. Duas quadras da Rua Visconde de Cairu têm alteração de sentido a partir desta terça-feira (22) Divulgação/Prefeitura de Curitiba Duas quadras da Rua Visconde de Cairu, entre a Rua Leôncio Correia e a Avenida Iguaçu, no bairro Seminário, em Curitiba, passam a ter sentido único de circulação a partir das 11 horas desta terça-feira (22), segundo a prefeitura. Com a mudança, a mão única da via segue apenas sentido Avenida Iguaçu. De acordo com a Prefeitura de Curitiba, a mudança tem o objetivo de melhorar a organização de trânsito na rua, que é estreita. Equipes de Superintendência de Trânsito (Setran) farão a alteração da sinalização ao longo da manhã. Agentes de trânsito orientarão os motoristas sobre as mudanças no local. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.




As eleições foram convocadas por causa dos falecimentos do prefeito e do vice-prefeito nos dois primeiros anos do mandato. Eleitores de Piên escolherão o novo prefeito da cidade em 17 de março Divulgação/Prefeitura de Piên O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) marcou para 17 de março as eleições suplementares para a escolha do prefeito e vice-prefeito do município de Piên, na Região Metropolitana de Curitiba. As eleições foram convocadas por causa dos falecimentos do prefeito e do vice-prefeito nos dois primeiros anos do mandato. O prefeito eleito em 2016, Loir Dreveck foi morto com um tiro antes de tomar posse, mas depois de ter sido diplomado. O vice-prefeito, Livino Tureck, faleceu em novembro de 2018, vítima de um câncer. De acordo com o TRE, estarão aptos a votar os eleitores com situação regular até 17 de outubro de 2018 (151 dias antes do pleito). Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
TRE marca eleições suplementares para prefeito de Piên

As eleições foram convocadas por causa dos falecimentos do prefeito e do vice-prefeito nos dois primeiros anos do mandato. Eleitores de Piên escolherão o novo prefeito da cidade em 17 de março Divulgação/Prefeitura de Piên O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) marcou para 17 de março as eleições suplementares para a escolha do prefeito e vice-prefeito do município de Piên, na Região Metropolitana de Curitiba. As eleições foram convocadas por causa dos falecimentos do prefeito e do vice-prefeito nos dois primeiros anos do mandato. O prefeito eleito em 2016, Loir Dreveck foi morto com um tiro antes de tomar posse, mas depois de ter sido diplomado. O vice-prefeito, Livino Tureck, faleceu em novembro de 2018, vítima de um câncer. De acordo com o TRE, estarão aptos a votar os eleitores com situação regular até 17 de outubro de 2018 (151 dias antes do pleito). Veja mais notícias da região no G1 Paraná.